Endodontia: entenda o tratamento de canal

 

Em muitos casos, quando realizamos uma consulta ao dentista, somos encaminhados ao endodontista. Nessa hora, o alarme soa: tratamento de canal! E quase sempre é verdade. A Endodontia é a especialidade da Odontologia que trata a polpa dentária, ou seja, o interior do dente. A função do endodontista é preservar um dente mesmo com estrutura coronária danificada ou destruída, desde que ainda possua funcionalidade. Ou seja, cujo remanescente radicular ainda possa ser considerado. Faz parte, também, da Endodontia a capacidade de eliminar infecções decorrentes de necroses e eliminar dores intensas provocadas por inflamações na polpa. Porém, o tratamento de canal é o procedimento mais frequente desse ramo da Odontologia.

 

Veja também:

17 inimigos dos dentes que vá surpreender você

O que acontece com os dentes dos fumantes?

10 fatos que você precisa conhecer sobre a Halitose

 

Lesões no dente também nos levam ao endodontista. Afinal, fraturas no dente, que podem acontecer em acidentes ou quedas, podem lesionar as partes internas do elemento dentário. É sempre importante consultar um especialista nessas situações, pois podem até levar à perda do dente.  

Sinais que indicam a necessidade de Endodontia

As consultas ao dentista devem ser feitas periodicamente, de seis em seis meses. Dessa forma, podemos evitar que os problemas dentários se agravem. Entretanto, qualquer alteração na cavidade oral ou dor de dente, mesmo que pequena, já é um bom motivo para retornar ao consultório.

Devemos ficar atentos especialmente a alguns sintomas, que podem indicar que um endodontista deve ser procurado:

  • Sensibilidade intensa e constante, ao contato com alimentos frios ou quentes;
  • Incômodo ao toque;
  • Dor de dente contínua;
  • Inchaço em torno do dente dolorido;
  • Dificuldade para mastigar;
  • Escurecimento do dente;
  • Dor no maxilar superior ou na mandíbula.

O que é o tratamento de canal feito pela Endodontia?

O tratamento de canal é uma pequena cirurgia e, portanto, pressupõe alguns cuidados. Apesar de ser feito com anestesia, o paciente pode sentir alguma dor após o procedimento. Por isso, é importante tomar os medicamentos indicados, manter a higiene bucal e evitar a mastigação com o lado afetado.

Dependendo do grau de inflamação ou da complexidade, podem ser necessárias várias visitas ao dentista. De modo geral, o tratamento de canal segue os seguintes passos:

1 – Acesso à raiz do dente

O dente é anestesiado e é feita uma abertura através da coroa do dente até a câmara da polpa.

2 – Retirada da polpa

O tecido mole pode estar inflamado, infectado por alguma bactéria ou necrosado. São, então, utilizadas limas especiais para eliminar a polpa doente dos canais. Em seguida, é feita a irrigação para limpeza e remoção de resíduos e a modelagem do canal para restauração.

3 – Restauração do canal com material permanente

A obturação ou selagem do canal é feita para proteger contra futuras infecções e contaminação por bactérias. Depois é feito um preenchimento temporário do dente, para vedar a abertura. Em alguns casos, pode ser necessária a colocação de um pino na raiz, para dar mais suporte à coroa.

A partir desse ponto, o dente recebe uma restauração com material permanente ou a fixação de uma coroa.

O tratamento de canal, embora temido, é o único caminho para se evitar um quadro mais grave. Um infecção que chegou à parte interna do dente, se não tratada, pode provocar, inclusive, um edema facial. Além disso, pode atingir a corrente sanguínea e causar sérios problemas de saúde. Sem contar, é claro, com a perda do dente.

Como evitar o tratamento de canal?

Depois que a infecção chegou ao nível de atingir a polpa dentária, não há como evitar o tratamento de Endodontia. Porém, é fácil prevenir. Para isso, bastam os cuidados com a saúde bucal, especialmente com a higienização. As recomendações são as mesmas para evitar as cáries:

  • Escovar os dentes três vezes ao dia, após as refeições;
  • Cuidar da alimentação e evitar o consumo excessivo de açúcar;
  • Usar o fio dental pelo menos uma vez ao dia;
  • Fazer aplicações de flúor;
  • Eliminar o tabagismo e restringir bebidas alcoólicas ou ácidas;
  • Utilizar enxaguante bucal, indicado por profissional;
  • Visitar o dentista de seis em seis meses.

A prevenção é a principal arma contra as doenças bucais. Estabeleça uma rotina eficiente de higiene bucal e mantenha um bom plano odontológico. Torcemos para que você não precise da Endodontia, mas, se precisar, conte com a Uniodonto Uberlândia.

 

Leave a Reply