O que é bruxismo dentário?

By 9 de janeiro de 2019 março 13th, 2019 Notícias

O nome assusta: bruxismo. Quem recebe o diagnóstico recupera de seu imaginário infantil imagens de bruxas e bruxarias.  O que o fato de sentir dores fortes na cabeça, no rosto, nos ouvidos e nos dentes tem a ver com o mundo das bruxas? E a resposta é: nada! O que ocorre é uma incorreção na pronúncia da palavra que designa o distúrbio. A pronúncia correta deveria ser “brucsismo”, que veio do neologismo “bruxomanie” introduzido em 1907 pelos autores franceses Marie e Pietkiewicz, e que significa “mania de ranger os dentes”. Porém, o termo bruxismo (x com som de ch), está consagrado na língua portuguesa, não tendo sido substituído nem pelo novo termo “briquismo”. Divergências prosódicas à parte, importa focarmos no distúrbio em si: o que é bruxismo?

De causas não definidas e sem cura conhecida, a disfunção atinge adultos e crianças, sendo maior a incidência entre mulheres. O bruxismo infantil tende a desaparecer na adolescência.

O que é bruxismo?

É uma desordem funcional que desencadeia o hábito involuntário de pressionar fortemente a mandíbula, muitas vezes rangendo os dentes, sem que se perceba. Pode ocorrer durante o dia ou no decorrer do sono. Alguns profissionais classificam o bruxismo diurno como briquismo e mantêm o termo bruxismo para o hábito noturno.

 

Na maioria das vezes, as pessoas só ficam sabendo que possuem o problema quando alguém da família relata a ocorrência de sons e rangidos enquanto está dormindo, ou quando percebe os estragos na arcada dentária. Há casos extremos em que grandes lesões dentárias permanentes são geradas devido à sobrecarga na mandíbula. Essa pressão pode acarretar desgaste e amolecimento nos dentes, dores de cabeça e nas articulações da mandíbula, e, em casos mais graves, problemas nos ossos e gengiva.

Veja também:

5 alimentos que prejudicam sua saúde bucal

Câncer bucal: entenda os sintomas e tipos da doença

15 males que podem ser evitados com visitas regulares ao dentista

Qual a relação entre saúde mental e saúde bucal?

Principais causas do bruxismo

Embora as causas não sejam totalmente conhecidas, alguns fatores podem ser gatilhos para a ocorrência da disfunção:

  • Ansiedade, estresse ou tensão;
  • Má oclusão, ou seja, desalinhamento dos dentes;
  • Apneia ou outros problemas respiratórios do sono;
  • Fechamento inadequado da boca;
  • Refluxo gástrico;
  • Efeito de medicações;
  • Problemas neurológicos.

Sintomas do bruxismo

Quem acorda de manhã e sofre com dores na mandíbula ou na região das têmporas entende o que é bruxismo e reconhece seus sintomas:

  • Desgaste e amolecimento dos dentes;
  • Língua e bochechas marcadas;
  • Quebra de dentes ou restaurações sem motivo aparente;
  • Travamento da mandíbula;
  • Dor de cabeça;
  • Dor e zumbido no ouvido;
  • Dor no pescoço, na mandíbula e na face;
  • Estalos ao abrir e fechar a boca ou ao movimentar o pescoço.

Tratamento do bruxismo

Não existe cura para o bruxismo, mas um exame clínico pode identificar algumas situações de mordida anormal que serão resolvidas por um dentista. Outras formas de tratamento dependem da investigação de potenciais causas do problema e têm a finalidade de diminuir a dor e prevenir danos dentais:

  • Alinhamento da mandíbula;
  • Protetores bucais, que são placas interoclusais de acrílico ou silicone indicadas para relaxar os músculos e diminuir o atrito entre os dentes;
  • Redução da tensão provocada por estresse.

Ao identificar o que é bruxismo e constatar a existência dos seus sintomas, um profissional de saúde deve ser procurado para a confirmação do diagnóstico e tratamento. Este profissional pode ser um clínico geral, um dentista, um fonoaudiólogo ou um psiquiatra. Porém, o mais certo é que o próprio dentista constate o problema nas visitas regulares ao consultório.

Em paralelo, algumas medidas podem ser tomadas para minimizar os efeitos do bruxismo:

  • Mastigar alimentos duros, como maçãs e cenouras, antes de dormir, para acalmar a mandíbula;
  • Aplicar calor nos lados da face, relaxando a tensão nos músculos da mandíbula;
  • Evitar a ingestão de alimentos estimulantes, como café, chá preto e energéticos;
  • Evitar excesso de estímulos ao ir para a cama, especialmente pelo uso de celulares;
  • Tomar uma ducha quente antes de deitar;
  • Introduzir na rotina diária práticas de relaxamento ou meditação.

Saiba mais sobre esta disfunção e outros problemas de saúde oral acompanhando nossos artigos no Blog da Uniodonto Uberlândia.

Leave a Reply