All Posts By

Comunicação Uniodonto

Coronavírus

Saúde bucal em tempos de Coronavírus

By Notícias No Comments

Saúde bucal em tempos de Coronavírus

Coronavírus

O mundo inteiro se recolhe em casa para conter a pandemia do Covid-19. A epidemia global mostrou a rapidez no contágio e transmissão do novo coronavírus. Cientistas e profissionais de todos os países estão em busca de protocolos e cuidados paliativos que tragam alívio às pessoas. Mas, enquanto a vacina não vem e a cura ainda está distante, temos que nos adequar às recomendações de prevenção. As gotículas de saliva e do espirro são as principais formas de contágio. Por esta razão, devemos manter os itens de higiene individualizados, como pasta de dente, sabonete e toalhas de rosto. O local de armazenamento da escova também deve ser individual e, é claro, a escova nunca deve ser compartilhada. Acompanhe abaixo e siga nossos conselhos para ajudar a manter afastada a ameaça do coronavírus.

Veja também:

Qual a relação entre saúde mental e saúde bucal?

3 dicas para criar bons hábitos de saúde bucal para crianças

Própolis para proteger os dentes funciona?

Como aliviar a dor de dente?

Cuidados para evitar a contaminação pelo coronavírus

Capriche na higiene bucal

Manter a saúde bucal evita a proliferação de microrganismos na boca e, portanto, sua disseminação pela corrente sanguínea. Com isso, protegemos nossa imunidade e nosso corpo do ataque de bactérias, que podem criar novas doenças, enfraquecendo o organismo.

Então, mais do que nunca, é importante uma rotina adequada, com escovação, fio dental e enxaguante bucal. Além disso, devemos trocar as escovas de dentes mais frequentemente. Em especial, se passamos por algum episódio de problema de saúde, internação ou suspeita de sintomas do coronavírus.

Mantenha a boca hidratada e evite tocar essa parte do corpo com as mãos

A boca e o nariz são as principais portas de entrada do coronavírus. Por esse motivo, quanto menos tocarmos os órgãos da face, melhor. Além disso, os líquidos ajudam a empurrar o vírus para o estômago, onde pode ser eliminado. Sendo assim, hidrate a boca de 15 em 15 minutos e sempre que se lembrar.

Evite contatos físicos

Abraços, apertos de mão e beijos podem esperar o final da pandemia para serem retomados. De fato, o coronavírus, além do contágio direto, pode se alojar nas mãos, roupas e objetos e passar de uma pessoa para outra. Mais ainda, ele tem um período de incubação assintomático de até 14 dias.

Mantenha distância de 2 metros de outras pessoas em filas, estabelecimentos e outros locais e evite reuniões em ambientes fechados.

Remarque suas consultas odontológicas

CoronavírusSe o seu problema dentário puder esperar, espere. Em casos de suspeita de contágio ou sintomas de resfriado ou gripe, aguarde 14 dias após o final dos sintomas. Se viajou, mantenha também os 14 dias de quarentena, antes de qualquer contato ou atendimento.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças têm recomendações específicas para consultórios odontológicos. Os profissionais tomam todas as medidas de esterilização e desinfecção. A cada atendimento a paciente, são trocados aventais, paramentos, utensílios e é feita uma desinfecção total.

Entretanto, é um tempo que vai passar. Portanto, fique em casa e procure atendimento apenas em casos de urgência ou emergência e seguindo todos os cuidados anteriores. Os casos de emergência são aqueles que expõem os pacientes a risco de morte. Já as urgências não oferecem risco iminente, mas representam situações de dor insuportável, que devem ser resolvidas prontamente.

Outros cuidados importantes na prevenção do coronavírus

  • Mantenha o isolamento social, sempre que possível. Evite aglomerações e só saia de casa, se necessário e utilizando máscara de proteção.
  • Lave as mãos com água e sabão, fazendo bastante espuma por 20 segundos, ao tocar pessoas ou objetos externos. Na impossibilidade, esterilize com álcool gel.
  • Use álcool ou álcool gel 70% e água sanitária para limpar superfícies de contato, como corrimões, maçanetas e chaves. Deixe os sapatos fora de casa ou passe-os em um pano molhado com água sanitária, antes de entrar. Higienize o chão também com o produto e retire os tapetes das portas de entrada.
  • Evite contato com pessoas suspeitas ou com os sintomas do coronavírus. Do mesmo modo com pessoas que tenham viajado para regiões afetadas, durante o período de isolamento de 14 dias.
  • Caso apresente sintomas de febre ou tosse, isole-se e mantenha-se em casa, aguardando a evolução. Se os sintomas se agravarem, provocando, por exemplo, falta de ar constante, procure um hospital.
  • Não se esqueça de cobrir a boca com o cotovelo, ao tossir ou espirrar.

Fique em casa! Proteja-se do coronavírus e conte sempre com a Uniodonto Uberlândia para orientar com responsabilidade e atender com competência.

Alimentos que protegem os dentes

By Notícias No Comments

10 super alimentos que protegem os dentes

alimentos que protegem os dentes

A saúde bucal está diretamente relacionada com a alimentação e a higienização. São os principais fatores que participam da prevenção de cáries e outras doenças bucais. Porém, uma coisa não substitui a outra, ao contrário, se complementam. Alguns alimentos famosos pela sua contribuição para uma boa saúde também são eficazes para a limpeza e proteção dos dentes. Os fibrosos, por exemplo, como os legumes e frutas frescas, são ótimos limpadores. Além disso, por serem mais firmes, limpam a superfície dos dentes durante a mastigação. Por outro lado, alguns desses alimentos também são ácidos, necessitando que os resíduos sejam retirados pela escovação. Ou seja, mesmo uma dieta rica em alimentos que protegem os dentes deve ser seguida de limpeza, sempre.

Veja também:

5 dicas para uma saúde bucal impecável em 2020

Qual é o trabalho de cada dente?

O que você sabe sobre limpeza dentária feita no consultório?

5 coisas que você precisa saber antes de clarear os dentes

 

Uma boa alimentação deixa os dentes mais limpos e brancos, previne doenças e melhora o hálito. Veja, então, alguns poderosos alimentos que protegem os dentes e vão ajudar a tornar o seu sorriso ainda mais bonito.

Principais alimentos que protegem os dentes

Leite

O leite fortalece o desenvolvimento dos ossos e dentes, pois é uma excelente fonte de cálcio. Além do mais, possui proteínas, fósforo, ácido láctico e inúmeras vitaminas, e ainda protege os dentes de substâncias ácidas.

Alimentos fibrosos

As fibras limpam o organismo, eliminam gordura corporal e compõem deliciosos alimentos que protegem os dentes. Cereais, como a aveia e a granola, e frutas, como ameixa e o mamão, contêm uma enorme quantidade de fibras. E ainda podem ajudar a reduzir o peso, o que é um agradável efeito colateral.

alimentos que protegem os dentesCastanhas e amêndoas

Alimentos duros e de difícil digestão colaboram com a limpeza da boca, aumentando a salivação. A saliva já faz esse trabalho naturalmente e sua função fica ampliada, reduzindo a placa e prevenindo o mau hálito.

Queijos e derivados

Uma proteína chamada caseína, aliada ao cálcio e fósforo presentes nos produtos lácteos, ajuda na manutenção do esmalte dos dentes. Os queijos duros também aumentam a salivação, limpando e neutralizando o pH da boca, tornando-o menos ácido.

Cenoura

A cenoura é mais um dos ótimos alimentos que protegem os dentes e contêm fibras. Comido cru, ainda tem outra vantagem, pois é bastante duro, estimulando a salivação e promovendo a limpeza bucal.

Hortelã

Além de refrescante, a hortelã tem um cheiro gostoso, colaborando para um hálito agradável. Mascar a folha também estimula a produção de saliva, ajudando a prevenir problemas bucais.

Espinafre e vegetais verde-escuros

As folhas verdes são ricas em fibras, aumentando a salivação. São alimentos que protegem os dentes reduzindo o acúmulo de placa bacteriana e melhorando o hálito.

Pepino

Esse vegetal, que já é utilizado em tratamentos de beleza, é também um ótimo aliado dos dentes. O pepino também é um estimulador de produção de saliva, além de limpar os dentes e remover bactérias da boca.

Pera

Esta fruta ajuda a eliminar a placa bacteriana e aumenta o fluxo de saliva, porque é firme e fibrosa.

Maçã

A maçã é o mais conhecido dos alimentos que protegem os dentes. Há consenso geral sobre sua importância na limpeza, na prevenção das cáries e no fortalecimento da arcada dentária. Fibrosa e dura, a maçã faz uma espécie de escovação natural nos dentes. Porém, seu consumo não exclui a higienização, pois a fruta também pode aumentar a acidez bucal.

Como potencializar a ação dos alimentos que protegem os dentes

Sozinhos, os alimentos detergentes têm uma ação restrita. Eles ajudam a limpar os dentes de forma natural e sadia. Contudo, o tripé da prevenção é formado por alimentação saudável, higienização correta e acompanhamento odontológico. De nada adianta limpar a superfície dos dentes e manter os resíduos alimentares na boca.

Da mesma forma, a higienização bem feita não é suficiente para uma limpeza oral completa. As visitas periódicas ao dentista fecham o cerco às doenças bucais e monitoram qualquer tipo de anormalidade em dentes e gengivas.

Portanto, o melhor caminho para ter dentes fortes e sadios é a soma dos três fatores. Escovação três vezes ao dia, aliada ao fio dental, acompanhamento odontológico e alimentação rica em alimentos que protegem os dentes.

Alimente-se bem, faça uma boa higienização bucal e encontre o seu dentista na rede credenciada da Uniodonto Uberlândia!

 

convênio odontológico

5 dicas para lucrar com um convênio odontológico

By Notícias No Comments

5 dicas para lucrar com um convênio odontológico

convênio odontológico

Na hora de planejar sua vida financeira, inclua um convênio odontológico. Afinal, cuidar da saúde é fundamental, mas deixar seu orçamento a descoberto pode ser sinistro. Por isso, optar por um plano odontológico é uma decisão lógica e racional. São muitas vantagens e benefícios claros e amplamente demonstrados para manter a sua boca saudável. Os cuidados frequentes com a saúde bucal, além de prevenir doenças odontológicas, dores e desconfortos, garantem qualidade de vida. Tudo isso é certo. Entretanto, o que veremos neste artigo são os ganhos financeiros adicionais àqueles visíveis no seu sorriso. Com a evolução tecnológica e uma presença digital maior das empresas, contratar um convênio odontológico ficou simples e prático.

 

Veja também:

Meu filho tem dentes tortos. O que fazer?

Rotina saudável é garantia de dentes limpos

5 indicativos marcantes de uma boca saudável

Como evitar a perda de dentes na velhice

 

Especialmente em momentos de crise e incertezas, a segurança de um convênio odontológico ajuda a manter calma e tranquilidade. Veja a seguir cinco ótimas dicas para cuidar de sua saúde bucal e ainda lucrar com isso.

Contrate um bom convênio odontológico que caiba no seu orçamento

convênio odontológico

Já sabemos que uma boca saudável representa boa mastigação, articulação eficiente da fala, dentes fortes e ausência de doenças odontológicas. Em resumo, qualidade de vida e bem estar. Para conseguir esse estado saudável, além de higienização correta e alimentação nutritiva, as visitas ao dentista são essenciais.

No consultório são feitas a avaliação clínica e a profilaxia. A recomendação é que esse acompanhamento odontológico seja semestral. Logo, faça as contas. Conte as pessoas de sua família e multiplique pelo valor de uma consulta ao dentista. Agora divida por seis.

Em seguida, faça uma cotação de um plano dentário. Verifique aquele que tenha uma boa cobertura e que seja coerente com seus ganhos mensais. No final, compare. Quanto você lucra ao término dos seis meses contratando um convênio odontológico?

Escolha uma cobertura que inclua exames e emergência

Exames como radiografias de vários tipos e testes de fluxo ou acidez salivar são caros. Adicione a esse custo os deslocamentos e perdas de tempo nas marcações. Agora, fique atento ao escolher sua cobertura, para que cubra os exames.

Coloque esse valor na sua lista de benefícios adicionais, além daquele da dica anterior. Além disso, empresas maiores podem ter mais clínicas completas credenciadas e comunicação interna automatizada, favorecendo rapidez nos pedidos de exames.

Lembre-se também das despesas gigantescas com acidentes envolvendo os dentes e infecções inesperadas. Portanto, contar com atendimento emergencial, sem ter que desembolsar nada, não tem preço.

Inclua toda a família no convênio odontológico

Cada pessoa tem suas características próprias, mesmo tendo a mesma base genética. Crianças e adolescentes podem necessitar de tratamentos de correção e estéticos. Salvo exceções, adultos estão sempre expostos ao estresse e à falta de tempo. E os idosos podem ser reféns de problemas que derivam do histórico de vida e possíveis cuidados bucais insuficientes.

Agora imagine tudo isso de uma vez só. Não há como prever a ocorrência de eventos de dor de dente, quebra de próteses ou má oclusão.

Outro aspecto é a tendência em adiar os acompanhamentos odontológicos, devido aos altos valores na rede particular. No momento pode parecer a melhor solução, mas, ao longo do tempo, problemas mais sérios podem surgir. E, no final, a economia vai por água abaixo. Com um convênio odontológico acontece o contrário. Afinal, você já está pagando e não vai desperdiçar.

Faça uma rotina preventiva para as crianças desde o primeiro ano de vida

Acostumar as crianças com os bons hábitos de prevenção bucal pode trazer muita economia. Acredite que é possível uma vida inteira sem cáries ou doenças odontológicas, desde que as recomendações sejam seguidas. Esse benefício pode ser adicionado, inclusive, no futuro orçamento delas, quando crescidas e completamente saudáveis.

Use sempre, sempre e sempre

Com um convênio odontológico, a regra é essa: use. Use sempre. E, então, a cada vez que utilizar além das consultas regulares, contabilize um orçamento particular na sua conta de benefícios. Seu bolso agradece. Responda saudavelmente com um sorriso!

Conheça os planos da Uniodonto Uberlândia. Valorize seu dinheiro e sua saúde bucal!

cárie dentária

Cárie dentária: podemos viver toda a vida sem ela?

By Notícias No Comments

Cárie dentária: podemos viver toda a vida sem ela?

cárie dentária

E se chegássemos ao fim da vida sem nenhuma cárie dentária? Você já pensou nisso? Porém, na maioria dos casos, esta já não é mais uma probabilidade. Afinal, quase todos nós já enfrentamos o dentista com alguma ocorrência de cáries. Mas, e as crianças nascidas agora? Será possível cuidar para que elas cheguem à velhice sem nunca ter tido sequer uma cárie dentária? Sim, é uma possibilidade real. Os dentes não têm data de validade, mas podem sofrer desgaste se agredidos todos os dias. Uma alimentação deficiente e a falta de cuidados preventivos pode abrir caminho para as doenças bucais, como a cárie dentária. Então, a milagrosa fórmula para garantir a saúde bucal de um ser humano é somar uma boa dieta com prevenção efetiva.

 

Você vai gostar de ver também:

5 dicas valiosas para escolher a melhor escova dental

Qual é o trabalho de cada dente?

Como usar o fio dental corretamente?

Como escolher o melhor creme dental?

 

Primeira infância sem cárie dentária

Os bebês devem começar a frequentar o consultório do dentista desde antes de completar um ano. Dessa forma, o profissional pode prevenir as cáries e acompanhar o crescimento das arcadas. Além disso, promove a familiaridade com o ambiente, preparando a criança para as futuras consultas.

Outro fator muito importante é o aleitamento materno por períodos prolongados. A amamentação protege contra a formação de cárie dentária e auxilia no encaixe correto dos dentes. Isso ocorre devido ao conjunto das ações de sucção, deglutição e respiração pelo nariz, sincronizadas.

Até os dois primeiros anos, os pais devem evitar oferecer alimentos e bebidas doces, que desmineralizam os dentes. As manchinhas brancas que podem ocorrer nessa fase são resolvidas com aplicação de flúor pelo odontopediatra.

Juventude sem açúcar

A recomendação dos especialistas para a ingestão de açúcar é de 10% do total de calorias ingeridas por dia. Isso dá, em média, cerca de 10 colherinhas de chá diárias, no máximo. O açúcar é transformado em ácido pelas bactérias da boca, que passa a agredir os dentes, favorecendo a cárie dentária.

A saliva tem como funções equilibrar a acidez na cavidade oral e repor os minerais do dente. Porém, dependendo da quantidade de doces, esse trabalho pode se tornar muito difícil de ser feito naturalmente.

Devemos lembrar que a preocupação com as cáries não é restrita aos dentes permanentes. Os decíduos acompanham a criança durante toda a infância e devem ser cuidados da mesma forma. Afinal, os dentes de leite só serão substituídos na hora certa. A perda de um deles prejudica a formação do definitivo, que pode vir a nascer torto ou fora de lugar.

Tanto a criança quanto o adolescente são presas mais fáceis da cárie dentária. A primeira, pela falta de coordenação motora e imaturidade, que prejudicam as ações de higiene bucal. O segundo, pela rebeldia e rotina atribulada. Em comum, ainda existe o consumo de lanches repletos de alimentos cariogênicos.

Alimentação equilibrada para uma vida saudável

A boa alimentação é, sem dúvida nenhuma, o combustível da saúde, aliada à ingestão de água em quantidade adequada. A ressalva contra o açúcar é séria, embora seja difícil de praticar. Porém, é responsabilidade dos adultos estimular e motivar a prática de uma dieta equilibrada.

Hábitos saudáveis começam na família e fazem bem para todo mundo. Os alimentos pegajosos e doces devem ser substituídos por bastante verduras, vegetais e frutas. Grande parte das frutas ajuda na limpeza dos dentes e diminui o desejo por guloseimas. Direto para a lancheira, então!

Uma vida inteira sem cárie dentária

cárie dentária

Por fim, chegamos à higiene bucal. As boas práticas de higienização devem fazer parte da rotina de crianças e adultos. Desenvolvê-las desde pequenos faz com que se transformem em hábitos para a vida inteira.

A escovação três vezes ao dia e o uso diário do fio dental devem ser seguidos por acompanhamento profissional frequente. Deixar o dentista para os momentos de dor significa deixar que a cárie dentária se instale. Os exames clínicos diagnosticam os problemas antes que apareçam.

Portanto, com uma boa dieta, higienização adequada e a ajuda do dentista, podemos chegar a uma vida inteira sem cáries. Prevenção e cuidados desde criança permitem chegar à velhice com uma boca saudável e sem nenhuma cárie dentária.

Facilite a sua rotina com os planos odontológicos da Uniodonto Uberlândia. Uma vida inteira sem aperto, sem dor e sem cárie dentária!

 

perda de dentes

Como evitar a perda de dentes na velhice

By Notícias No Comments

6 cuidados para evitar a perda de dentes na velhice

perda de dentes

A verdade é uma só: a perda de dentes, exceto em casos de traumatismos, ocorre devido a patologias bucais. De fato, doenças que poderiam ser tratadas e, mais ainda, prevenidas. A perda de dentes não é uma coisa natural, ou seja, os dentes não estão programados para cair. Esse mito é proveniente das ocorrências nas gerações anteriores, que desconheciam os cuidados necessários para a manutenção da saúde bucal. Mas, mesmo as pessoas que hoje são sexagenárias, tiveram acesso a informações importantes quanto à preservação dos dentes. O documento Saúde Bucal no Sistema Único de Saúde, do Ministério da Saúde, mostra que o Programa Dentário Escolar foi implantado no Brasil na década de 1960.

 

Veja também:

Qual a idade certa para obter dentaduras?

7 mitos sobre tratamento odontológico na terceira idade

Odontogeriatria: cuidados especiais na saúde bucal de idosos

 

Assim, a prevenção, somada aos cuidados específicos para essa faixa etária, permite que uma boca seja saudável até o final dos dias. É certo que outras doenças externas ao aparelho bucal podem afetar a saúde oral, mas seus efeitos também podem ser prevenidos. Com cuidado e assistência profissional, a qualidade de vida dos idosos pode e deve ser mantida.

Como evitar a perda de dentes na velhice

perda de dentes

Evitar as doenças bucais como as cáries, inflamações gengivais e a periodontite é a principal tarefa de adultos conscientes. A perda de dentes decorrente dessas doenças não tem relação com a idade, mas com a falta de medidas preventivas. Por esse motivo, atenção para a primeira dica de cuidados com a saúde bucal.

Higienização diária e caprichada

A limpeza correta dos dentes, gengivas e língua deve ser feita através da escovação pós refeições e antes de dormir. A escova deve ter cerdas macias e o creme dental conter flúor. Para finalizar a higienização, é importante utilizar o fio dental, principalmente após a última escovação do dia.

Nos casos onde houver limitação física, o idoso deve ter a ajuda de um cuidador ou fazer uso de uma escova elétrica. De qualquer forma, a higienização é muito importante para que a pessoa mantenha sua capacidade para falar e se alimentar.

A higiene bucal também evita doenças que as bactérias da boca poderiam provocar no organismo. Esses microrganismos, quando em excesso, podem cair na circulação e chegar até outros pontos do corpo. Nesses casos, podem provocar infecções e doenças como a endocardite.

Atenção para os efeitos das enfermidades externas à boca

Quadros como o de diabetes e o uso de determinados medicamentos podem interferir na saúde bucal. Além de afetar a produção de saliva, deixam o sistema imunológico vulnerável. Dessa maneira, facilitam as infecções por bactérias e fungos e favorecem o aparecimento das doenças periodontais.

Essas patologias podem atacar as estruturas ósseas de suporte dos dentes, podendo levar à perda de dentes.

Hidratação e prevenção contra a Boca Seca

A Xerostomia, mais conhecida como boca seca, é caracterizada pela redução na produção de saliva. Pode estar relacionada a medicamentos, quimioterapia e a algumas enfermidades. A diminuição da saliva dificulta a alimentação e a mastigação, além de prejudicar sua função de proteção e remineralização dentária.

A hidratação deve ser, portanto, uma preocupação constante das pessoas na velhice. Beber bastante água, mesmo sem sede, é bom para a saúde e ajuda a regular a produção de saliva. Um profissional da odontologia pode também prescrever algum medicamento para evitar a ocorrência da boca seca.

Alimentação equilibrada

Uma boa alimentação é preventiva em todos os sentidos. Evitar gorduras, excesso de sal e de açúcar é recomendável em todas as idades. Priorizar verduras, frutas e fibras é especialmente bom para os dentes, pois ajuda na limpeza e no fortalecimento.

Cuidado especial com as próteses

Aftas, ferimentos ou incômodos na boca podem ser indicativos de problemas de ajuste nas próteses. Nesse caso, o dentista deve ser avisado para que faça as correções. Se já houve perda de dentes e há próteses removíveis, estas devem ser limpas fora da boca.  Existem escovas, pastas e soluções efervescentes específicas para a limpeza das peças.

Acompanhamento odontológico periódico

A visita ao dentista é, depois da higienização, o cuidado mais importante. É ele que vai poder identificar e acompanhar, inclusive, os outros cuidados necessários. O profissional especializado para esse público é o odontogeriatra, que vai detectar e tratar os problemas bucais recorrentes nessa idade.

O acompanhamento é necessário para prevenção e diagnóstico, profilaxia adequada e tratamentos. Nas consultas, o dentista pode também identificar e prevenir casos de câncer de boca.

Uma bonito sorriso não é privilégio dos mais jovens. Ao longo da vida, medidas preventivas devem ser tomadas para manter um sorriso agradável e evitar a perda de dentes.

Previna-se! Faça o seu plano odontológico na Uniodonto Uberlândia e programe a manutenção da sua qualidade de vida!  

melhor aparelho ortodôntico

Como escolher o melhor aparelho ortodôntico?

By Notícias No Comments

Como escolher o melhor aparelho ortodôntico?

melhor aparelho ortodônticoAté o final do século passado, usar “aparelho nos dentes” era motivo de tristeza e sofrimento. O sorriso metálico era desconfortável e considerado um motivo de discriminação entre os jovens. Porém, já há muitos anos isso mudou. De acessório feio passou a ser visto como um símbolo de cuidado e mais um adereço a ser customizado. E, atualmente, existem inúmeros modelos que se adequam perfeitamente a cada estilo de vida. Com isso, tratamentos antes utilizados apenas por adolescentes, hoje melhoram a qualidade de vida de crianças e adultos. De fato, respeitando a necessidade específica, pode-se escolher o melhor aparelho ortodôntico para cada idade, perfil e disponibilidade financeira.

 

Veja também:

15 males que podem ser evitados com consultas regulares ao dentista

Ciência do sorriso: por que sorrir é um santo remédio?

Síndrome do super-homem: por que os homens precisam cuidar da saúde bucal?

 

Aliada à evolução tecnológica, a crescente adesão aos planos odontológicos também facilitou o acesso a tratamentos mais caros e especializados. Que bom! Isso significa que mais pessoas aceitam e aderem aos tratamentos de correção dentária, em benefício da saúde e da estética.

Como reconhecer o melhor aparelho ortodôntico para o seu problema?

melhor aparelho ortodôntico

Somente após uma avaliação cuidadosa, um especialista pode diagnosticar um problema bucal e recomendar a utilização de aparelhos. De acordo com a classificação do problema e identificação do tratamento, é feita a escolha pelo melhor aparelho ortodôntico.

Aparelho ortopédico ou móvel

Esse modelo é utilizado principalmente até a idade de 12 anos, pois sua função é alterar a estrutura óssea. Em crianças em fase de crescimento, essas correções são mais fáceis e efetivas. Deve ser usado constantemente, sendo removido apenas para alimentação e higienização.

Mesmo para esse público, o aparelho pode ser mais atrativo. A personalização com personagens de histórias infantis pode ser um grande incentivo ao tratamento.

Aparelho fixo metálico

Apesar de muito caro há algumas décadas, os aparelhos metálicos atualmente são bem acessíveis. Nesse caso, a correção dentária é feita através de força mecânica aplicada apenas aos dentes, provocando uma movimentação.

É bastante utilizado na adolescência e, por isso, existem várias opções de customização. As borrachinhas que ligam o fio aos braquetes podem ter várias cores e formas, deixando o aparelho moderno e divertido.

Aparelhos fixos estéticos

Um modelo mais discreto pode ser uma opção para quem busca o melhor aparelho ortodôntico na maturidade. Nesses aparelhos, os braquetes são quase transparentes, apesar de terem a mesma função dos metálicos.

Aparelho fixo estético de porcelana

A porcelana é bem elegante, apesar de dar um aspecto leitoso e opacos aos braquetes. Além de ser muito resistente, não quebra com facilidade e é mais barata do que a versão em safira.

Aparelho fixo estético de safira

Feito com porcelana monocristalina, que torna os braquetes quase invisíveis. É um modelo mais resistente que o de porcelana, não amarela e sofre menos desgaste no local do fio metálico.

Aparelho fixo autoligado

A diferença desse modelo é a forma como o fio ortodôntico é preso. Um sistema de ganchos forma uma espécie de porta que prende o fio, dispensando as borrachinhas do modelo tradicional.

Aparelho lingual

O aparelho lingual é indicado para atletas de esportes de contato, pois os braquetes são colocados nas costas dos dentes. Apesar de bastante discreto, não é indicado para tratamentos longos, porque prejudica a acomodação da língua.

Aparelho alinhador invisível

Na verdade, é uma sequência de moldeiras transparentes de acetato, feitas sob medida e trocadas várias vezes durante o tratamento. Pode ser usado para correção estética em crianças, jovens e adultos. Sua grande vantagem é ser removível, facilitando a alimentação e a higienização.

Além disso, é discreto e confortável, podendo ser considerado o melhor aparelho ortodôntico, se houver opção de escolha. Entretanto, ele deve ser utilizado por, no mínimo, 22 horas por dia.

Expansor palatino

Responsável por alargar o céu da boca, é indicado para pessoas com mordida cruzada ou arco superior da boca muito estreito. É um aparelho fixo, preso aos dentes nas laterais. É mais recomendado para os jovens, sendo a cirurgia o procedimento mais comum em adultos.

O melhor aparelho ortodôntico para exibir o seu melhor sorriso

A escolha do melhor aparelho ortodôntico é necessariamente compartilhada entre o dentista e o paciente. Procurar um especialista atualizado com os modernos tratamentos ortodônticos é importante. Um bom ortodontista será peça fundamental para definir a opção ideal para que você expresse o seu melhor sorriso.

 

Acesse Uniodonto Uberlândia, contrate um de nossos planos e conte com excelentes especialistas para encontrar o seu melhor aparelho ortodôntico.

 

Meu filho tem dentes tortos. O que fazer?

By Notícias No Comments

Meu filho tem dentes tortos. O que fazer?

A má oclusão é um assunto recorrente devido à sua importância na saúde das crianças, no presente e no futuro. Ao observar a presença de dentes tortos nos filhos, a primeira atitude dos pais deve ser procurar um odontopediatra. Isto porque a maioria dos problemas desse tipo são mais facilmente tratados durante a fase do crescimento. A idade ideal para avaliação da dentição é por volta dos seis anos. Nessa idade, a criança já consegue utilizar corretamente os aparelhos e colaborar com os tratamentos. Contudo, as consultas com o dentista devem ocorrer desde o rompimento dos primeiros dentes. Dessa maneira, o profissional pode acompanhar a normalidade da dentição e identificar o aparecimento de dentes tortos.

 

Você vai se interessar também:

Os segredos para cuidar dos dentes de leite

Odontopediatria: saiba mais sobre esta especialidade médica

Como avaliar a arcada dentária infantil?

Como é uma consulta odontopediátrica?

 

Entretanto, a partir dos 6 anos de idade, esse monitoramento é indispensável, devido à troca pelos dentes permanentes. As visitas ao dentista devem ser periódicas, avaliando o crescimento facial e identificando as correções necessárias, no momento certo. Esse cuidado ajuda a evitar tratamentos longos e dolorosos.

Quando tratar os dentes tortos?

Existem casos especiais, como a perda precoce de um dente de leite, que demandam um tratamento preventivo. Nessa situação, o uso de um aparelho serve para reservar o espaço para o nascimento do dente permanente. Isso evita que os dentes se fechem e ocupem o lugar do novo dente, provocando inclinações anormais.

Porém, as situações frequentes de desalinhamento se mostram quando:

  • Os dentes definitivos estão nascendo apinhados;
  • A arcada inferior, ou até mesmo o queixo, se apresenta adiantada em relação à arcada superior;
  • A assimetria da face está comprometida;
  • O queixo está visivelmente para trás;
  • A criança, ao falar, projeta a língua entre os dentes.

Além disso, quando a criança respira pela boca ou apresenta sinais de bruxismo, deve receber acompanhamento constante. O mesmo acontece quando rói unha, chupa o dedo ou a chupeta. Estes hábitos favorecem o surgimento de problemas como dentes tortos.

Como fazer a avaliação para identificar dentes tortos?

Questões genéticas, como malformações ósseas faciais ou posição incorreta do broto dentário, e alguns hábitos influenciam na posição dos dentes. Por isso, é importante acompanhar e avaliar a arcada de uma criança. Os dentes tortos comprometem a estética, a mastigação e a respiração, além de dificultar a higiene bucal.

Depois de identificada uma suspeita de anormalidade pelo odontopediatra, um ortodontista deve ser consultado. Ele é o profissional mais indicado para avaliar a estrutura dentária, o grau do defeito e a melhor forma de correção. Técnicas como raios X, fotos intraorais, exames de mordida e moldes dentários são utilizadas para auxiliar no reconhecimento.

Tratamento para correção dos dentes tortos

Com base na análise do caso, a utilização de aparelhos ou outros dispositivos ortodônticos pode ser indicada para a correção. Os aparelhos constituem a principal forma de garantir um alinhamento dentário perfeito. De fato, eles forçam lentamente a movimentação dos dentes até a posição ideal, por meio de tração.

Já existem modelos de aparelhos modernos, práticos, confortáveis e mais atrativos. Porém, de qualquer forma, os procedimentos iniciados podem ser demorados e demandar manutenção frequente. A criança está em fase de crescimento e toda a estrutura bucal também sofre alterações.

Dessa forma, o tratamento vai sendo adaptado de acordo com as mudanças ocorridas. Os cuidados diários também são de extrema importância, pois são mais específicos e demorados. Assim, com atenção e paciência, os resultados serão duradouros e da forma esperada.   

Por que corrigir e alinhar os dentes do seu filho?

Além de diminuir a incidência de cáries, o mau hálito e outras doenças bucais, o tratamento promove:

  • Aumento da autoestima;
  • Desenvolvimento normal da fala;
  • Mastigação correta e, portanto, uma melhor alimentação;
  • Manutenção da integridade das gengivas e dos ossos;
  • Facilidade para realizar a limpeza dos dentes;
  • Redução nos problemas de articulação resultantes de mordida irregular.

Portanto, prevenção e tratamento de uma situação de dentes tortos é fundamental para a saúde física e emocional das crianças. As consultas semestrais ao dentista identificam e possibilitam um tratamento precoce e eficiente.

Conte com os melhores odontopediatras da Uniodonto Uberlândia para garantir um sorriso bonito e um crescimento saudável para os seus filhos. Visite o site e conheça um novo jeito de adquirir planos odontológicos.

5 dicas valiosas para escolher a melhor escova dental

By Notícias No Comments

5 dicas valiosas para escolher a melhor escova dental

Escovar os dentes é a principal prática para a prevenção da cárie e das doenças periodontais. Mas, para que essa prevenção seja efetiva, alguns cuidados devem ser tomados. O primeiro deles é aprender as técnicas corretas para uma boa escovação. Para isso, é importante conversar com o seu dentista e tirar todas as dúvidas. Por exemplo, uma escovação forçada pode ser mais prejudicial do que proveitosa. Em seguida, é fundamental escolher bem os equipamentos e produtos que vamos usar no dia a dia. A escova dental, o creme e o fio ideais dependem de características individuais e de avaliação de um profissional. Porém, existem algumas boas dicas gerais para fazer desses utensílios verdadeiros aliados dos seus dentes e do seu sorriso.

 

Veja também:

Como usar fio dental corretamente?

8 dicas para escolher fio dental

Como escolher o melhor creme dental?

Ciência da sorriso: por que sorrir é um santo remédio?

 

Uma escovação adequada deve durar de 2 a 3 minutos, sempre que possível. Quando ela é bem feita, remove placas bacterianas, restos de alimentos e bactérias, evitando as cáries. Por isso, é extremamente importante escolher uma boa escova dental para manter dentes limpos, sem agredir as gengivas.

Praticando a escovação de forma correta

Durante o tempo da escovação, devemos fazer movimentos suaves e curtos com a escova dental, estendendo até a margem gengival. Os dentes do fundo, que são difíceis de alcançar, e aqueles com restaurações e coroas merecem atenção especial.

Deve-se procurar escovar as superfícies externas de todos os dentes superiores e inferiores. Logo depois, a superfície interna, e, na sequência, as superfícies de mastigação. Por último, a língua também deve ser escovada e limpa.

Escolhendo a melhor escova dental

Existem inúmeros modelos de escova dental nas farmácias e supermercados, de todos os tamanhos, formatos, cores e preços. Contudo, vamos nos ater àquelas que, de uma maneira geral, atendem à maioria das pessoas.

Formato da cabeça

Por incrível que pareça, as melhores escovas são as de cabeça pequena, especialmente as ovaladas. Uma escova dental com uma cabeça muito grande pode ser desconfortável e ineficiente. O acesso aos dentes posteriores fica prejudicado e a tendência é achar que com poucos movimentos a escovação já terminou.

Maciez das cerdas

Como já dissemos, a escovação forçada não é recomendada, em especial quando a escova dental é dura. O ideal é escolher cerdas macias ou extra macias, que limpam sem lesionar as partes moles da boca. As cerdas duras e médias podem aumentar o risco de desgaste do esmalte dentário, além de retrair a gengiva.

Número de cerdas

Apesar de a escova dental ideal ter a cabeça pequena, ela deve ter uma concentração maior de cerdas. Isto quer dizer que os tufos onde elas estão agrupadas devem ser mais robustos, mais cheinhos. Dessa forma, a superfície dos dentes alcança um grau de limpeza maior.

Um tipo de escova dental para cada idade

A higiene dental deve começar cedo, e a escovação, logo após o nascimento dos primeiros dentinhos. Entretanto, para as crianças pequenas de até 6 anos, a escova dental deve ter características especiais. Deve-se escolher um modelo de cabeça bem pequena e anatômica, cerdas arredondadas, ultra macias, e cabo emborrachado.

Crianças maiores já podem usar uma escova não tão macia, de cabeça oval e com mais cerdas. O cabo ainda deve ser de textura e formato que facilite o manuseio. É interessante que as escovas infantis sejam atrativas e divertidas, estimulando a realização da higiene bucal.

A partir da adolescência, a escova dental pode ter o mesmo modelo do adulto.

Tipo de cabo

O ideal é o cabo sextavado, facilitando a angulação correta, e flexível. O cabo deve ajudar para que a escova se adapte ao formato das arcadas, atenuando a força aplicada na escovação. Os modelos emborrachados são também mais cômodos.

Conservando a escova dental

Para uma melhor conservação, a escova deve ser limpa após o uso e mantida de forma a ter uma secagem rápida. Deve ser guardada em local protegido e sem contato com outras escovas. Escovas cujas cerdas estão abertas ou emaranhadas perdem sua eficiência.

Uma escova dental tem vida útil de 3 meses, em média, e então precisa ser trocada. Porém, esse período depende da qualidade da escova e da utilização. Quem tem aparelho ortodôntico certamente vai precisar trocar em menos tempo.

Pronto para escolher sua nova escova dental? A Uniodonto Uberlândia está com você nos detalhes do dia a dia e sempre que precisar. Conheça nosso site e contrate um plano odontológico em 5 segundos.

 

Como escolher um consultório odontológico

By Notícias No Comments

6 critérios para escolher um consultório odontológico

Escolher um consultório odontológico para você e sua família é uma tarefa que exige cuidado. Profissionais competentes, instalações e equipamentos adequados, um bom ambiente, higiene e preço acessível são fundamentais. Alguns aspectos são facilmente identificáveis, outros nem tanto. Portanto, é preciso se informar, estudar e avaliar algumas variáveis Listamos aqui mais 6 questões importantes na escolha de uma clínica dentária. Vamos considerar como certa a legalidade da clínica e que as qualificações técnicas se equivalem de acordo com as especialidades. Além destes, então, quais outros fatores podem influenciar na escolha de um consultório odontológico?

1 – Indicação do consultório odontológico por parentes e amigos

Esse é, sem dúvida, o critério que está no topo do ranking de importância. Afinal, pessoas de confiança recomendam o trabalho daqueles profissionais. Pessoas que tiveram experiências satisfatórias e que conseguiram ver seus problemas resolvidos.

Mas é também uma boa prática, procurar por recomendações e avaliações na internet. Os comentários negativos servem de alerta.

2 – Disponibilidade

A visibilidade e a facilidade para ser encontrado nos meios de consulta torna mais provável uma definição. É difícil optar por alguma coisa que não se encontra facilmente. Da mesma forma, a disponibilidade dos profissionais às dúvidas e solicitações dentro dos atendimentos aumenta a empatia e a confiança.

3 – Atendimento

Desde o primeiro contato, seja por telefone, site ou aplicativo, a atenção e o cuidado no atendimento pode fazer a diferença. Mesmo que em outros quesitos o consultório odontológico seja cinco estrelas, se não há cordialidade e agilidade, nada feito. Não é uma experiência muito agradável pagar para ser mal tratado.

A preocupação com o paciente deve continuar, inclusive, depois dos tratamentos, no pós-atendimento. Afinal, é mais fácil voltar quando nos sentirmos importantes e especiais.

4 – Ambiente e espaço físico no consultório odontológico

Encontrar um ambiente agradável e limpo e equipamentos modernos em boas condições causa uma boa impressão. Além disso, o espaço físico do gabinete do dentista deve permitir condições confortáveis de trabalho, propiciando mais qualidade ao atendimento.

Higienização adequada, produtos de qualidade e utilização de materiais descartáveis aumentam a confiança e dão segurança e tranquilidade.

5 – Localização e estrutura do local

Um consultório odontológico bem instalado, climatizado e confortável ganha alguns pontos na hora da escolha. Uma localização em local de fácil acesso e segura, próxima a conveniências, também ajuda.

6 – Preços praticados no consultório odontológico

Chegamos ao preço, que é um item importante, porém não determinante na hora de escolher um consultório odontológico. É claro que um orçamento exorbitante pode ser proibitivo, mas quase sempre é uma questão de negociar. Valores muito baixos podem ser arriscados, se estiverem muito abaixo da média.

Planos odontológicos permitem maiores opções de escolha

Em resumo, excelência no atendimento, comodidade, estrutura, ambiente, preço e recomendações são fundamentais na escolha de um consultório odontológico. Mas é possível encontrar tudo isso sem ter que gastar muito esforço.

Escolhendo um plano odontológico de uma boa operadora, o acesso à rede credenciada facilita uma avaliação mais rápida e eficiente. Uma rede ampla permite encontrar clínicas em diversas regiões da cidade com qualidade atestada.

Uma outra vantagem é a despreocupação com o preço cobrado, pois tudo é pago através das mensalidades do plano. E os profissionais e estabelecimentos credenciados são acompanhados constantemente, garantindo segurança e confiabilidade.

Escolha um plano odontológico Uniodonto Uberlândia e tenha a certeza de encontrar o melhor consultório odontológico para você e sua família.

Como é feito o credenciamento de dentistas?

By Notícias No Comments

Você sabe como é feito o credenciamento de dentistas?

Uma empresa de prestação de serviços é reconhecida pela qualidade desses serviços, quando prestados. Portanto, é de fundamental importância a qualidade dos profissionais responsáveis pelo execução do trabalho. Na área da saúde esse aspecto é ainda mais relevante porque trata de seres humanos, sua vida e bem estar. Uma operadora de planos odontológicos possui um grande número de credenciados que formam a imagem da empresa. Todo o cuidado na seleção dos profissionais, clínicas e consultórios deve ser tomado, visando preservar o melhor padrão de qualidade. É direito dos usuários conhecer os parâmetros que permeiam o credenciamento de dentistas que cuidarão de sua saúde bucal.

 

Você pode gostar de ver também:

Rotina saudável é garantia de dentes limpos

Urgência odontológica: a clínica 24 horas

Como manter dentes saudáveis com a rotina estressante do século XXI?

Qual a relação entre saúde mental e saúde bucal?

 

As empresas que operam com planos podem ser empresas jurídicas ou cooperativas. No caso das empresas comuns, normalmente o profissional apresenta sua documentação e, se aprovado, passa a ser um prestador de serviço. Já nas cooperativas, o credenciado passa a ser um cooperativado, ou seja, participa da empresa como sócio.

Informações necessárias para o credenciamento de dentistas

A documentação exigida do profissional que pretende ser um credenciado segue as demais formas de contratação. Devem ser apresentados o currículo, diploma, certificação atualizada do CRO, títulos de especialização e documentos pessoais. Algumas corporações podem exigir ainda outros documentos.

No caso de clínicas e consultórios, o credenciamento é feito como pessoa jurídica, portanto, os seguintes documentos são necessários:

 

  • Contrato social e a última alteração contratual;
  • Alvarás de funcionamento e da vigilância atualizados;
  • Cartão CNPJ;
  • Inscrição no cadastro municipal de contribuintes ou ISS avaliado pela prefeitura, com o comprovante do último pagamento feito;
  • Certificado de inscrição no CRO e da entidade atualizados;
  • Certificado do CNES e comprovante de pagamento da última taxa de fiscalização da clínica ou consultório;
  • CRO do responsável técnico.

Através desse cadastro, forma-se a rede de credenciamento de dentistas. Dessa maneira, com as informações, a operadora pode avaliar a idoneidade do profissional, formação técnica e a legalidade da empresa.

O objetivo das perícias odontológicas

Muitas operadoras, depois de montada a rede de credenciamento de dentistas, mantêm um sistema de perícia ou cruzamento de dados. Esse sistema de monitoramento tem a função de verificar a pertinência do tratamento solicitado. É uma segurança tanto para os segurados quanto para os profissionais credenciados, que recebem sobre os serviços executados.

O documento Regulação e Saúde, da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), mostra a evolução na forma de controle das operadoras. Segundo ele, torna-se um diferencial quando “todos os procedimentos realizados em um determinado paciente, independente da especialidade, ficam registrados em uma ficha clínica única em posse da operadora”.

Como extrair o melhor da rede credenciada

A tecnologia é, hoje, uma aliada em praticamente todos os aspectos. Através do portal da operadora, pode-se consultar o melhor profissional para um determinado caso, desde o endereço até a especialidade. Além de ser possível verificar se no local existe a possibilidade de mais de uma modalidade de tratamento, facilitando deslocamentos.

Dessa forma, é bastante recomendável, ao contratar um plano, verificar todas as características da empresa que o oferece. Uma grande operadora, com solidez no mercado, tem maior facilidade para gerenciar seu credenciamento de dentistas. A visibilidade e a estrutura consistentes atraem os melhores profissionais e clínicas. É uma boa ideia verificar, antes de comprar, qual o número de credenciados na cidade e se são de especialidades variadas.

Mesmo que o plano ofereça determinada cobertura, pode não haver bons profissionais da área ligados à empresa. Então, nesse caso, os procedimentos podem não ocorrer ou não ter os resultados esperados. Outro aspecto importante para quem não quer perder tempo é avaliar o quanto é possível resolver através dos meios digitais.

Uniodonto Uberlândia

A cooperativa integra o Sistema Uniodonto Brasil e conta com mais de 500 profissionais de odontologia em sua rede credenciada na região. Ao todo, no Brasil, o sistema mantém mais de 22 mil dentistas. Com isso, garante ao beneficiário atendimento de qualidade, em qualquer cidade do país.

O site da Uniodonto Uberlândia é um portal digital com todas as facilidades para que o usuário tenha soluções na palma da mão. A opção Encontre seu dentista permite consulta por nome, local, especialidade ou tipo de clínica. Dessa forma, fica mais fácil encontrar o profissional ideal dentre os inúmeros credenciados com alto nível de qualidade e especialização.

Por outro lado, é uma das que melhor pagam seus colaboradores, além de distribuir os recursos recebidos proporcionalmente ao tempo trabalhado. Ao mesmo tempo, possibilita à rede de credenciamento de dentistas comprar utensílios e materiais odontológicos diretamente da cooperativa.

Bom para os associados. Bom para os credenciados.

Acesse o site da Uniodonto Uberlândia e escolha um plano odontológico que oferece a você a maior e a melhor rede de credenciamento de dentistas.