All Posts By

Comunicação Uniodonto

17 inimigos dos dentes que vão surpreender você

By Notícias No Comments

17 inimigos dos dentes que vão surpreender você

Tudo que você come ou bebe reflete em sua saúde. A atenção com os hábitos alimentares é uma tendência das novas gerações, que possuem conhecimento e informação nas mãos. Essa é uma boa notícia. Ainda mais quando se trata da saúde bucal. Afinal, um sorriso bem cuidado e confiante abre muitas portas. Para manter sua boca e seus dentes bonitos e resistentes, o principal é manter uma rotina de higiene oral eficiente. Escovar sempre os dentes após as refeições, mantendo-os limpos e livres da placa bacteriana, é fundamental. Usar o fio dental ao menos uma vez ao dia e visitar o dentista de 6 em 6 meses são complementos indispensáveis. Porém, para não desperdiçar todos esses cuidados, identifique e afaste-se desses 17 inimigos dos dentes.

Alimentos inimigos dos dentes

1-Sucos cítricos em excesso

As frutas cítricas são muito benéficas à saúde, pois fornecem nutrientes e vitaminas. Porém, são abrasivas e podem  desgastar o esmalte dos dentes. Essa é a razão para consumir com moderação, e cuidar da boca após o consumo.

2-Vinagre

Esse produto costuma ser consumido por algumas pessoas de forma excessiva, na alimentação diária. Como é muito ácido, pode agredir a camada protetora dos dentes.

3-Chás escuros e café

As duas bebidas fazem parte da dieta da maioria da população, mas pertencem ao grupo de bebidas pigmentadas. Isto é, podem produzir manchas nos dentes.

4-Catchup

Além do catchup, alguns molhos e temperos possuem ingredientes ácidos, prejudiciais aos dentes. Entre os componentes do catchup estão o vinagre e o ácido acético. Portanto, deve ser evitado, assim como o curry.

5-Pipoca

Sobretudo as pipocas temperadas são ricas em carboidratos e açúcares que, quando fermentados, formam o ácido láctico, prejudicial aos dentes. É também um alimento pegajoso e com cascas que penetram no encontro dos dentes. Dessa forma, escovar os dentes depois da sessão cineminha deve fazer parte do ritual.

6-Massas e pães

Da mesma forma que a pipoca, as massas e os pães contêm ácido láctico. A recomendação é fazer a limpeza sempre que consumir esse tipo de alimento.

7-Chicletes e guloseimas

Devido aos açúcares, os doces e chicletes comuns devem ser evitados. Mesmo os modelos sem açúcar devem ser mascados por um período curto de tempo, pois causam erosão no esmalte dentário.

8-Gelo

Embora seja água e, portanto, não contenha nenhum componente prejudicial à saúde bucal, o gelo pode ser perigoso, se mordido. Essa prática é responsável por vários casos de rachaduras e fraturas nos dentes.

9-Água mineral

O processo de purificação da água, ao ser engarrafada, torna a água mais ácida. A ausência de flúor, que é um produto adicionado à água das torneiras, é outro fator negativo. Isso faz com que a água da tubulação seja mais indicada para o consumo.

10-Frutas secas

Como no caso das frutas cítricas, as frutas secas também são saudáveis e possuem muitos nutrientes. Porém, podem ser muito açucaradas, além de conter fibra de celulose não solúvel. Por isso, prefira as frutas frescas.

11-Vinho

Vinhos escuros pigmentam os dentes e os brancos são geralmente mais ácidos. Ao saborear um vinho, procure escolher alimentos menos coloridos, como acompanhantes. É uma dica para minimizar os efeitos da bebida sobre a cor dos dentes.

12-Batatas chips e salgadinhos

Depois de mastigados, esses alimentos se transformam em uma massa pegajosa, que gruda nos dentes, facilitando a formação de cáries.

Hábitos inimigos dos dentes

13-Cigarro

A nicotina e os diversos componentes do cigarro favorecem o aparecimento de manchas e escurecem o esmalte dos dentes. Além disso, prejudicam o tecido das gengivas.

14-Escovas duras

Ao comprar uma escova, escolha uma macia. As escovas muito duras machucam a gengiva e podem até mesmo desgastar o esmalte dos dentes, quando se coloca força.

15-Bruxismo

Quem sofre com o hábito involuntário de ranger dos dentes deve procurar tratamento especializado. O bruxismo pode provocar desgaste e fraturas nos dentes, além de fortes dores no rosto.

16-Roer unha e morder objetos

Além de serem anti-higiênicos e exporem ao perigo de contaminação por vírus e bactérias, esses hábitos são nocivos aos dentes. Afinal, eles são a causa de muitos acidentes com os elementos dentários, como lascas, quebras e fraturas.

17-Mastigar apenas de um lado

Outro hábito involuntário, que desequilibra o esforço da mandíbula. Um dentista deve ser consultado para avaliar quais são as possíveis causas desse costume.

Para cuidar da saúde bucal e manter um sorriso agradável aos olhos, conte com a Uniodonto Uberlândia. Acesse o site e contrate seu plano odontológico online e sem burocracia.

Recapeamento dos dentes: o preferido dos artistas

By Notícias No Comments

Recapeamento dos dentes: o procedimento preferido dos artistas

 

Um sorriso esteticamente perfeito e completamente branco é o sonho de muitos. Por isso, o recapeamento dos dentes é quase obrigatório entre as celebridades. Ele funciona como uma capinha colocada sobre os dentes, as facetas, com uma finalidade, na maioria das vezes, estética. Mas as facetas permitem também corrigir imperfeições, como diferenças no tamanho ou no espaçamento entre os dentes. Dessa forma, podem funcionar como recurso de reabilitação de algumas funções, como, por exemplo, da mastigação. De qualquer maneira, apenas um profissional especializado em dentística pode avaliar as condições do paciente e recomendar sua utilização.

 

Veja também:

5 coisas que você precisa saber antes de clarear os dentes

O que é preciso para quebrar um dente?

Planos odontológicos Uniodonto Uberlândia: a primeira opção para a família

Mascar chicletes e sua saúde bucal

 

Porém, a técnica tem uma desvantagem, que é a manutenção, pois o material pode estragar ou sofrer alterações na cor. Portanto, os cuidados devem ser redobrados e as visitas ao dentista, constantes.

Tipos de facetas para recapeamento dos dentes

As facetas são peças finas, feitas de material resistente, usadas para imitar a aparência natural dos dentes. Elas são coladas ao esmalte natural, na parte visível do dente, em procedimentos feitos exclusivamente no consultório.

A maioria dos especialistas utiliza as facetas de porcelana ou as lentes de contato, que são de uma porcelana mais fina. Mas existem também as feitas com resina, mesmo material utilizado nas obturações. A diferença entre os diversos tipos está na qualidade do material e, portanto, no preço do tratamento.

Facetas de resina

A correção feita com resina cumpre seu objetivo, mas pode resistir menos, já que o material sofre alterações de cor. A resina pigmenta com o tempo, devido aos corantes dos alimentos. Além disso, é mais frágil e mais opaca, ou seja, pode se quebrar mais facilmente.

Se o objetivo é apenas cobrir os dentes, a resina pode ser utilizada, mas precisa ser polida periodicamente. No caso de grandes correções, como no fechamento de espaços entre os dentes, o material é contra indicado. Esse tipo de faceta pode ser moldado diretamente na boca do paciente.

Uma das vantagens da resina no recapeamento dos dentes é o tempo de tratamento. Por causa disso, ela é a melhor opção em casos de urgências estéticas. Entretanto, o bruxismo é um fator de impedimento e dentes escurecidos por tratamentos de canal podem não apresentar resultados satisfatórios.

Os cuidados na preservação do brilho e cor das facetas de resina devem incluir, além do polimento, uma alimentação adequada. Deve-se evitar o consumo excessivo de alimentos pigmentados, como café e vinho e os refrigerantes e cítricos.

Facetas de porcelana

A porcelana é mais resistente, dura até 10 anos, e não pigmenta, pois possui características semelhantes ao esmalte natural. É moldada e feita sob medida, em laboratório, e é perfeita para as modificações de formato e alterações de cor. Porém, a superfície do dente necessita ser lixada, devido à espessura da capa, que varia entre 0,5 e 1,5 milímetros.

A porcelana proporciona um recapeamento dos dentes bem natural, bastante integrado à estrutura dentária e ao sorriso. Porém, é um tratamento considerado irreversível, o que demanda um estudo detalhado antes da decisão final pelo procedimento.

Lentes de contato

A diferença entre essas facetas e as de porcelana é a espessura. Com apenas 0,2 milímetros, podem ser aplicadas sem que o dente seja desgastado. Mas, para isso, os dentes precisam ser naturalmente alinhados. As lentes de contato também, por serem muito finas, não são capazes de esconder o escurecimento dos dentes.

Cuidados bucais após o recapeamento dos dentes

Uma boa higiene bucal ajuda a prolongar a vida útil das facetas. O processo de higienização é o normal, com 3 escovações diárias e o uso do fio dental. Por outro lado, é importante utilizar uma boa escova de cerdas macias e evitar a escovação forçada.

As recomendações quanto à alimentação também são as mesmas para dentes naturais. Portanto, evitar os açúcares e os alimentos escuros e abrasivos continua sendo o principais alerta.

O recapeamento dos dentes é ótima opção para deixar o sorriso mais bonito, aumentando a autoconfiança e o bem estar. Entretanto, antes de decidir, o paciente deve estar bem informado sobre o procedimento. Deve saber que, em algum momento, as facetas poderão ter que ser substituídas. Mais do que isso, que é uma técnica permanente e que demanda um acompanhamento frequente de um profissional.

Acima de tudo, encontre seu dentista na maior e melhor rede credenciada da região. Acesse o site da Uniodonto Uberlândia e escolha o plano odontológico mais adequado para você e sua família.

Crianças em casa: os cuidados bucais necessários

By Notícias No Comments

Cuidados bucais com as crianças em casa

 

O surgimento da nova doença Covid-19, a nível mundial, alterou de forma desnorteante a vida das famílias, em função do isolamento social. De fato, o fechamento das escolas, desde o início da pandemia, forçou uma mudança nas rotinas das crianças em casa. Em primeiro lugar, veio a sensação de estar de férias, aproveitando a proximidade das pessoas queridas. Porém, à medida que o tempo passa, começam a surgir inquietações e expectativas por parte de pais e filhos. Dessa maneira, o equilíbrio das atividades normais fica alterado, e as rotinas diárias podem ser atingidas. É muito importante, nesse momento, manter a cabeça em ordem, para não descuidar dos cuidados essenciais.

 

Veja também:

Gestante na quarentena? Cuide de sua saúde bucal

Baixa imunidade e saúde bucal

Meu filho tem dentes tortos. O que fazer?

Como avaliar a arcada dentária infantil?

 

 

Embora exija bastante dos pais, estabelecer uma rotina mínima de higiene pessoal com as crianças em casa é fundamental. Além do banho diário e da higienização frequente das mãos, a higiene bucal deve ser incluída nos deveres infantis. Aprender a importância da prevenção é o melhor caminho para evitar as doenças bucais.

Cuidados com a higiene bucal das crianças em casa

Para ajudar a criar o hábito saudável de cuidar da higienização da cavidade bucal, os pais são peças importantes. Primeiro, porque eles são o exemplo que será seguido pelos pequenos. Segundo, porque não adianta somente colocar a escova na boca, pois algumas técnicas devem ser aprendidas.

Escovação

Uma divertida maneira de ensinar os movimentos de escovação corretos para uma criança é utilizar uma linguagem lúdica. Por exemplo, podemos dar nomes sugestivos para cada movimento a ser feito:

Bolinha – é o movimento circular (em forma de bolinha) nos lados internos e externos dos dentes.

Vassourinha – “varre” a sujeirinha de cima para baixo na arcada superior, e de baixo para cima, na inferior. Ou seja, da gengiva para a extremidade, em toda a superfície externa e interna dos dentes.

Trenzinho – compreende os movimentos por cima dos dentes, deslizando sobre o topo da fileira dentária.

Linguinha – finaliza a escovação, com movimentos de dentro para fora, por toda a língua.

Deve-se dar atenção também à eliminação da espuma da boca. As crianças devem ser alertadas sobre os riscos de engolir o creme dental. Normalmente, usa-se um copo para o bochecho, ou o adulto pode ajudar com as mãos, formando uma concha.

Além disso, a quantidade de creme dental deve ser adequada a cada faixa etária. Para crianças pequenas, de até dois anos, corresponde a uma metade de um grão de arroz cru. De dois a quatro anos, a um arroz cru inteiro. E, acima de quatro anos, a quantidade ideal é semelhante a uma grão de ervilha.

Uso do fio dental

A limpeza entre os dentes deve ser feita pelo menos uma vez por dia, com o fio dental. Existem modelos especiais que podem ser usados pelas crianças que ainda não possuem a habilidade motora necessária. É o caso, por exemplo, do fio dental com cabo ou haste. Ele mantém o fio esticado e permite a limpeza sem o contato com as mãos.

A função do fio dental é limpar os espaços onde a escova não alcança. É muito importante o cultivo desse hábito, para evitar que a placa bacteriana se forme do encontro entre os dentes.

Alimentação

A alimentação tem relação direta com a saúde bucal, assim como com a do corpo. Uma dieta equilibrada deve ter pouco açúcar e amido e bastante frutas, verduras e fibras. Com as crianças em casa, fica difícil controlar o armário, mas podemos controlar as compras.

Manter maior variedade de produtos saudáveis na geladeira e despensa, fará com que os pequenos desenvolvam bons hábitos de alimentação. Os pais devem evitar a compensação pelos salgadinhos e guloseimas, que trarão consequências ruins mais tarde. Alimentos funcionais e limpadores devem ser a base da alimentação.

Estabelecimento de rotina saudável para as crianças em casa

Essa situação, na qual a família está reunida durante todo o dia, pode ser aproveitada para estabelecer bons hábitos. As crianças “seguem o mestre” e os mestres são os pais e adultos. Portanto, toque o apito! Faça a higiene bucal junto com as crianças, estimulando, corrigindo e demonstrando alegria e boa vontade.

A manutenção de horários certos ajudará tanto adultos como crianças a não se perderem no jogo. Depois das refeições e antes de deitar, faça a fila e comece o checklist: bolinha, vassourinha, trenzinho, linguinha, forquilha! Transforme esses momentos em uma divertida brincadeira e veja seu pequeno crescer saudável e confiante.

Faça a sua parte e fortaleça um estilo de vida saudável com as crianças em casa. Mas, sempre que precisar, conte com a Uniodonto Uberlândia. Contrate online o seu melhor plano odontológico.

Dentes dos fumantes: o que acontece com eles?

By Notícias No Comments

O que acontece com os dentes dos fumantes?

dentes dos fumantes

Que o hábito de fumar pode trazer sérias consequências para a saúde, todos sabemos. Em especial agora, quando coloca o fumante dentro dos grupos de riscos para a Covid-19. Mas outros males também são desencadeados pelo tabagismo, como doenças pulmonares, cânceres, enfisema e bronquite. De fato, todo o organismo é afetado pelos produtos que compõem o cigarro. A saúde bucal é uma das principais atingidas, pois na boca os efeitos do cigarro são mais visíveis. Além do risco de câncer bucal, perda do olfato e paladar, os dentes dos fumantes são seriamente afetados. O escurecimento e as manchas nos dentes, a halitose e as doenças bucais são facilmente identificáveis em um fumante.   

Não existe prevenção para esses problemas e a única solução é deixar de fumar. De qualquer forma, dependendo da situação, alguns estragos não podem ser recuperados. Portanto, quanto antes o vício for vencido, melhor para a saúde e para os dentes dos fumantes.

 

Veja também:

Quais são as tonalidades de dentes que existem?

Como manter um sorriso perfeito na quarentena?

10 super alimentos que protegem os dentes

Rotina saudável é garantia de dentes limpos

 

Efeitos do tabagismo na boca

Mau hálito

O tabagismo prejudica a oxigenação e provoca secura e irritação das mucosas da boca e vias respiratórias. Dessa maneira, aparece o mau hálito, que se junta ao cheiro dos componentes do cigarro, acentuando a halitose.

Diminuição dos sentidos do paladar e do olfato

O fumante, aos poucos, vai sofrendo uma perda na percepção de cheiros e gostos, particularmente o sabor salgado. Portanto, tende a compensar a quantidade de sal nas refeições, que gera também um risco para a pressão arterial.

Câncer bucal

O risco de câncer bucal existe devido à quantidade de substâncias cancerígenas utilizadas na fabricação do cigarro. Fumantes devem estar atentos a qualquer mudança nas mucosas da boca.

Efeitos do consumo de cigarros nos dentes dos fumantes

Escurecimento e manchas

Este é o efeito mais visível, pois afeta o sorriso e a aparência. Os dentes dos fumantes ficam amarelados devido à ação da nicotina e do alcatrão, que se depositam na superfície dentária.

Incidência maior de cáries

Os componentes do cigarro se depositam no esmalte dentário, podendo penetrar nos túbulos dentários. A agressão, sobretudo aliada à diminuição da saliva, aumenta muito a probabilidade de aparecimento de cáries.

Periodontite

Além de todos os fatores que provocam as cáries, o cigarro ainda tem um efeito vasoconstritor. Com a diminuição da irrigação, as gengivas se tornam mais claras, mascarando as inflamações. O resultado são cáries profundas nas raízes dos dentes dos fumantes, gengivite e, logo depois, a periodontite.

O cigarro também interfere no sistema imunológico, tornando difícil para o organismo reagir às bactérias formadoras da placa bacteriana.

O clareamento dental 00pode não ser efetivo

O resultado do branqueamento em dentes dos fumantes fica comprometido, especialmente se a pessoa fuma durante o processo. O ideal é parar antes de iniciar o procedimento ou, pelo menos, reduzir. Porém, nunca será um resultado cem por cento satisfatório.

Para um resultado melhor em pessoas que realmente não querem abandonar o hábito, os tratamentos são mais invasivos. As facetas de porcelana, por exemplo, são coladas ao dente depois de um pequeno desgaste na superfície do esmalte.

Fumantes devem ser mais cuidadosos com a limpeza bucal

Se pessoas não fumantes devem fazer três escovações ao dia, os fumantes devem aumentar essa frequência, sem esquecer da língua. O fio dental também é imprescindível, nesses casos, sempre que possível. Além disso, pelo menos duas aplicações de enxaguante bucal durante o dia podem atenuar o mau hálito.

As visitas periódicas ao dentista são ainda mais importantes, para acompanhar a saúde bucal e avaliar a cavidade oral. A limpeza profissional ajuda a barrar a placa bacteriana e o desenvolvimento de doenças bucais.

Abandonar o tabagismo é o melhor conselho

dentes dos fumantesDiante de todos os efeitos nocivos que o hábito de fumar provoca, a opção mais inteligente é parar de fumar. Nunca é tarde para adotar um estilo de vida mais saudável. Existem tratamentos e medicamentos que minimizam os sintomas da abstinência à nicotina. Porém, o principal incentivo é o amor à vida.

Aproveite as consultas com o dentista para desenvolverem juntos um plano de ação com o objetivo de parar de fumar. Manter a boca e os dentes limpos pode motivar a busca por uma vida com mais saúde e um sorriso mais branco. Proteja-se e livre-se dos problemas que afetam os dentes dos fumantes.

Conte com os profissionais credenciados da Uniodonto Uberlândia! Faça sua cotação no site e contrate online o plano odontológico ideal para você e sua família.

Cuidar do meio ambiente e da saúde bucal

By Notícias No Comments

5 dicas para cuidar do meio ambiente e da saúde bucal

cuidar do meio ambiente 

5 de junho é o Dia Mundial do Meio Ambiente. Sempre que pensarmos em meio ambiente, devemos avaliar nosso papel dentro desse ecossistema. Dessa forma, ampliamos o conceito do que é zelar pelo nosso futuro. Cuidar do meio ambiente envolve o exercício de qualidades como a generosidade, a paciência e a compreensão. A consciência ambiental é a preocupação com todas as formas de vida e a percepção de nossa interação com eles. É a capacidade de nos enxergarmos como parte da natureza. De fato, quando a desenvolvemos, passamos a valorizar ações essenciais para a nossa sobrevivência e de todo o sistema vivo. Na quarentena, estamos todos em casa, isolados. Porém, de certo modo, nossa interferência no meio ambiente pode ser ainda maior.

Nesse artigo, sugerimos algumas atitudes e mudanças de hábitos que envolvem a saúde bucal e os cuidados com o ambiente. Pequenas ações que podem ser feitas dentro do conforto de nossas casas, nesse período de isolamento social.

Dicas para cuidar do meio ambiente e da saúde bucal

1 – Economize água e energia

cuidar do meio ambiente

A redução no consumo de água e energia pode ser alcançada com atitudes simples, como:

  • Consertar os vazamentos em torneiras ou tubulações;
  • Evitar o uso exagerado de mangueira para lavar o carro ou o quintal;
  • Lavar toda a roupa em apenas alguns dias da semana;
  • Retirar os resíduos da louça com uma esponja úmida, para facilitar a lavagem;
  • Reaproveitar a água da máquina de lavar e colher a água da chuva, para regar o jardim e limpar o quintal;
  • Tomar banhos mais curtos;
  • Utilizar lâmpadas de baixo consumo;
  • Aproveitar a claridade externa, abrindo cortinas e janelas;
  • Desligar as luzes de aposentos que não estão sendo usados;
  • Fechar a torneira enquanto escova os dentes.

Muitas pessoas costumam colocar o creme dental na escova e seguir escovando os dentes, enquanto praticam outras atividades. É claro que será uma escovação ineficiente, já que a atenção não está concentrada. Além disso, há o desperdício da água caindo da torneira e as luzes do banheiro acesas.

Esse é um hábito que deve ser evitado, principalmente porque tende a ser seguido pelas crianças. Portanto, seja o exemplo, mostrando as técnicas corretas de higienização bucal e a importância de cuidar do meio ambiente.

2 – Pratique o consumo consciente

Atitudes sustentáveis ajudam a manter um patamar saudável na relação com as compras e com o dinheiro. Nem sempre precisa-se de tudo o que se quer. Entretanto, se uma pessoa possui condições de realizar seus desejos de consumo, pode, então, doar aquilo que não lhe serve mais.

Roupas, brinquedos, utensílios e móveis podem ser bem aproveitados por outras pessoas. Assim, além de consumir sem culpa, estará despertando os sentimentos de gratidão, generosidade e desapego. Os movimentos de partilha e doação são também grandes lições e exemplos para as crianças e jovens.

Apenas observe coisas que realmente devem ser trocadas e que não podem ser doadas ou compartilhadas. É o caso das escovas de dente, que devem ser substituídas assim as cerdas começarem a se abrir.

3 – Ajuste sua alimentação

A recomendação relativa à alimentação é sempre a mesma: pratique uma dieta saudável. Dessa forma, estará eliminando os alimentos comprados prontos, que possuem conservantes e excesso de embalagens. Aproveite também a presença de todos em casa, na quarentena, e faça um planejamento das compras e do preparo. Procure fornecedores locais e seja solidário.

Além disso, evite as guloseimas e doces para as crianças, dando preferência às frutas. Esses alimentos são ricos em vitaminas e nutrientes e ainda agem como limpadores dos dentes. E não se esqueça da higienização bucal sempre após as refeições.

4 – Reduza o lixo e implemente o descarte responsável

O plástico é um dos elementos mais prejudiciais ao meio ambiente. Por isso, os itens de uso único, como os descartáveis, devem ser evitados ao máximo. Diminuir o consumo de produtos com muitas embalagens e preferir as sacolas reutilizáveis para as compras também são ótimas ações.

Em relação à saúde bucal, o blog da Uniodonto Uberlândia traz excelentes dicas para um desperdício zero. E, no que diz respeito ao descarte, é fundamental separar materiais químicos, eletrônicos, pilhas e medicamentos. Esses produtos não podem ser simplesmente jogados na natureza, pois contaminam o meio ambiente.

5 – Recicle

cuidar do meio ambientePotes, latas, garrafas de vidro, garrafas pet, roupas velhas, rolos de papel higiênico, tudo isso pode ser reciclado. Existem empresas especializadas nesse processo. Porém, você pode usar sua criatividade, aproveitando esses materiais, desenvolvendo suas habilidades e criando uma atividade relaxante. É também um ótimo passatempo com as crianças. Aproveite e projete um lindo estojo para guardar seus objetos pessoais e suas escovas de dente.

Devemos lembrar que é nosso dever cuidar do lugar de onde tiramos todos os recursos que precisamos para viver. A educação ambiental é imprescindível para cuidar do meio ambiente e garantir o nosso futuro.

A Uniodonto Uberlândia é uma cooperativa que está sempre ao lado de seus cooperados e associados, na busca por um mundo melhor. Escolha o seu plano e venha conosco! 

Baixa imunidade e saúde bucal

By Notícias No Comments

Baixa imunidade e saúde bucal

 

A baixa imunidade funciona como uma porta aberta para várias enfermidades. Um sistema imunológico fragilizado permite a proliferação de microrganismos nocivos, prejudicando o equilíbrio do organismo humano. E, mesmo que uma doença afete outra parte do corpo, muitas vezes é normal que seus primeiros sintomas surjam na boca. Afinal, a saúde bucal reflete a saúde geral. A baixa imunidade pode acelerar infecções respiratórias, alergias, alterações de peso, problemas de pele e muitos outros. Porém, é na boca que alguns sinais começam a aparecer com mais frequência. Aftas, estomatite, herpes, inflamações gengivais, periodontite e mau hálito estão entre os mais comuns.

A baixa imunidade interfere na saúde bucal de forma muito marcante, pois diminui a resistência do corpo a infecções. A ação de bactérias, fungos e vírus, começa pelos órgãos que permitem interações com o meio ambiente. Portanto, a boca é um dos principais canais de acesso desses microrganismos.

 

Veja também:

Por que a alimentação moderna é uma forte aliada dos convênios odontológicos?

Em 5 segundos: como solicitar cotação para contratar plano odontológico?

Como manter um sorriso perfeito na quarentena?

Saúde bucal em tempos de coronavírus

 

As causas da baixa imunidade vão desde os fatores genéticos e doenças crônicas até o estilo de vida, estresse e a má alimentação. Por isso, é muito importante identificar as causas e promover a recuperação do organismo, antes que algum mal se instale.

Doenças bucais ligadas à baixa imunidade

Aftas

Aftas são pequenas feridas de forma arredondada, vermelhas, com o centro amarelado ou esbranquiçado, que se formam dentro da boca. Como são dolorosas, podem ser utilizados pomadas analgésicas e corticoides tópicos para diminuir as dores e controlar infecções. Bochechos com enxaguantes bucais também ajudam a impedir a proliferação de bactérias.

Além disso, os antibióticos são indicados para tratar a infecção que causou o aparecimento das aftas.

Estomatite aftosa

A estomatite aftosa provoca vermelhidão, úlceras, aftas, feridas e dores na boca e nas gengivas. De fato, é uma doença inflamatória, cujas lesões aparecem e se curam sozinhas. Porém, causa muita dor e dificuldade para engolir. Para amenizar os incômodos, existem medicamentos naturais ou sintéticos, com características anti-inflamatórias ou antibióticas.

Herpes

 

O herpes labial é contagioso, doloroso e não tem cura. Trata-se de uma doença causada por um vírus e que pode atingir os lábios, a cavidade bucal e as gengivas. A baixa imunidade favorece a ação do vírus, que causa bolhas e feridas doloridas. Nesse caso, também, os medicamentos podem aliviar a dor e reduzir o tempo das erupções.

Inflamações gengivais

Inflamação gengival, ou gengivite, pode ser identificada por alguns sintomas: vermelhidão, sangramento e dor nas gengivas. Além disso, pode provocar, também, gosto ruim e mau hálito. A causa da gengivite é o acúmulo de placa bacteriana nos dentes. Isso acontece, principalmente, quando a higienização é inadequada ou ineficiente.

Com uma baixa imunidade, o portador percebe uma maior velocidade e intensidade na inflamação. Em casos mais graves, a gengiva pode retrair, deixando os dentes mais longos e a raiz exposta. Por isso, a gengivite deve ser logo tratada por um profissional, evitando que se transforme em uma doença periodontal.

Periodontite

Quando a gengivite não recebe o tratamento adequado, pode evoluir para uma periodontite. Dessa maneira, começa a atingir os tecidos de suporte dos dentes, ossos e ligamentos. Além dos sintomas de gengivite, na periodontite os dentes começam a perder sua estrutura e ganhar mobilidade.

O tratamento dentário, nesse caso, é urgente, pois pode chegar à perda dos dentes. Os procedimentos odontológicos compreendem limpeza, raspagem e alisamento radicular, podendo ser necessária, em algumas situações, uma intervenção cirúrgica.

Cuidados para combater a baixa imunidade

Combater a baixa imunidade significa, em outras palavras, aumenta-la. Para isso, algumas ações são necessárias, em função das causas identificadas. Porém, uma vida ativa, com, no mínimo, 15 minutos de sol por dia, e uma alimentação balanceada, é o ideal.

Alimentos que ajudam a aumentar a imunidade:

  • Frutas cítricas;
  • Folhas verde escuras;
  • Cereais, integrais e grãos;
  • Castanhas;
  • Peixes e azeite (ômega 3);
  • Cebola, alho, pimenta e gengibre;
  • Própolis;
  • Iogurte natural.

Proteja sua saúde mental, com atividades leves e relaxantes, procurando estar perto de quem ama e diminuindo o ritmo. Afaste-se da vida sedentária, alimente-se bem, durma pelo menos oito horas por noite, hidrate-se e tome sol. Fuja da baixa imunidade. Lembre-se sempre que prevenir é o melhor caminho.

Por outro lado, não subestime as vantagens de uma boa rotina de higiene bucal. Cuide de seus dentes, de sua boca e de sua saúde bucal. Um sorriso bem cuidado ainda é o melhor cartão de apresentação.

Porém, se mesmo assim, perceber algum problema dentário, conte com a Uniodonto Uberlândia. Cote e contrate os melhores planos odontológicos para você e sua família direto no site, com rapidez e sem burocracia.

Técnicas profissionais para branquear os dentes

By Notícias No Comments

 Técnicas profissionais para branquear os dentes

O isolamento social, a que a pandemia do novo coronavírus nos submete, acaba por nos aproximar mais de nós mesmos. Dessa forma, podemos utilizar esse tempo para fazer planos e buscar soluções criativas para problemas antigos. É um momento para avaliações, estabelecimento de metas e um novo olhar para nossos desejos e necessidades. Algo que nem sabíamos que nos incomodava, de repente, ressalta no espelho. Por exemplo, aquela vontade grande de branquear os dentes. E o sonho de um sorriso mais bonito pode ser planejado e estudado com mais atenção. Para auxiliar no processo de pesquisa e planejamento, trouxemos neste artigo algumas técnicas profissionais utilizadas para branqueamento dos dentes.

 

Veja também:

Hora do Check-up anual: 4 vantagens em contar com a cobertura de um plano odontológico

3 dicas para criar bons hábitos de saúde bucal para crianças

Planos odontológicos Uniodonto Uberlândia: a primeira opção para a família

Como manter um sorriso perfeito na quarentena?

 

Segundo a Associação Brasileira de Odontologia, o clareamento dental tornou-se uma técnica segura e eficaz a partir de 1989. O tratamento é um dos mais procurados atualmente, por ser um procedimento conservador e que produz resultados satisfatórios imediatos. Além de mostrar cuidado com a saúde bucal, dentes claros e limpos representam um padrão de beleza na sociedade atual.

Fatores que dificultam o processo de branquear os dentes

Em primeiro lugar, o desgaste natural dos dentes, que ocorre com o tempo e provoca um escurecimento previsível. De fato, à medida que envelhecemos, há uma erosão da parte esmaltada que garante a brancura dos dentes. Com isso, essa camada fica mais fina, permitindo que a cor da dentina ressalte.

A dieta alimentar também é um fator que pode dificultar os processos de branquear os dentes. Bebidas de coloração forte mancham, como o café, o vinho e o refrigerante, que têm um elevado nível de pigmentação. A beterraba, o açaí, o ketchup e o molho de soja estão entre os principais alimentos escurecedores.

Frutas cítricas, como limão e laranja, se consumidos com frequência, aumentam a acidez da boca, permitindo maior captação de pigmentos. Além disso, o tabagismo é inimigo da brancura dos dentes e, como é um hábito, escurece de forma constante. Alguns medicamentos também podem manchar.

Por fim, é bom lembrar que o clareamento é uma técnica de recuperação da cor original dos dentes. Sabemos que a tonalidade natural varia de pessoa para pessoa. Então, o resultado final vai depender de cada indivíduo.

Técnicas seguras para branquear os dentes

A segurança nos procedimentos para branquear os dentes só pode ser garantida por profissionais. As soluções caseiras sem acompanhamento podem danificar as estruturas dentárias, causando excesso de desgaste no esmalte dos dentes.

Procedimento interno 

Geralmente, é feito em dentes escurecidos por reação metálica, traumas e tratamentos de canal. Um gel clareador é depositado dentro da porção coronária do dente e é trocado toda semana até o resultado ideal. O prazo máximo das aplicações é de dois meses.

Procedimentos externos 

Nos clareamentos externos, o gel clareador é aplicado na parte externa do dente. O dentista protege gengiva, lábios e bochechas e, então, aplica o gel. O processo produz, então, uma reação química que quebra e elimina os pigmentos. Assim, os resultados vão aparecendo a cada nova aplicação, que dura, em média, uma hora. Normalmente são necessárias três ou quatro sessões.

Clareamento a laser

Depois da aplicação do gel, um laser de baixa potência é direcionado pelo dentista. Dessa maneira, a sensibilidade dos dentes é minimizada.

Clareamento por LED

Da mesma forma que o laser, o LED é utilizado após a aplicação do gel, potencializando o efeito do clareador.

Clareamento caseiro com acompanhamento profissional

O dentista confecciona uma moldeira específica para o paciente, onde um gel vai ser colocado. Entretanto, a concentração do agente clareador deve ser adequada para cada tratamento e indicada pelo profissional. O processo deve ser realizado por, no mínimo quatro horas por dia, por três a quatro semanas.

Facetas de porcelana ou resina

As facetas são uma opção para cobrir a superfície manchada dos dentes ou para homogeneizar formatos irregulares. Elas são coladas através de um composto de resina ou porcelana.

De qualquer maneira, para cuidar da saúde bucal, com ou sem procedimentos estéticos para branquear os dentes, importam quatro coisas:

Visite o site da Uniodonto Uberlândia, faça uma cotação e contrate online um dos nossos planos odontológicos. Planeje o seu melhor sorriso para quando a vida voltar ao normal.

10 fatos surpreendentes sobre a Halitose

By Notícias No Comments

10 fatos que você precisa conhecer sobre a Halitose

É bastante comum, ao comermos algo como pão de alho ou cebola crua, percebermos nosso hálito não muito agradável. Porém, é uma situação temporária, à qual todos estamos sujeitos. Entretanto, existem casos em que o mau hálito é um problema crônico. E, dessa forma, torna-se um carma permanente para quem sofre, e um desconforto para quem convive. Essa condição é conhecida como Halitose e pode interferir nos relacionamentos e na qualidade de vida de quem a possui. O mau hálito constante pode afetar a saúde emocional da pessoa e ser um indicativo de outras doenças no corpo. Confira a seguir alguns fatos sobre Halitose, que você precisa conhecer.

Higiene bucal é imprescindível para um hálito saudável

Existem inúmeras causas para o mau hálito, porém a higiene bucal inadequada é um agravante em todos os casos. Resíduos alimentares acumulados, excesso de saburra na língua e a placa bacteriana exalam mau cheiro. Por isso, escovações diárias, utilização do fio dental e visitas ao dentista representam a melhor frente de combate ao problema.

 

Veja também:

5 dicas que ajudam a levar as crianças ao dentista com mais facilidade

Como escovar seu aparelho ortodôntico?

Como fazer a remoção do tártaro?

15 males que podem ser evitados com consultas regulares ao dentista

 

Boca seca é uma das maiores causas da Halitose

A saliva atua como detergente, lavando a cavidade oral de resíduos alimentares e eliminando bactérias, entre uma escovação e outra. Durante o sono, por exemplo, o volume de saliva diminui, a boca resseca deixando um ambiente favorável para as bactérias. É o que causa o mau hálito matinal.

Portanto, as pessoas que sofrem com a síndrome da boca seca, ou xerostomia, têm maior probabilidade de desenvolverem a Halitose. Para melhorar a salivação, beba água e coma alimentos fibrosos, como maçã, cenoura crua, folhas ou castanhas.

Respirar pela boca causa ressecamento

Considerando que as bactérias se aproveitam da diminuição da saliva para se proliferarem, o ressecamento é perigoso. Portanto, respirar pela boca pode causar mau hálito.

O estresse pode provocar Halitose

Pelo mesmo motivo, o estresse pode ser responsável pelo aparecimento do mau hálito. De fato, o estresse aumenta o nível de adrenalina no sangue e eleva a possibilidade de secura na boca. Boca seca é gatilho para o aumento das bactérias e, portanto, do mau hálito.

Estômago vazio acarreta Halitose sistêmica

Halitose sistêmica é o nome que se dá quando o mau hálito não é provocado por mudanças na boca. Nesse caso, compostos orgânicos produzidos pelo estômago, ao queimar gordura no lugar de alimentos, para produzir energia, exalam pela boca.

Constipação intestinal também causa mau hálito

Na prisão de ventre, o bolo fecal não eliminado produz compostos que são absorvidos pela corrente sanguínea. Ao serem, em seguida, eliminados pelos pulmões, deixam um mau cheiro na boca.

Alimentação balanceada previne a Halitose

Proteínas em excesso na alimentação aumentam a fermentação produzida pelas bactérias da boca. Por outro lado, as dietas pobres em carboidratos baixam o nível de glicose no sangue, forçando o organismo a queimar gordura. Os gases liberados por essa queima são expelidos pela respiração, provocando mau cheiro.

Portanto, o equilíbrio é fundamental, tanto para a saúde quanto para o hálito. A ingestão de fibras e alimentos limpadores ajudam na digestão e na limpeza natural dos dentes.

Além disso, a água é o melhor elemento de combate ao mau hábito, pois é o principal componente da saliva. O ideal é ingerir diariamente, em média, pelo menos dois litros de água.

Quanto menor a ingestão de álcool, melhor

O uso frequente de bebidas alcoólicas e enxaguantes bucais contendo álcool pode descamar a mucosa da boca. A descamação é depositada e acumulada na língua, provocando mau hálito.

Pessoas com Halitose se acostumam ao cheiro

Essa situação é conhecida como fadiga olfatória e impede a percepção do problema por quem tem mau hálito constante. Há uma tendência, portanto, a não procurar tratamento nesses casos. Por isso, muitas vezes o portador de Halitose necessita ser alertado por outra pessoa, para que procure ajuda.

A Halitose pode abalar a autoestima e os relacionamentos

Inúmeras vezes, o indivíduo que sofre com o mau hálito tende a se afastar do convívio social. Há também a possibilidade de ser repelido nos relacionamentos. Trata-se de um grave problema, que pode levar a um estágio de depressão. Portanto, procurar ajuda para encontrar as causas e o tratamento adequado é o melhor caminho para acabar com a Halitose.

Fale com o seu dentista e faça uma avaliação do seu problema. Os planos odontológicos da Uniodonto Uberlândia facilitam o caminho para você!

Gestante na quarentena? Cuide de sua saúde bucal!

By Notícias No Comments

Gestante na quarentena? Cuide de sua saúde bucal!

Todos nós já nos acostumamos às novas medidas de segurança quanto à prevenção da Covid-19. Lavar as mãos frequentemente com água e sabão e usar álcool gel, quando não for possível, é a primeira regrinha. Além disso, são indispensáveis o uso de máscara ao sair de casa e a retirada dos sapatos, ao voltar. Entretanto, o melhor ainda é manter o distanciamento social e evitar aglomerações. De fato, todas essas medidas mostram que a vida está diferente e nossos alertas de perigo estão ligados. Todos temos medos e incertezas. Dessa forma, podemos imaginar o estado emocional das mulheres que vivenciam esse momento carregando dentro de si um novo ser. Ou seja, como é ser uma gestante na quarentena?

 

Veja também:

Sorriso perfeito na quarentena: como manter?

Covid-19: por que grupo de risco deve cuidar das gengivas?

Rotina saudável é garantia de dentes limpos?

Urgência odontológica: a clínica 24 horas

 

Felizmente, o novo coronavírus não se mostrou mais grave em gestantes. Na grande maioria dos casos, a infecção evolui de forma leve. O tratamento inclui repouso, hidratação, medicação para alívio dos sintomas e isolamento. Apesar disso, o melhor mesmo continua sendo evitar o contágio.

Como uma gestante na quarentena deve se proteger?

 

Em primeiro lugar, cuidar da sua saúde mental. A futura mamãe deve evitar excesso de informações e notícias, voltando-se para as preocupações alegres com a vinda do bebê. O foco na preparação para essa chegada tão esperada ajuda a espantar os temores e manter a alegria.

Em segundo lugar, cuidar de sua própria saúde e do bebê, mantendo a rotina de exames e cuidados. Os hospitais, clínicas e postos estão preparados, nesse momento, para o atendimento agendado e individual. Porém, exceto para exames e acompanhamento, a gestante na quarentena deve se manter em casa e protegida.

Em terceiro lugar, sabemos que na gravidez é fundamental cuidar da saúde bucal.

 

Por que a saúde bucal é importante durante a gravidez?

O período de gestação é especial, tanto do ponto de vista emocional quanto físico. Inúmeras modificações acontecem no corpo da mulher durante a gravidez. Essas mudanças físicas e hormonais podem favorecer o aparecimento de cáries e problemas dentários.

A gestante é a fonte de nutrientes para a formação do novo ser. Por isso, sua alimentação deve ser diversificada e saudável. Por exemplo, caso haja carência de cálcio na dieta, este pode ser disponibilizado a partir dos ossos e dentes maternos. Nesse caso, é recomendável utilizar uma suplementação.

As gengivas também sofrem alterações por causa do aumento na produção de hormônios, o que pode acarretar gengivite e sangramentos. As infecções nas gengivas provocam a produção de substâncias que têm efeito sobre os vasos sanguíneos e terminações nervosas. Com isso, podem vir a ocorrer contrações no útero, aumentando o risco de um parto prematuro.

Como evitar problemas bucais na gravidez?

A prevenção é o melhor caminho sempre. Mesmo porque, durante o período de isolamento, até as consultas e atendimentos médicos e odontológicos têm restrições. Então, higiene bucal e boa alimentação passam a ser os melhores aliados da gestante na quarentena.

Uma higiene eficaz previne doenças bucais

A escovação deve ser feita, no mínimo, três vezes ao dia, após as refeições e antes de dormir. Porém, deve ser feita de forma correta, com uma escova adequada, cujas cerdas estejam em perfeito estado.

Todos os lados expostos dos dentes devem ser alcançados com movimentos circulares, da raiz para a extremidade. E, além dos dentes, gengivas e língua também precisam ser escovados.

A escolha do creme dental também é importante, pois ele deve conter flúor, que fortalece os dentes e previne as cáries. E, pelo menos uma vez ao dia, o fio dental é necessário. Para uma limpeza eficiente, um pedaço grande do fio, preso entre os dedos, deve ser passado entre todos os dentes.

Nesse período de contágio do novo coronavírus, a conservação dos materiais utilizados para higiene bucal deve ser bem observada. Tudo deve ser individualizado e armazenado de forma a evitar contato entre os utensílios utilizados por diferentes pessoas.

Uma dieta equilibrada protege a gestante na quarentena

Como uma equipe, os nutrientes trabalham mantendo a saúde e preservando nosso organismo do ataque de agentes nocivos. Em outras palavras, aumentando a imunidade, fundamental para nossa resistência a vírus e bactérias.

A falta de um nutriente prejudica o trabalho dos outros. Por isso, há a necessidade de uma dieta balanceada, composta por carboidratos, proteínas, gorduras, fibras, minerais e vitaminas.

Além disso, muitos alimentos têm a capacidade de limpar os dentes. São os alimentos detergentes, como a maçã e outras frutas. Em contrapartida, os açucarados e pegajosos são inimigos da saúde bucal.

O período de gestação é mágico e a maternidade, uma bênção, mesmo em tempos de coronavírus. É importante que a gestante na quarentena tenha apoio e carinho.

A Uniodonto Uberlândia está sempre presente. Pode contar conosco!  

Quais são as tonalidades de dentes que existem?

By Notícias No Comments

Quais são as tonalidades de dentes que existem?

Dentista e paciente conversavam sobre tonalidades de dentes. De fato,  profissional havia elogiado inúmeras vezes suas técnicas de clareamento para uma mulher. Mostrou, por exemplo, fotos do antes e depois de casos de clientes nos quais a primeira aplicação provocou uma diferença incrível. A senhora, já com sessenta anos e fumante desde a adolescência, tinha os dentes bastante escuros. Dessa forma, ficou bastante entusiasmada e confirmou o procedimento. No primeiro dia, muito animados, dentista e cliente esperaram pacientemente o fim da aplicação. Ao final da sessão, o dentista entregou um pequeno espelho e a senhora experimentou um sorriso com seus novos dentes. Entretanto, o que viu foi uma alteração bem pequena em relação à situação anterior. O que aconteceu? Por que não ocorreu com ela o mesmo que com os outros clientes?

 

Veja também:

Como manter um sorriso perfeito na quarentena?

5 indicativos marcantes de uma boca saudável

Como escolher um consultório odontológico?

5 dicas para lucrar com um convênio odontológico

 

Existem diversos fatores que interferem no clareamento dental. A cor natural dos dentes, os hábitos alimentares, a higiene bucal e o processo de envelhecimento são alguns deles. Portanto, não é surpresa que nem todos tenham o mesmo nível de resultados.

Tonalidades de dentes naturais

Em primeiro lugar, não existem dentes absolutamente brancos. Existe uma escala de tons que varia de pessoa para pessoa. Aliás, a cor varia de uma arcada para outra e, mesmo os dentes de uma mesma arcada possuem cores diferentes. Os incisivos são mais claros, molares e pré-molares são de cor intermediária, e os caninos, mais escuros.

Para complicar, o mesmo dente apresenta tonalidades diferentes, do mais escuro para o mais claro, a partir da gengiva. O que acontece é que é a dentina que define a cor do dente. O pigmento está alojado em seus poros e todo o conjunto fica coberto pelo esmalte, que é transparente.

O esmalte dentário, possuindo espessuras diferentes ao longo do dente, possibilita essas diferenças.

As tonalidades dos dentes dependem de três dimensões: matiz, croma e valor.

Matiz

É a cor predominante. São quatro possibilidades:

  • A – algo amarronzado
  • B – algo amarelo-alaranjado
  • C – algo cinza-esverdeado
  • D – algo cinza-rosado-avermelhado

Croma

É a saturação da cor. Define o grau de intensidade da cor, se é mais escura ou mais clara. Dentro de cada matiz, existe uma classificação numérica, identificando o nível de saturação.

Valor

Representa a quantidade branco e de preto que cada cor possui.

Como é identificada a cor dos dentes de uma pessoa?

Existem duas formas para definir as tonalidades de dentes. Quando o registro é feito por comparação com uma paleta de cores, temos o método de Escala de Cor. Existe também um aparelho, denominado Espectofotômetro, que compara a quantidade de luz absorvida, transmitida ou refletida por um dente.

De qualquer forma, existe uma escala padrão de registro da cor, que depende diretamente da matiz. Ou seja, é intrínseco ao dente. O que pode ser alterado pelo clareamento são o croma e o valor da cor. Por exemplo, um dente acinzentado pode atingir uma tonalidade mais clara, mas nunca deixará de ter o tom cinza.

Qual o poder do clareamento nas alterações de tonalidades dos dentes?

Como os dentes possuem variações de cor, tanto na extensão quanto na posição na boca, elas são mantidas no clareamento. Se a cor identificada no início do processo pertencer a um determinado matiz, este permanecerá. Isso significa que, por maior que seja o poder do clareamento, os dentes não ficarão absolutamente brancos.

Que outros fatores interferem nas tonalidades dos dentes?

Hábitos alimentares e processo de envelhecimento

A dieta seguida por um indivíduo afeta todas as funções do seu organismo. Assim acontece também com os elementos bucais. Uma alimentação pobre em nutrientes pode deixar o sistema imunológico mais fraco e menos resistente às agressões naturais.

As deficiências nutricionais e os efeitos colaterais de alguns medicamentos afetam a estrutura dentária. As erosões por abrasão ou atritos provocam desgaste no esmalte dos dentes. Além disso, com o passar do tempo, o corpo fica mais vulnerável devido às alterações fisiológicas próprias de cada idade.

Açúcar, alimentos com muito corante e o tabagismo prejudicam e escurecem os dentes. Durante o processo de clareamento e, mesmo para manutenção do resultado, esses itens devem ser evitados.

Higiene bucal

Uma rigorosa higiene bucal é necessária para a manutenção dos dentes limpos, o mais próximo possível de sua cor natural. Os bons hábitos de higienização dos dentes funcionam como em qualquer outro tipo de limpeza. Então, devem ser mantidos durante toda a vida.

Mantenha os dentes limpos e sadios durante o isolamento. Mas, quando precisar, a Uniodonto Uberlândia tem os melhores planos odontológicos para você e sua família.