All Posts By

Comunicação Uniodonto

dentista mais perto de mim

Como encontrar o dentista mais perto de mim

By | Notícias | No Comments

3 passos para encontrar o dentista mais perto de mim

dentista mais perto de mim

Existem coisas tão indispensáveis em nossa vida que, muitas vezes, nos esquecemos que existem. Um exemplo são os dentes. Apenas um já faz uma falta inimaginável! Quem já arrancou um dente e ficou durante um período de tempo com aquele espaço vazio na boca conhece o problema. O simples ato de mastigar os alimentos se transforma em uma tortura. Porém, no dia a dia não lhes damos importância. Em função disso, apresentamos neste post um pequeno roteiro que fará a diferença naquelas situações inesperadas e desagradáveis. Nos casos de insuportável dor de dente, de quebra ou de perda de algum elemento curativo da boca. Ou seja, naqueles momentos em que, mais do que tudo, diríamos: como gostaria de ter um dentista mais perto de mim!

Querer ter um dentista mais perto de mim equivale a dizer que quero encontrar um profissional disponível no local e na hora em que eu precisar. Alguém confiável para quem eu possa ligar e marcar uma consulta agora, nesse momento. E que esteja próximo o suficiente para que eu não perca um tempo excessivo.

 

Veja também:

Como manter dentes saudáveis com a rotina estressante do Século XXI?

Saúde bucal da família: além da escovação

Hora do Checkup anual: 4 vantagens em contar com a cobertura de um plano odontológico

Conheça as principais especialidades em Odontologia

 

Primeiro passo para encontrar o dentista mais perto de mim

dentista mais perto de mimCom toda a certeza, para os usuários de planos odontológicos isso já é uma realidade. De fato, essas são características básicas da filosofia que norteia o funcionamento dos planos dentários. Facilidade e comodidade para os associados e seus familiares.

De acordo com a ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar, “hoje, com 10 milhões de beneficiários, o segmento exclusivamente odontológico tem crescido mais do que o médico-hospitalar, demandando do mercado e também da ANS abordagens altamente especializadas”.

Então, esse é o primeiro passo do caminho para encontrar o dentista mais perto de mim. Procurar por um plano sério, de cobertura flexível e ampla rede de profissionais, que esteja disponível em todos os lugares onde eu poderei vir a estar. De preferência, em todo o território nacional.

Apesar de ser um enorme diferencial, a abrangência geográfica do plano não costuma causar uma diferença de preço muito grande. E há contratos que estipulam um reembolso para a utilização de profissionais que não pertençam à rede credenciada. Nesses casos é preciso muita atenção à leitura do contrato, antes da assinatura.

Outro aspecto importante, quando da contratação de um plano odontológico, é a lista de procedimentos que compõem a sua cobertura. Normalmente, há várias opções de preços para coberturas variáveis. Além disso, alguns planos também permitem a inserção de alguns procedimentos que não constam do contrato, mediante pagamento adicional.

Segundo passo para encontrar o dentista mais perto de mim

Escolhido o plano odontológico mais adequado ao meu perfil de saúde bucal e econômico, devo avaliar a forma de contato com a empresa fornecedora. É importante que, tanto as informações sobre a empresa e o plano, quanto sobre os profissionais credenciados, estejam acessíveis.

E é fundamental que eu consiga um contato instantâneo. Para isto, a empresa deve estar ativa na internet e seus canais devem ser claros e produtivos. Em outras palavras, se eu preciso de um dentista de determinada especialidade já, eu devo encontrá-lo agora através desses canais.

Ou seja, é muito valioso poder contar com um atendimento 24 horas. Afinal, problemas não escolhem local nem hora para aparecerem.

Terceiro passo para encontrar o dentista mais perto de mim

dentista mais perto de mimUtilizar com frequência e conhecer todos os caminhos burocráticos dos processos de atendimento da empresa é um passo bastante recomendável. É o que me resguarda de problemas inesperados e garante a manutenção da minha saúde bucal e da minha família.

Conhecer e experimentar o trabalho daqueles profissionais que estão mais próximos de onde estou aumenta as minhas possibilidades de escolha. Selecionar o que mais me atende e manter o cronograma de visitas em dia, enriquece e aprofunda nossos vínculos.

É aconselhável, também, manter todas as informações e cartões validados e dentro do prazo de utilização. Nunca se sabe quando serão necessários.

Enfim, falar sobre facilidades para encontrar um dentista mais perto de mim é fazer uma apologia aos planos odontológicos. Facilidade, comodidade, economia e garantia de atendimento são fatores positivos na decisão de assinar um contrato.

Conheça as opções que a Uniodonto Uberlândia oferece para você. Visite o site, acompanhe o blog e faça a sua adesão online, sem burocracia! Confira a opção Encontre seu dentista e fique tranquilo!

5 sinais que você tem problema na gengiva

By | Notícias | No Comments

5 sinais que você tem problema na gengiva

problema na gengiva 

A gengiva é uma parte da mucosa bucal que reveste o osso e sustenta os dentes, compondo uma faixa mastigatória em torno deles. A aparência normal da gengiva apresenta tonalidade vermelho claro e sua consistência é firme, com uma profundidade de 1 a 3mm. Em geral, quando está comprometida, pode indicar que outras regiões da boca também já foram atingidas. Além disso, as doenças gengivais normalmente estão ligadas a uma higiene bucal inadequada ou insuficiente. O aspecto da mucosa é o principal guia para o diagnóstico de problema na gengiva, mas não é o único indicativo. Muitas vezes não há dor e, então, é importante conhecer alguns sintomas típicos.

Um problema na gengiva pode vir a se tornar também um problema para o coração. As bactérias que causam as infecções podem chegar aos vasos do coração, através da corrente sanguínea, causando outra inflamação. Com isso, o diâmetro dos vasos diminui e dificulta o fluxo sanguíneo, podendo ser a causa de uma doença coronária ou um infarto.

 

Veja também:

Saúde bucal da família: além da escovação

Síndrome do super-homem: por que os homens precisam cuidar da saúde bucal

Hora do Check-up anual: 4 vantagens em contar com a cobertura de um plano odontológico

Quais os 3 tipos de cirurgia gengival mais comuns?

 

Tipos de problema na gengiva

Gengivite

problema na gengivaEsse tipo de doença gengival traz pouco ou nenhum desconforto, facilitando o descaso e a postergação na busca por tratamento. Porém, se não tratado, pode evoluir para um estágio mais grave. Embora a causa mais comum seja a falta de higiene bucal eficiente, não é a única.

Álcool e cigarro em excesso e algumas medicações contribuem para que a irritação aconteça. Outros fatores também favorecem o problema na gengiva, como, por exemplo, o estresse, o diabetes e algumas mudanças hormonais, especialmente na gravidez.

Periodontite

Nesse estágio, as consequências são mais sérias, podendo causar fortes dores e até a perda dos dentes. A placa bacteriana atinge a gengiva por baixo, causando inflamação. Dessa forma, o tecido se afasta dos dentes, abrindo espaço para a entrada de bactérias nas regiões internas.

5 sinais de alerta para a existência de problema na gengiva

Mudanças na aparência

Um dos primeiros sinais de problema na gengiva é a alteração da cor. A coloração da gengiva é rosada e uniforme. Por isso, atenção se elas estiverem avermelhadas ou arroxeadas. Outra alteração é a retração, expondo uma parte maior dos dentes. Esse é um forte indício de infecção.

Sangramento

É um dos sintomas mais comuns de problema na gengiva. Pode ocorrer durante a escovação, ao passar o fio dental ou ao morder um alimento.

Inchaço ou aftas

O inchaço é um sintoma clássico de inflamação, sendo assim também com a gengiva. Ela pode ficar macia e fofa, quando deveria estar firme e bem apegada aos dentes. As aftas também podem indicar algum problema na gengiva ou na região bucal.

Mau hálito

A halitose pode ser mais um indicativo de problema na gengiva. Os compostos produzidos pelas bactérias liberam um cheiro desagradável, que deve ser investigado. O mau hálito pode apontar também para outras enfermidades, como as doenças intestinais.

Dentes moles

O amolecimento dos dentes é um dos piores sintomas de problema na gengiva, e é sinal de que o problema está se agravando. É causado pelo afastamento da gengiva e faz com que os dentes percam a sustentação. O perigo aqui é a perda dos elementos dentários.

Como tratar um problema na gengiva

O primeiro passo é tratar a infecção, com anti-inflamatórios e antibióticos. Em seguida, o dentista provavelmente fará a restauração das áreas afetadas e a avaliação das causas. Em adição, podem vir a ser necessárias algumas mudanças de hábito ou de alimentação.

Formas de prevenção

problema na gengivaA prevenção para um problema na gengiva é a mesma indicada para qualquer problema na boca e para a preservação da saúde bucal. Em primeiro lugar, evitar ou diminuir o consumo de cigarros, bebidas alcoólicas e alimentos com alto teor de açúcar.

Em seguida, evidentemente, cuidar melhor da higiene bucal. São necessárias, pelo menos, três escovações diárias bem feitas, após as refeições e antes de deitar. O fio dental é, da mesma forma, imprescindível, e deve ser usado uma vez ao dia, no mínimo.

E, por último, realizar as visitas periódicas ao dentista. Ele é o profissional que irá diagnosticar os problemas e realizar os procedimentos e tratamentos indicados para cada situação.

Apesar de parecer simples, um problema na gengiva pode atingir níveis preocupantes e sérios. Além das dores e da perda dos dentes, há o risco de problemas em outras áreas do corpo, como o coração. Porém, é um problema de fácil identificação que, se tratado precocemente, pode ficar restrito a uma pequena intervenção odontológica.

Conheça mais sobre problemas de saúde bucal e seus tratamentos no blog da Uniodonto Uberlândia. Visite o site e contrate online o melhor plano odontológico para você e sua família.

 

convênios odontológicos

Por que a alimentação moderna é uma forte aliada dos convênios odontológicos?

By | Notícias | No Comments

Por que a alimentação moderna é uma forte aliada dos convênios odontológicos?

convênios odontológicos

 

Qual a relação entre a alimentação e os convênios odontológicos? Simples! Uma má alimentação, com baixos níveis de nutrientes, diminui a resistência a infecções, tanto no organismo como um todo, quanto em locais como a cavidade oral. Considerando ser a boca o primeiro contato com o alimento, serão também os dentes e gengivas os primeiros atingidos pela agressão dos nutrientes ruins. A rotina do ser humano na era do fast food e da falta de tempo tende a repetir sistematicamente os maus hábitos na alimentação. Em consequência, os problemas na boca passam a ser recorrentes. Para conseguir arcar com o custo dos tratamentos, o caminho mais seguro e eficiente é o dos convênios odontológicos.

O Blog da Saúde, do Ministério da Saúde, deixa bem claro: “É importante ressaltar que doenças da boca têm relação direta com o fumo, o consumo de álcool e a má alimentação. Estudos científicos também comprovam que a saúde bucal tem íntima relação com a saúde geral, pois a boca interage com todas as estruturas do corpo”.

 

Veja também:

Por que o açúcar faz tão mal aos dentes?

Como manter dentes saudáveis com a rotina estressante do Século XXI?

Mascar chicletes e sua saúde bucal

Como funciona a perícia em plano odontológico

 

Nutrição e Saúde Bucal

Esta relação é mais forte do que normalmente se pensa. Tudo o que se come influencia na saúde dos elementos bucais, especialmente dentes e gengiva. Os alimentos podem evitar ou provocar o aparecimento de doenças bucais, assim como desgastar ou fortalecer os dentes.

Dieta balanceada

convênios odontológicosUma nutrição balanceada consiste em uma alimentação equilibrada, que forneça ao organismo os nutrientes necessários para a manutenção da saúde. Uma boa dieta deve incluir alguns tipos de alimentos que funcionam como limpadores, atuando sobre a superfície dental e eliminando resíduos. Por exemplo, a pera, a maçã, a cenoura e a laranja.

Deve também fornecer ao corpo alguns minerais, como o cálcio e o fósforo, que estão presentes em leite e derivados, cereais integrais, castanhas, vegetais verde escuros, leguminosas e carnes. Da mesma forma, vitaminas, imprescindíveis ao organismo, que são encontradas nas frutas e verduras cruas, carnes e ovos.

Outro fator importante é a consistência do alimento. Quanto mais difícil de ser removido dos dentes, mais deve ser evitado.

Hábitos modernos de alimentação

A vida moderna estimula a comer cada vez pior, com a influência da publicidade e da turbulência diária, que demanda rapidez em todas as ações. O consumo de alimentos ricos em fibras e vitaminas vem sendo substituído pelo de alimentos industrializados. Estes contêm gorduras e carboidratos em excesso, que facilitam a formação de placas e ameaçam a saúde bucal.

O estresse, o fumo, o álcool e as deficiências nutricionais vão minando o sistema imunológico. Os alimentos estão mais macios e pegajosos, exigindo menos mastigação e reduzindo a produção de saliva, que é um processo essencial de limpeza natural da cavidade oral.

Como se resguardar dos principais vilões da alimentação moderna

  • Evitar refrigerantes, café, balas, e guloseimas, especialmente entre as refeições;
  • Evitar alimentos pastosos e grudentos, como as barras de cereais e os sanduíches;
  • Aguardar ao menos meia hora antes de escovar os dentes, após ingerir alimentos ácidos;
  •  Evitar o açúcar, principalmente à noite. Observar, inclusive, os medicamentos que contém esse componente, como xaropes e glóbulos homeopáticos.

Os convênios odontológicos auxiliam na prevenção e no planejamento financeiro

convênios odontológicosEntão, voltando ao início deste post, chegamos novamente à conveniência dos convênios odontológicos. O melhor caminho para a saúde é, seguramente, o de restabelecer os bons hábitos alimentares. Porém, muitas vezes isso não é possível.

Para proteger a saúde bucal e conservar a beleza do sorriso, apesar dos tempos modernos, a saída passa pela prevenção e pelos cuidados frequentes e sistemáticos. A higiene bem feita, com 3 escovações diárias e o uso do fio dental, é indispensável. No entanto, não é suficiente.

 

Como tirar o máximo proveito dos convênios odontológicos

Os convênios odontológicos criam comodidade, ao disponibilizarem o acesso continuado, a partir de pagamentos de parcelas mensais. A escolha de um plano seguro, com uma boa cobertura, cria a oportunidade de manter em dia a saúde bucal de toda a família, dentro de um orçamento planejado.

A organização em pagamentos mensais permite uma maior frequência ao consultório dentário, sem gastos inesperados. Isso resulta na possibilidade de se manter uma rotina preventiva, com os exames periódicos, as limpezas e as aplicações de flúor.

A diversidade de profissionais e clínicas credenciadas permite preferências pessoais e facilidades de locomoção. Além disso, inúmeros procedimentos são disponibilizados, dependendo da cobertura contratada. Limpeza, tratamento de cáries e canais, restaurações, procedimentos estéticos e atendimentos de emergência podem estar incluídos no plano.

O aumento na frequência e a implantação de uma rotina de visitas acaba sendo uma consequência da utilização dos convênios odontológicos. Dessa forma, mantém-se a saúde bucal e garante-se a boa aparência, alcançando mais bem estar e elevação da autoestima.

Por fim, uma última e gratificante vantagem é a de se evitar grandes e dolorosas intervenções, devido ao acompanhamento preventivo. Enfim, na realidade, são os convênios odontológicos os grandes aliados do ser humano contemporâneo e sua alimentação moderna.

 

Veja mais conteúdos relevantes no Blog da Uniodonto Uberlândia e contrate online o plano odontológico ideal para você e sua família.

saúde bucal depois dos 40

Saúde bucal depois dos 40 anos, como lidar?

By | Notícias | No Comments

Saúde bucal depois dos 40 anos, como lidar?

saúde bucal depois dos 40

O envelhecimento é um processo pelo qual todos passamos. Nosso corpo, a partir dos 40 anos, começa a apresentar mudanças significativas. Com a cavidade bucal não é diferente. Os dentes e demais aparelhos da boca sofrem com o desgaste pelo tempo e, na maioria das vezes, por negligência nos cuidados bucais. A higiene oral bem feita e o acompanhamento odontológico devem começar já na tenra infância. E devem seguir ao longo da vida, com atenção especial para as características de cada período. Cuidar da saúde bucal depois dos 40 contribui significativamente para diminuir as chances de doenças periodontais e perda dos dentes. A falta de dentes pode prejudicar a fala, a mastigação e minar a autoestima.

 

Veja também:

Qual a idade certa para obter dentaduras?

Checklist de cuidados com saúde bucal na gravidez

Os segredos para cuidar dos dentes de leite

Saúde bucal da família: além da escovação

 

De acordo com o site da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas, “a perda de dentes é o segundo fator que mais prejudica a qualidade de vida de pessoas entre 45 e 70 anos, segundo dados de uma pesquisa que ouviu 600 latino-americanos, entre eles 151 brasileiros”.

Ainda de acordo com o site, em artigo sobre o estudo feito pela Edelman Insights, um quinto das 39 milhões de pessoas que usam próteses dentárias estão entre 25 e 44 anos. Entrevistados no estudo apontaram a perda de dentes como um obstáculo para os relacionamentos e para a aparência.

Problemas que podem afetar a saúde bucal depois dos 40

Aumento da sensibilidade

Nessa faixa etária, o principal responsável pelo aumento da sensibilidade é o deslocamento da gengiva, que pode expor a raiz dos dentes. Os fatores que agravam esse problema estão relacionados com a má alimentação, estresse, fumo, medicamentos e higiene bucal inadequada.

Boca seca

A boca seca, ou Xerostomia, consiste na diminuição da saliva, que pode provocar dores e aparecimento de cáries. O uso de alguns medicamentos como, por exemplo, os antidepressivos, e a radioterapia de cabeça e pescoço são algumas das causas mais comuns em adultos.

Lesões bucais

O consumo de cigarro e bebidas alcoólicas, ou a utilização de próteses mal adaptadas podem provocar lesões na boca. Essas ulcerações podem vir a ser causadoras de várias doenças bucais, inclusive o câncer.

Além disso, a adaptação às próteses pode ser dificultada por usuários que apresentam osteoporose. Há, ainda, a possibilidade de amolecimento dos dentes que servem de base, por inflamação da gengiva.

Problemas cardiovasculares

Vários estudos já comprovaram a ligação entre a saúde bucal depois dos 40 e os problemas cardiovasculares. De fato, mesmo na ausência dos fatores de risco normais, como pressão alta e diabetes, a perda de dentes está relacionada a um aumento no risco de doenças do coração.

Como lidar com a saúde bucal depois dos 40 anos

Saúde bucal depois dos 40A questão, portanto, é identificar os hábitos e atitudes que podem prevenir a perda da saúde bucal depois dos 40. E as regras são claras: higiene bucal adequada e visitas regulares ao dentista. Como os dentes e demais componentes da boca estão sujeitos às consequências do desgaste pelo tempo e estilo de vida, os cuidados a partir dessa idade devem ser intensificados.

É fundamental a utilização de creme dental com flúor, em três escovações ao dia, aliada ao fio dental, no mínimo uma vez ao dia. A periodicidade das limpezas de consultório e exames preventivos com o dentista deve passar a ser semestral.

O diagnóstico precoce das doenças na boca, especialmente as gengivais, permite que elas sejam revertidas através de tratamentos simples. Do mesmo modo, o dentista pode prevenir problemas em casos de doenças instaladas como diabetes, problemas cardíacos e câncer.

Nos casos em que já houve perda de dentes e foi necessária a colocação de implantes ou próteses, os cuidados deverão ser redobrados. Afinal, esses aparelhos estarão combinados às estruturas naturais, que devem estar sadias para recebê-los.

Mas, uma coisa é certa. Os dentes não têm data de validade e deveriam durar a vida inteira. Por outro lado, a saúde bucal depois dos 40 depende também do estado geral de saúde da pessoa. Por isso, o dentista é um importante aliado para acompanhar e ajudar no enfrentamento desses desafios.

Em contrapartida aos problemas que comprometem a saúde bucal depois dos 40 anos, as novas tecnologias permitem que se façam tratamentos que, antigamente, seriam improváveis nessa fase. Os aparelhos ortodônticos, os alinhadores e os clareamentos são procedimentos que possibilitam melhorar a estética do sorriso e elevar a autoestima.

 

Conheça os planos odontológicos da Uniodonto Uberlândia e escolha o melhor para você e sua família!

Como manter dentes saudáveis com a rotina estressante do século XXI?

By | Notícias | No Comments

Como manter dentes saudáveis com a rotina estressante do século XXI?

como manter dentes saudáveis

O estresse é a reação do nosso corpo para situações de pressão extrema. De fato, é uma resposta hormonal, com componente psicológico. Ele libera substâncias, como os hormônios hidrocortisona e cortisol, responsáveis pela regulação do sistema imune. Em condições estressantes, há a produção de altos níveis de adrenalina e, também, o desencadeamento de processos inflamatórios. Os efeitos na saúde bucal vão desde o bruxismo e aftas, até a formação de cáries e o aparecimento da periodontite. Além disso, a vida moderna, mais do que carregar consigo os perigos da rotina estressante, ainda reduz o tempo e a disposição para os cuidados bucais. Sendo assim, como manter dentes saudáveis?

Segundo o site da Biblioteca Virtual em Saúde, o estresse é a “reação natural do organismo que ocorre quando vivenciamos situações de perigo ou ameaça. Esse mecanismo nos coloca em estado de alerta ou alarme, provocando alterações físicas e emocionais”.

 

Veja também:

Síndrome do super-homem: por que os homens precisam cuidar da saúde bucal?

Qual o tempo de vida útil de um dente?

Ciência do sorriso: por que sorrir é um santo remédio?

Saúde mental e saúde bucal: qual a relação entre elas?

 

Os transtornos atuais e os maus hábitos

 

Inegavelmente, o ritmo alucinante do século XXI tem provocado doenças como ansiedade e depressão, alterando o equilíbrio humano, mental e psicológico. Esses transtornos afetam o estado de normalidade de funcionamento do organismo e estimulam a aquisição de maus hábitos.

A alimentação inadequada, o consumo de álcool, o tabagismo e a negligência corporal tendem a ser incorporados no cotidiano. Com isso, vários problemas de saúde são acarretados, incluindo os bucais. Um grande número de pessoas, atualmente, rangem os dentes e têm distúrbios na articulação temporomandibular (ATM).

Como manter dentes saudáveis com o estilo de vida moderno

Principalmente os moradores de grandes cidades podem não conseguir imaginar como alterar o seu estilo de vida. No entanto, não são necessárias mudanças radicais. Aliás, elas são estressantes e costumam não se sustentar ao longo do tempo. Pequenas mudanças podem trazer grandes efeitos.

Um primeiro passo é a relação consigo mesmo, que pode começar logo pela manhã com um sorriso. Alguns poucos minutinhos à frente do espelho, fazendo as pazes com aquele ser maravilhoso refletido ali. Ele merece ser saudado, ser amado, e receber muitos sorrisos. Comece um belo dia assim!

Noites de sono reparadoras

como manter dentes saudáveisDe antemão, sabemos que nem sempre é possível dormir a quantidade de horas recomendadas e necessárias. Porém, a qualidade do sono pode ser melhorada com algumas ações eficazes:

  • Desligue o celular e todos os equipamentos eletrônicos do quarto;
  • Apague todas as luzes, durma no escuro;
  • Estabeleça a hora de dormir como a hora do banho e tome uma ducha morna;
  • Beba um chá relaxante;
  • Faça uma higiene bucal completa;
  • Force uma pequena pausa na agitação e eleve o pensamento, com gratidão, por alguns minutos;
  • Feche os olhos e durma um sono tranquilo.

A alimentação como aliada

Pense no quanto a natureza é abundante e em como manter os dentes saudáveis com alimentos adequados:

  • Abandone definitivamente o cigarro;
  • Não abuse do álcool;
  • Ao “beliscar” prefira frutas ou chicletes sem açúcar;
  • Evite substituir as refeições por lanches;
  • Carregue sempre o kit de higiene bucal e use-o depois de se alimentar.

Ocasiões de movimento e prazer

Tempo para atividades físicas regulares costuma ser inexistente, então adote medidas paliativas:

  • Ande sempre que puder, mesmo que seja pouco;
  • Brinque com as crianças e animais domésticos;
  • Cultive seus vínculos sociais;
  • Tome alguns minutos de sol todos os dias;
  • Procure alguma atividade ou hobby que goste e faça.

A saúde é o bem mais precioso

Cuidar da saúde é fundamental para prevenir problemas que geram ainda mais estresse. Os checkups e consultas odontológicas devem se tornar uma obrigação anual. Pense em contratar planos de saúde e dentários, de maneira que passem a constar no orçamento familiar. É uma valiosa dica para criar um compromisso com a saúde. E, por fim, evite a automedicação.

O estresse, a ansiedade e as pressões da vida podem provocar o aparecimento de doenças graves que poderiam ser evitadas. A saúde bucal também se ressente, abrindo as portas para o surgimento de enfermidades que levam a dores e perda dos dentes.

Por isso, a resposta para a questão de como manter dentes saudáveis mesmo com uma rotina estressante tem dois aspectos. O primeiro é encontrar os pontos de estresse e tentar combatê-los. O segundo é manter bons hábitos de higiene bucal e métodos de prevenção, buscando o dentista antes que os problemas se estabeleçam.

Visite o site da Uniodonto Uberlândia e saiba como contratar os melhores planos odontológicos para você e sua família.

Por que o açúcar faz tão mal aos dentes?

By | Notícias | No Comments

Por que o açúcar faz tão mal aos dentes?

açúcar faz mal aos dentes

Todos nós sabemos que o açúcar faz mal aos dentes. Mas de que maneira? Em que quantidade? O que acontece na boca quando ingerimos um alimento doce? Existe um fator muito importante a ser considerado em relação ao açúcar. O pior consumo é o consumo frequente. Isto significa que pequenas porções consumidas ao longo do tempo têm um efeito mais devastador do que uma grande porção ingerida de uma só vez. De fato, todas as vezes que o açúcar é levado às bactérias, elas produzem ácidos. O ácido leva apenas 20 segundos para ser produzido e permanece em torno de 30 minutos na boca, destruindo o esmalte dos dentes.

 

Veja também:

Os segredos para cuidar dos dentes de leite

3 dicas para criar bons hábitos de saúde bucal para crianças

Mascar chicletes e sua saúde bucal

Por que eu tenho dentes sensíveis?

 

Como o açúcar afeta os dentes

As bactérias da boca se alimentam do que comemos. Em presença do açúcar, produzem ácidos que conseguem dissolver o esmalte dos dentes, causando a cárie dentária. O que acontece é que, quando o pH da boca cai para 5,7, em função da acidez, ocorre a desmineralização dos dentes. Ou seja, os ácidos dissolvem os minerais do esmalte, deixando-os mais sensíveis.

Alguns sintomas desta desmineralização podem ser percebidos. Por exemplo, partes dos dentes têm sua sensibilidade aumentada, podem mudar de cor, tornando-se amareladas, ou perdem a opacidade, ficando transparentes.

É verdade que o açúcar faz mal aos dentes

açúcar faz mal aos dentesO açúcar é, na realidade, um carboidrato cristalizado comestível e sua principal característica é o sabor. O tipo mais comum é a sacarose, composta de frutose e glicose. Pode ser feito a partir da cana de açúcar, mais usado no Brasil, ou da beterraba, utilizado pelos europeus, mas possuem o mesmo teor adoçante.

Os três tipos de açúcares são os seguintes:

Glicose – é um açúcar simples e atua no corpo gerando energia.

Sacarose – o tipo refinado é um dos mais perigosos, possuindo alto poder de adesão ao esmalte dos dentes.

Frutose – presente nas frutas, é inofensivo. Porém, quando industrializado, passa a ter as mesmas características cariogênicas.

A ingestão indiscriminada de alimentos contendo açúcar faz mal aos dentes. Uma grande frequência na utilização do componente na dieta demanda uma higienização também frequente, além do hábito de beber bastante água. Do contrário, a produção de ácidos e sua presença na boca acabarão por desmineralizar o esmalte dos dentes, produzindo as cáries.

O açúcar é utilizado na fabricação de inúmeros produtos que consumimos. Os mais evidentes são as guloseimas, os refrigerantes, os doces, tortas e sobremesas em geral. Mas muitas comidas processadas também apresentam quantidade considerável de açúcar.

É um bom costume verificar os ingredientes listados nas embalagens, já que eles costumam vir em ordem decrescente de presença no produto. Se o açúcar estiver entre os 5 primeiros, devemos evitar o consumo, presumindo que estaremos colocando em risco nossa saúde bucal.

Como minimizar os efeitos do açúcar nos dentes

Quando comemos ou bebemos produtos açucarados, estamos alimentando as bactérias da boca, pois elas se nutrem principalmente do açúcar. Quanto mais alimentos doces, maior a probabilidade de que as bactérias produzam os ácidos que causam as cáries. Por isso é que o açúcar faz mal aos dentes.

Para minimizar esses efeitos, devemos ter alguns cuidados:

Dieta equilibrada

açúcar faz mal aos dentesÉ impossível viver completamente sem o açúcar, mas podemos controlar a quantidade e a frequência. Uma boa dieta deve conter grãos, frutas, legumes e proteínas e o mínimo de alimentos açucarados pegajosos. A água deve substituir os refrigerantes e os sucos adoçados, e os lanchinhos entre as refeições devem ser evitados.

Higiene bucal adequada

Escovar bem os dentes sempre depois de comer, especialmente alimentos doces, elimina as bactérias e impede a formação de ácidos. Para uma limpeza mais completa, o uso do fio dental, pelo menos 1 vez ao dia, é indispensável. Manter estes acessórios junto ao material escolar ou de trabalho possibilita manter os cuidados mesmo fora de casa.

A escolha de uma boa escova, creme dental com flúor e um fio que se adapte aos dentes funciona como mais um fator de defesa. E, da mesma forma, as consultas regulares ao dentista e a limpeza no consultório, previnem os problemas, combatendo os sinais de desmineralização logo no início.

Quando o assunto é saúde bucal, os temas principais são a alimentação e a prevenção. Uma vez que sabemos que o açúcar faz mal aos dentes, devemos evitar ao máximo o seu consumo. Na impossibilidade, proceder a uma higiene bucal efetiva logo após a sua ingestão e consultar sempre o dentista.

 

Conheça mais sobre saúde bucal e tratamentos dentários no blog da Uniodonto Uberlândia. Visite nosso site e contrate online o melhor plano odontológico para você e sua família.

saúde bucal da família

Saúde bucal da família: além da escovação

By | Notícias | No Comments

Além da escovação: dicas para garantir a saúde bucal da família

saúde bucal da família 

Existem inúmeros motivos para uma pessoa investir na saúde bucal da família. Em primeiro lugar, é sempre bom ter uma família bonita, com dentes brancos e sorrisos atraentes. E segundo, porém ainda mais importante, é saber que todos estão saudáveis e livres do desconforto das dores de dente. E, por último, e não menos relevante, é ter a certeza de que não existe risco de ter que arcar com despesas imprevistas devidas a problemas dentários. Além disso, uma boca saudável, com dentes e gengivas bem cuidados, é importante para uma boa alimentação. A mastigação eficiente depende de dentes bem alinhados e trabalhando de forma correta.

A página de saúde do Governo do Brasil relaciona as principais doenças causadas pela falta de cuidados bucais, como a cárie, a gengivite e a periodontite. E ainda alerta para a possibilidade de ocorrência de outras doenças no corpo, como a endocardite bacteriana, oriunda de bactérias que entram na corrente sanguínea e invadem a válvula cardíaca.

Afinal, a cavidade oral é a porta de entrada da alimentação, que é vida, mas também de várias doenças graves, que podem atingir o coração e os rins. Pois bem, existem boas dicas para garantir a saúde bucal da família e manter a integridade dos dentes até a velhice.

 

Veja também:

Odontogeriatria: cuidados especiais na saúde bucal de idosos

Como lidar com a saúde bucal de acordo com a faixa etária

8 dicas para você cuidar da saúde bucal de bebês

Checklist de cuidados com saúde bucal na gravidez

 

Dicas para garantir a saúde bucal da família

A dica mais importante é cuidar. Criar e manter hábitos que possam conduzir toda a família por um caminho de mais saúde.

saúde bucal da família

Começar pelas crianças

Os cuidados com a saúde bucal dos pequenos devem ser iniciadas já com o aparecimento dos primeiros dentinhos. De fato, os dentes de leite estão sujeitos às mesmas doenças que os permanentes. Com a inserção de rotinas de higiene desde cedo, mantém-se os dentinhos saudáveis e uma nova dentição forte.

 

Escovação

Escovar dentes e língua, pelo menos, 3 vezes ao dia é regra fundamental para garantir a saúde bucal da família. É importante escolher uma escova adequada e promover a troca dela a cada 3 meses. Além disso, uma atenção especial deve ser dada também à escolha do creme dental, que deve ter a quantidade de flúor indicada para cada idade.

Fio dental

O fio dental é tão importante quanto a escova e deve ser utilizado diariamente. Pois é ele que alcança os lugares mais difíceis, promovendo uma limpeza completa e evitando a formação de placa bacteriana.

Alimentação

Evitar açúcares e alimentos muito coloridos e dispensar os refrigerantes e o cigarro. Além de escurecer os dentes, facilitam a formação do tártaro e de cáries.

Intensificar os cuidados na terceira idade

Cuidar da saúde bucal na terceira idade resulta em uma boa aparência e na capacidade de realizar uma boa mastigação. Esses fatores favorecem a rotina alimentar, promovendo a manutenção da saúde e elevando a autoestima.

Visitar o dentista regularmente

A recomendação é de uma visita anual para adultos abaixo de 30 anos e de duas visitas anuais para crianças, adolescentes e adultos após esta idade. O dentista é responsável por avaliar o desenvolvimento dos dentes, fazer as limpezas necessárias e estar atento aos sinais de alerta para problemas bucais.

Dica para manter o equilíbrio financeiro ao cuidar da saúde bucal da família

Os gastos com a saúde bucal da família não devem desequilibrar a vida financeira. É importante investir de forma correta, evitando sobressaltos e descontrole no orçamento familiar. E, nesse caso, a melhor dica é:

Contratar um bom plano odontológico

A adesão a um plano odontológico ajuda no planejamento das despesas com tratamentos dentários e manutenção da saúde bucal da família. Além de proporcionarem segurança, evitam os gastos inesperados. Os planos familiares possibilitam a inclusão de diferentes tipos de dependentes, de acordo com o contrato. Pesquisar e avaliar as diversas opções e empresas é importante para fazer a melhor opção.

saúde bucal da famíliaPortanto, cuidar da saúde bucal da família envolve a conscientização de todos quanto às rotinas adequadas de higiene bucal, como escovação correta e utilização do fio dental. Pressupõe também uma atenção especial às crianças e integrantes da terceira idade, uma alimentação saudável e as consultas periódicas com o dentista.

Em suma, o ideal é sempre a prevenção. E prevenir significa prover um acompanhamento permanente e constante no cuidado com a saúde bucal da família. Destinar um valor mensal programado com este objetivo é a melhor forma de proteger os entes queridos, resguardando a estabilidade orçamentária familiar.

 

Conheça os planos odontológicos da Uniodonto Uberlândia feitos sob medida para você e sua família. Visite o site e contrate online a sua melhor opção de segurança e tranqüilidade.

Hábitos para reduzir risco de câncer bucal

By | Notícias | No Comments

Hábitos que você precisa adotar na sua vida para reduzir risco de câncer bucal

reduzir risco de câncer bucal

Prevenção e mudança no estilo de vida são atitudes que devemos adotar para reduzir risco de câncer bucal. Muitas causas do câncer de boca podem ser evitadas e isso depende apenas de conscientização e vontade. O tabagismo, o consumo de bebidas alcoólicas e a exposição excessiva aos raios solares são alguns exemplos. O conhecimento acerca dos fatores de risco, sobre como a doença se manifesta e a importância do autoexame pode ser o diferencial para a manutenção da saúde. Além disso, uma vez que o câncer se instale, o diagnóstico precoce pressupõe uma maior chance de cura. Por todos esses motivos, as visitas periódicas ao dentista são fundamentais.

Veja também:

Síndrome do Super-homem: por que os homens precisam cuidar da saúde bucal?

Como aliviar a dor de dente?

5 dicas sustentáveis para desperdício zero com saúde bucal

Seu plano dentário: você está coberto?

 

Sabemos que frutas, legumes e verduras possuem efeitos que ajudam a reduzir risco de câncer bucal. Por outro lado, gordura e alimentos de origem animal provocam efeito contrário. As mudanças na alimentação dependem de várias condições, mas deve começar a ser uma das principais preocupações do homem contemporâneo.

O câncer de boca

O câncer bucal é uma variação de uma doença cuja principal característica é a geração de células anormais, a partir do crescimento celular descontrolado. Pode afetar os lábios ou o interior da cavidade bucal, como gengivas, mucosa jugal (bochechas), palato duro (céu da boca) e língua (principalmente as bordas), assoalho (região embaixo da língua). O câncer do lábio é mais frequente no lábio inferior e em pessoas brancas.

Os primeiros sinais a ser observados são:

  •         Manchas ou placas vermelhas ou esbranquiçadas em qualquer lugar da cavidade bucal, como gengivas, língua, céu da boca e bochechas;
  •         Lesões nos lábios ou na cavidade oral, que não cicatrizam em 15 dias;
  •         Caroços no pescoço;
  •         Rouquidão persistente.

Quando a doença avança, podem surgir:

  •         Dificuldades para mastigar, engolir ou falar;
  •         Sensação de alguma coisa presa na garganta.

Como reduzir risco de câncer bucal

reduzir risco de câncer bucal

 

 

Hábitos saudáveis promovem saúde e bem estar. De fato, praticar exercícios físicos com regularidade, evitar cigarros e bebidas alcoólicas e se alimentar bem são os passos principais para uma vida saudável. E, consequentemente, também para reduzir risco de câncer bucal.

Criar e manter um estilo de vida saudável em ambientes hostis, como as grandes cidades, é realmente difícil. Mesmo com todos os conhecimentos e informações, as rotinas apertadas e os grandes deslocamentos roubam nossas boas intenções. É necessário, portanto, uma grande reserva de força de vontade e a consciência de que a vida vale muito a pena.

 

Faça da mudança um projeto de vida

Aproveite qualquer tempo que tiver para cuidar de si. Afinal, alguns minutos de automassagem, meditação ou alongamento já fazem muito bem. Planeje a agenda do dia seguinte antes de dormir. Estabeleça algumas pequenas metas, como, por exemplo, caminhar por algumas quadras, frequentar alguma academia que fique no caminho de casa ou acompanhar aulas de exercícios pela internet. Mas, acima de tudo, respeite seus limites.

Organize sua alimentação

Escolha um dia da semana para planejar a dieta da semana. Invista em alimentos preparados em casa. Faça e congele. E tenha no refrigerador bastante frutas, legumes e verduras, que ajudam a reduzir risco de câncer bucal. Evite alimentos com alto teor de gordura e sódio.

Inclua na alimentação vitaminas e fibras que, somados aos antioxidantes das frutas, verduras e legumes, ajudam o organismo a destruir agentes cancerígenos e bloqueiam ou revertem a formação de tumores. E, definitivamente, afaste-se do cigarro e das bebidas alcoólicas.

Descanse e controle o estresse

reduzir risco de câncer bucal

Procure encontrar atividades que provoquem boas sensações, como a prática de ioga, um passeio no parque, um piquenique. Use o final de semana para descansar o corpo e a alma. Ao mesmo tempo, valorize a qualidade do seu sono. Desligue luzes e aparelhos eletrônicos ao deitar, tome um chá, um banho morno, e deixe que seu corpo se desconecte e relaxe.   

Cuide da higiene bucal e da prevenção para reduzir risco de câncer bucal

Mesmo com toda a correria, faça dos cuidados bucais uma rotina, com escovação 3 vezes ao dia e utilização do fio dental. Visite seu dentista pelo menos 2 vezes ao ano para que ele faça a limpeza e o exame bucal. Proteja-se. Cuide-se. Lembre-se que sua vida é sua responsabilidade.

Parece difícil, mas a implantação de hábitos saudáveis, como evitar o fumo, a bebida, cuidar da higiene bucal, manter uma dieta rica e visitar regularmente o dentista é a forma mais garantida de reduzir risco de câncer bucal.

Veja mais assuntos de seu interesse no Blog da Uniodonto Uberlândia, conheça nossos planos odontológicos e contrate on line a melhor opção para você e sua família.

Por que tenho dentes amarelados?

By | Notícias | No Comments

Por que tenho dentes amarelados?

Dentes amarelados

O amarelamento dos dentes pode iniciar-se com uma ou mais manchas amarelas ou pelo escurecimento progressivo em toda a arcada dentária. Normalmente começa e se instala mais facilmente na parte de dentro dos dentes, onde a higienização é mais difícil. Com efeito, a aparência amarelada é fruto da ação ofensiva de determinados alimentos, bebidas e medicamentos, associada a hábitos inadequados de higiene bucal. Entretanto, com o passar dos anos a camada translúcida de esmalte dentário também sofre desgaste natural. Nesse processo, a camada mais interna da dentina, que é amarela, começa a ficar mais visível, criando um aspecto de dentes amarelados.

Só há uma maneira de evitar ou, no mínimo, postergar o processo de amarelamento dos dentes: os cuidados bucais. Escovar três vezes e passar fio dental, ao menos uma vez, são tarefas diárias obrigatórias para quem quer manter dentes brancos e saudáveis. A limpeza profissional de seis em seis meses é outro procedimento indispensável.

 

Veja também:

Como escolher o melhor creme dental?

Planos odontológicos Uniodonto Uberlândia: a primeira opção para a família

3 dicas para criar bons hábitos de saúde bucal para crianças

Qual é o tempo de vida útil de um dente?

Em outras palavras, o segredo é a prevenção. Veja a seguir alguns fatores mais comuns que podem causar o aparecimento de dentes amarelados:

Fatores Genéticos

Dentes amarelados

De fato, nem todos têm os dentes com a mesma cor. Algumas pessoas já possuem dentes naturais de uma tonalidade mais escura devido à herança genética. Os dentes podem ser totalmente brancos, marrom avermelhados, amarelo avermelhados, cinza avermelhados ou cinzentos, que variam ainda em função da luz.

Tabaco

O hábito de fumar deixa os dentes amarelados e com manchas superficiais. Além disso, cria uma falsa sensação de boca limpa, contribuindo para o descuido da higiene bucal.

Alimentos

Alimentos muito coloridos, como, por exemplo, molhos, massa de tomates e algumas especiarias, contêm pigmentos que aderem ao esmalte, manchando a superfície dos dentes.

Bebidas

Nesse caso também deve haver a atenção para as bebidas de cor forte, como café, chá, vinho, refrigerantes e bebidas com aromatizantes artificiais.

Fluorose

O excesso de flúor na água, em pastas dentais e tratamentos de fluoreto pode causar manchas amarelas ou acastanhadas. Apesar de ser um elemento fundamental para proteção para os dentes, o flúor é um mineral tóxico. Uma concentração dentro do recomendado previne as cáries e, portanto, fortalece os dentes. Em exagero, provoca a fluorose.

Traumas dentários

Acidentes podem quebrar o esmalte dos dentes, causando danos ao seu interior. Se não sofrer a intervenção de um profissional, pode expor a dentina, deixando os dentes amarelados.

Bruxismo

Do mesmo modo que no item anterior, trincar e ranger os dentes também pode chegar a quebrar o esmalte dos dentes.

Medicamentos

Especialmente a tetraciclina presente nos antibióticos é causadora de manchas nos dentes. Caso a gestante tenha consumido antibióticos no final da gravidez ou a criança até os oitos anos, existe a possibilidade de que os dentes permanentes da pessoa, quando adulta, tenham sido manchados.

Falta de higiene bucal

A ausência de uma rotina adequada de limpeza, utilizando escova e fio dental, colabora com as outras causas já citadas, propiciando o aparecimento de dentes amarelados.

Como prevenir e evitar os dentes amarelados?

Dentes amarelados

Cuidados adequados podem prevenir a maioria das causas de amarelamento dos dentes. Exceto o fator genético, os demais podem ser evitados ou corrigidos. Uma boa alimentação, boas noites de sono e controle do estresse retardam o processo de envelhecimento e isso inclui também os dentes.

Evitar o cigarro, os traumas dentários e tratar o bruxismo são medidas que dependem somente de atenção e atitude. Consultar um dentista e recorrer a um procedimento de clareamento ou branqueamento pode ser uma boa solução para restaurar a cor original dos dentes.

Ter os dentes amarelados não é apenas uma questão estética, embora os dentes brancos façam mais sucesso em um sorriso. Quando a alteração da cor é resultante de fatores ligados ao adoecimento dos dentes, um dentista deve ser logo procurado e o problema resolvido. O escurecimento é um alerta para a existência de tártaro ou fissura nos dentes.

Saiba mais sobre problemas dentários e assuntos relacionados à Odontologia no blog da Uniodonto Uberlândia. Conheça nossos planos dentários e contrate on line o melhor para você e sua família!

Síndrome do super-homem: por que os homens precisam cuidar da saúde bucal?

By | Notícias | No Comments

Síndrome do super-homem: por que os homens precisam cuidar da saúde bucal?

Cuidar da saúde bucal

Com muita relutância, os homens começaram a se preocupar mais com a aparência, seja por motivos profissionais, seja por motivos estéticos. Durante muito tempo, tanto os cuidados com a aparência quanto com a saúde do homem estiveram ligados a uma imagem de fragilidade. Afinal, um homem forte deveria ser inatingível e invulnerável, buscando ajuda apenas em situações de extrema necessidade. Assim, negligenciava-se a saúde de uma maneira geral e, mais ainda, quando se tratava da saúde bucal. Porém, hoje, a imagem de um homem de sucesso inclui um corpo saudável e um sorriso brilhante. E, seguindo a tendência da cultura moderna, os homens estão sendo obrigados a cuidar da saúde bucal.

Todavia, não há como separar um visual bonito de uma aparência saudável. Assim como a concorrência no mercado de trabalho, tão diversificado e competitivo, torna imprescindível uma boa apresentação. E a libertação do homem de conceitos equivocados de masculinidade foi responsável, também, pelo resgate da autoestima e da vaidade.

Veja também:

Cuidados com a saúde bucal

Odontologia esportiva: saúde bucal para atletas

Como acabar com afta na boca

Plano dentário: vantagens e desvantagens

A importância de cuidar da saúde bucal

Cuidar da saúde bucal

 

Segundo uma pesquisa de 2015, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), apenas 48,4% dos homens declararam utilizar o trio escova, pasta dental e fio dental. No entanto, quando o fator escolaridade é levado em consideração, este percentual sobe consideravelmente.

De fato, a educação tem sido a grande propulsora de atitudes positivas e hábitos mais conscientes. A informação, hoje tão acessível, tem ajudado a transformar culturas, elevando a saúde para um patamar mais alto na escala de prioridades.

Podemos, com facilidade, ter acesso aos fatores de risco de várias doenças. E aprendemos que muitas delas começam pela boca, pelas doenças bucais. Em resumo, não cuidar da saúde bucal pode custar perda precoce dos dentes, dores e consequências mais sérias, inclusive para outros órgãos do corpo.

Doenças bucais

A cárie, uma das doenças bucais mais comuns, ocorre, normalmente, devido à falta de hábitos de higiene bucal. Some-se a isto um consumo excessivo de açúcares, alimentos ácidos, tabagismo e ingestão de bebidas alcoólicas.

Por inúmeras razões, as mulheres costumam mais cautelosas em relação à alimentação. Entretanto, entre os homens não parece haver grande preocupação quanto ao que é ingerido, seja na quantidade quanto na qualidade. Ao mesmo tempo, não existe também o costume de fazer visitas ao dentista. As atividades diárias e a efervescência do mundo moderno acabam fazendo com que a saúde fique em segundo plano.

Outras doenças bucais, como o aparecimento da placa bacteriana, a gengivite, a halitose e a periodontite, também estão relacionadas à ausência de cuidados bucais corretos. É óbvio que outros fatores podem facilitar o seu aparecimento, mas uma parceria com a escova e o fio dental pode fazer muita diferença.

A prevenção e a saúde

A instalação de uma rotina semestral de visita ao consultório do dentista tem várias vantagens. A primeira delas é exatamente a de cuidar da saúde bucal. Mas o profissional de odontologia está preparado para identificar outras doenças que, ocasionalmente, usam a boca para mostrar seus sinais.

Aids – gengiva inflamada, grandes aftas, placas esbranquiçadas e listras verticais brancas na lateral da língua podem ser sinais da doença.

Anemia – uma das características da doença é uma língua mais lisa e menos áspera.

Bulimia – regurgitar com frequência pode machucar a mucosa da boca e corroer as camadas superficiais dos dentes.

Câncer bucal – aftas ou lesões que não desaparecem em duas semanas podem ser indícios da doença.

Cirrose hepática – as partes moles da boca podem se tornar amareladas e até esverdeadas.

Doenças autoimunes – costumam provocar feridas doloridas na boca, que não se fecham facilmente.

Diabetes – o descontrole nas taxas de açúcar pode provocar gengivite e um hálito cujo cheiro lembra frutas envelhecidas.

Leucemia – provoca inchaço na gengiva e sangramentos sem motivo aparente.

Sífilis – placas vermelhas e úlceras na gengiva que demoram a cicatrizar podem ser os primeiros indícios da doença.

O melhor caminho para cuidar da saúde bucal

Cuidar da saúde bucalA melhor forma para um homem se sentir confortável e estimulado para enfrentar uma visita ao dentista é ter um plano odontológico. Afinal, é fácil de usar e já está sendo pago. Depois, pode facilitar alguns pequenos “excessos” estéticos, pois possui um leque de opções disponível e acessível, dependendo da cobertura.

O mundo de hoje exige boa aparência e os homens estão percebendo que ela influencia tanto no mercado de trabalho quanto na esfera social. Por tabela, para se ter boa aparência é necessária uma boa saúde. Além disso, uma boa apresentação aumenta a autoestima. Autoestima gera confiança. E confiança é o que faz nosso sorriso mais bonito! Para isso, é preciso cuidar da saúde bucal.

 

Conheça os planos odontológicos da Uniodonto e Contrate Online o melhor para você e sua família!