Mau hálito: o que realmente significa e como tratar

By 30 de abril de 2018 março 7th, 2019 Notícias

A situação é incômoda, mas muitas pessoas já avisaram um amigo ou foram alertados sobre estar com o hálito ruim. O mau hálito afeta 40% da população do mundo de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Aqueles que sofrem com mau hálito, também conhecido como halitose, podem não perceber que padecem com essa desagradável situação bucal. O corpo humano habitua-se a cheiros quanto este é constante.

A alteração no odor bucal indica que o organismo está em desequilíbrio. As causas podem estar ligadas à ingestão de alimentos específicos, higienização mal feita, doenças bucais e patologias crônicas. Ficar atento às alterações gerais na saúde contribuem para que o cirurgião dentista, descubram as razões desta condição.

Entenda as causas da halitose e veja como tratá-la

Como saber que sofro de mau hálito?

O hálito de uma pessoa saudável é ligeiramente perceptível podendo variar de acordo com sua dieta. A ingestão de alimentos que possuem alto teor de enxofre (como alho, cebola e repolho) e gordura animal podem provocar a halitose temporária.

Outra situação comum de hálito fétido acontece durante o sono. Ao acordar, todos estão suscetíveis a estar com bafo matinal. Portanto, a alteração no odor do hálito em si não é um indicador de problema de saúde. Feita a limpeza correta da boca ou a espera da digestão completa o cheiro deve voltar ao estado normal.

Contudo, se o odor do hálito perdurar mesmo tendo tomado os cuidados, ele merece ser investigado. Pode ter virado um problema crônico.

 

Você pode se interessar também:

Como é uma consulta odontopediátrica?

Conheça as principais especialidades em Odontologia

15 males que podem ser evitados com consultas regulares ao dentista

Como funciona a perícia em plano odontológico?

 

Identificando o problema

Para saber se você sofre com mau hálito, é possível realizar um teste simples para verificar o grau de severidade da condição com a ajuda de alguém de confiança. 

O teste organoléptico, como é chamado, pede que o indivíduo fique com a boca fechada por um minuto e, em seguida, solte um jato de ar leve em direção ao nariz do examinador a uma distância de 15 à 30 centímetros. Após, pede-se que classifique o hálito em uma escala de 1 a 5, sendo a primeira quando não se percebe nenhum odor e a última quando o mau hálito é sentido em todo o ambiente.

Quais as causas da halitose?

Reconhecida a condição, é indicado que o portador consulte um dentista para detectar a causa do mau hálito. De acordo com a Associação Brasileira de Halitose (ABHA), existem mais de 60 fatores que contribuem para a alteração do hálito e 90% deles estão relacionados a problemas na cavidade bucal.

A presença da placa bacteriana (camada incolor e viscosa depositada junto à gengiva), tártaro (biofilme amarelado e mineralizado nos dentes em consequência da placa bacteriana) e cárie (destruição do esmalte dentário) são grandes responsáveis pelo odor desagradável na boca.

Doenças que afetam a gengiva (gengivite) e os tecidos que sustentam os dentes (periodontite) também contribuem para condição, assim como a saburra lingual (revestimento de aspecto branco ou amarelado na língua).

Além da boca, o mau hálito pode ser consequência também da diabetes, problemas renais, hepáticos e nas vias aéreas, infecção de garganta, uso excessivo de medicações e alto consumo de bebidas alcoólicas e tabaco.

Tratamentos e cuidados necessários para evitar o mau hálito

O mau hálito pode afetar relações interpessoais tornando-se uma barreira social. O indivíduo que sofre dessa condição pode ficar constrangido com a percepção de outros do odor, podendo afetá-lo psicologicamente e levando a quadros de isolamento social, falta de autoconfiança e baixa auto estima. Desta forma, profissionais da odontologia devem tratá-lo com uma abordagem ampla e multidisciplinar.

Com o diagnóstico feito, o dentista irá indicar o procedimento mais adequado para tratamento. Para casos de placa bacteriana, tártaro e saburra lingual, a realização de uma limpeza bucal profissional é imprescindível. A melhor forma é trabalhar de forma preventiva com a higienização correta dos dentes, língua e boca com o auxílio de escovas macias, pastas de dentes fluoradas e uso de fio dental diariamente.

O blog da Uniodonto traz semanalmente conteúdos para deixá-lo cada vez mais informado sobre cuidados com a sua saúde bucal. Siga nossa página no facebook para não perder nenhum post.

Leave a Reply