Categoria

Notícias

Como evitar o ranger dos dentes sem usar placa protetora bucal

De | Notícias | Sem comentários

O hábito de apertar e/ou ranger os dentes configura um distúrbio do movimento denominado Bruxismo. Consequentemente, existem dois tipos de bruxismo: o do Sono e o de Vigília. O Bruxismo do Sono é um evento totalmente involuntário, já o Bruxismo de Vigília aparentemente é semi voluntário. Entretanto, não existe uma definição exata do bruxismo, assim como nenhum tratamento se mostrou totalmente eficaz e permanente. Até pouco tempo, o procedimento mais indicado consistia em diminuir as dores provocadas pelo distúrbio e prevenir os danos aos dentes. Em primeiro lugar, usar placa protetora bucal, ou placa oclusal, é uma forma de proteger os dentes do atrito. E, em segundo, a ingestão de analgésicos uma maneira de aliviar as dores.

Como diagnosticar o Bruxismo?

O bruxismo é diagnosticado a partir de relatos de rangido dos dentes e por sinais e sintomas clínicos. Porém, o simples desgaste dentário não deve ser considerado como diagnóstico definitivo.

Esta confirmação deve ser feita a partir de dados EMG (eletromiografia) dos músculos mastigatórios. Desta forma, a Polissonografia é o método mais efetivo para o diagnóstico.

 

Veja também os artigos relacionados:

O que é preciso para quebrar um dente?

O que é bruxismo dentário: principais causas, sintomas e tratamento

Disfunção da ATM: o que é e como tratar?

Bruxismo: entenda a doença e conheça tratamentos

Por que dentistas aconselham usar uma placa protetora bucal?  

Devido à falta de um consenso sobre as causas e tratamentos do bruxismo, ainda hoje tem se tratado basicamente os efeitos sobre o organismo.

Em primeiro lugar, dores fortes nas mandíbulas, nas têmporas, na cabeça, no pescoço e até nos ouvidos são uma constante para os cerca de 20% dos brasileiros, na maioria mulheres, que sofrem com o problema. Em segundo, o desgaste dos dentes é bastante comum e chega, por exemplo, a quebras e até perda de restaurações.

E é aí que entra o uso de placas protetoras bucais. As placas, em acrílico ou silicone, moldadas pelo dentista, são feitas sob medida e colocados em torno dos dentes superiores ou inferiores. Além de prevenir o desgaste dentário, a placa pode ajudar a modificar o condicionamento do usuário, criando uma sensação diferente daquela anterior, de atrito entre os dentes.

Existem maneiras de tratar o bruxismo sem usar placa protetora bucal?

Acredita-se que dentre as causas do distúrbio podem estar o estresse, a ansiedade, fatores genéticos e a oclusão dental. Em função disto, o controle emocional através de medicamentos, terapias e tratamentos alternativos, como a Acupuntura e a Toxina Botulínica, costumam ser indicados. Porém, podem não surtir efeitos a longo prazo.

Por outro lado, usar placa protetora bucal para dormir é um paliativo apenas para o Bruxismo do Sono. Entretanto, sabe-se agora que o grande responsável pelas dores é, normalmente, o Bruxismo de Vigília. Constatou-se que para oito horas de sono há, em média, portanto, apenas oito minutos de contração da musculatura.

Já o estresse e a tensão podem fazer com que as pessoas contraiam os músculos de sustentação da mandíbula por longos períodos durante as atividades diárias. Esta contração é mais fraca, porém constante e, por atuar por muito tempo, sob tensão, leva às dores do dia seguinte.

Biofeedback e Reeducação

A grande novidade no tratamento do Bruxismo vem de um dentista brasileiro, Dr. Alain Haggiag. Baseado na conclusão sobre a verdadeira causa das dores relacionadas ao distúrbio, e fundamentado nos conceitos de biofeedback e reeducação, ele criou o DIVA®.

O Dispositivo Interoclusal de Vigília é um dispositivo de alta precisão, não invasivo, sem contraindicações e reversível. O DIVA®, feito sob medida, é colocado para monitorar o espaçamento entre os dentes superiores e inferiores. Como o toque entre os dentes pressupõe uma contração muscular, o dispositivo alerta e o paciente relaxa.

O tratamento proposto pelo Dr. Haggiag objetiva ensinar ao portador do distúrbio a identificar as contrações no momento em que acontecem e evitá-las. Ele inclui o dispositivo, um treinamento e o acompanhamento pelo dentista. Desta forma, reverte-se no paciente o hábito que provocaria as dores, reconfigurando seu cérebro em relação aos sinais de dor recebidos.

A nova tecnologia é direcionada ao tipo de bruxismo de vigília e baseada na reeducação dos hábitos. Pode-se supor que a consciência do hábito de pressionar os dentes durante o dia possa reverter o hábito noturno. Assim sendo, pode ser que este tratamento complete a cura do bruxismo, eliminando a necessidade de usar placa protetora bucal.

Quer conhecer mais novidades do mundo da odontologia? Visite o Blog da Uniodonto Uberlândia e fique em dia com as novas tecnologias e tratamentos odontológicos.

 

 

3 dicas para criar bons hábitos de saúde bucal para crianças

De | Notícias | Sem comentários

A introdução de bons hábitos de higiene bucal desde a mais tenra idade ajuda a desenvolver pessoas de bocas saudáveis e com boas rotinas de cuidados. Porém, devemos lembrar que as crianças ainda não possuem discernimento suficiente. Assim, costumam priorizar a satisfação imediata, especialmente na alimentação. O prazer na ingestão de doces e guloseimas aliado a uma certa preguicinha para procedimentos de higiene pode vir a comprometer a saúde bucal tanto no presente quanto na fase adulta. Pais e cuidadores são responsáveis pela saúde bucal das crianças e por guiá-las e orientá-las desde cedo, ajudando a moldar o modelo que esperam que sejam quando crescerem.

Os filhos refletem os pais e sua influência é incontestável. Sendo assim, é importante saber incentivar e, na medida do possível, não considerar essa tarefa como uma obrigação desagradável. É preciso ter paciência e transformar estes momentos com a criança em algo lúdico, de informação e formação.

Veja também:

4 maneiras de facilitar a ida de crianças ao dentista

8 dicas para você cuidar da saúde bucal de bebês

5 dicas que ajudam a levar as crianças ao dentista com mais facilidade

Estomatite: tratamento em casos infantis

A participação da família na rotina de higiene bucal da criança transmite segurança e incentivo, transformando contrariedade em prazer. Procurando apoiar os pais e cuidadores nesta jornada, listamos a seguir 3 dicas que podem ajudar a incentivar bons hábitos de saúde bucal para suas crianças.

Dica número 1 para criar bons hábitos de saúde bucal para crianças: O bom exemplo

Aprender pelo exemplo é sempre mais eficaz. O ideal é que a higiene bucal do adulto seja feita, sempre que possível, na frente da criança. Assim, ela percebe que é um procedimento usual e aprende imitando.

As escovações começam a partir do surgimento dos primeiros dentinhos. Devem ser utilizadas escovas infantis especiais, sob a orientação do odontopediatra. Daí em diante pode ser criada uma rotina de descontração e entrosamento entre pais e filhos. Estes momentos podem se transformar em agradáveis práticas compartilhadas.

Especialmente dos sete anos em diante, quando a criança já sabe escovar sozinha, a supervisão dos adultos pode ser feita durante a escovação dos próprios dentes.

Além disso, os pais não devem descuidar da própria saúde. Cigarro, álcool e alimentação inadequada também serão vistos pela criança como exemplos a serem seguidos. Quando não é possível deixar alguns hábitos, que se evite o ambiente da criança e a sua presença.

Dica número 2 para criar bons hábitos de saúde bucal para crianças: A rotina de cuidados

A família é o núcleo social da criança. Deste modo, o alicerce do adulto é formado ali. E é na família que deve ser criada uma rotina de cuidados com a saúde bucal para as crianças, que ficará possivelmente para a vida inteira.

Assim que surgem os primeiros dentes, dois acessórios devem ser inseridos na rotina de higiene. A escova e o fio dental já se tornam indispensáveis. O fio dental já deve ser usado a partir da existência de dois dentinhos juntos. Os pais devem passá-lo entre todos os dentes, especialmente os do fundo, pelo menos uma vez por dia. O fio dental com haste, em formato de forquilha, pode facilitar o processo.

Por outro lado, as escovações devem acontecer, no mínimo, 3 vezes ao dia. Sempre após as principais refeições e antes de dormir. A escova deve ser especial para o tamanho da criança e macia. O creme dental com flúor já pode ser utilizado a partir do momento em que a criança saiba cuspir. Deve-se escovar em movimentos circulares e para frente e para trás.

Dica número 3 para criar bons hábitos de saúde bucal para crianças: A escolha do dentista

A primeira visita ao dentista ocorre normalmente quando o bebê tem 1 ano de idade. Logo após, o ideal é que sejam repetidas de seis em seis meses. Em função disto, uma boa relação entre a criança e o profissional de odontologia é fundamental para a continuidade do processo de manutenção da saúde bucal da criança.

Na imaginação infantil, o consultório odontológico pode ser um parque de diversões ou um castelo mal assombrado. Portanto, para garantir que não ocorra a segunda opção, aconselha-se que o dentista seja um especialista em pediatria e que tenha boas referências.

Afinal, um odontopediatra vai avaliar a progressão dos dentes, conversar sobre a dieta menos prejudicial para a idade, a técnica de escovação mais eficiente e os utensílios mais apropriados para a higiene bucal infantil.

Além disso, ele e seu consultório vão estar preparados para receber e estabelecer uma boa conexão com a sua criança.

Acompanhe nosso Blog para mais dicas e informações sobre saúde bucal para crianças!

Seu plano dentário: Você está coberto?

De | Notícias | Sem comentários

Seu plano dentário: Você está coberto?

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) classifica e detalha o Rol de Procedimentos Odontológicos existentes. A cobertura de um plano é a seleção de serviços que o convênio oferta, dentre todos os constantes no rol. No caso dos planos odontológicos, os procedimentos vão desde diagnóstico e profilaxia, até as cirurgias e implantes.  É evidente que os valores são proporcionais aos serviços disponibilizados. Por isso, ao aderir a um plano, seja de saúde ou odontológico, além do preço, da idoneidade da empresa e da qualidade da rede de prestadores credenciada, é muito importante conhecer a cobertura que este plano oferece.s que você avaliou serem mais adequados ao seu perfil e de sua família.

Os planos odontológicos têm se tornado cada vez mais procurados e, portanto, mais acessíveis. O que é uma consequência da conscientização da população sobre a importância dos cuidados com a saúde bucal. Normalmente eles têm menor impacto no orçamento do que um plano de saúde, já que os tratamentos são mais simples e não necessitam de procedimentos onerosos como as internações, por exemplo.

Você pode se interessar também:

Como é uma consulta odontopediátrica?

Conheça as principais especialidades em Odontologia

15 males que podem ser evitados com consultas regulares ao dentista

Como funciona a perícia em plano odontológico?

O que avaliar para dimensionar a cobertura ideal para o seu plano dentário?

Planos empresariais

Muitas empresas utilizam esse tipo de produto como um aditivo ao leque de benefícios aos colaboradores. Aliás, a grande alavanca para a consolidação dos planos odontológicos veio da adesão das empresas. Os planos empresariais constituem a grande maioria de contratos das operadoras.

Se você é funcionário de uma empresa e ela oferece um convênio odontológico, certamente todas as informações sobre o seu plano dentário estarão disponibilizadas pelo setor de recursos humanos. Os itens mais importantes a serem questionados são a carência, a amplitude da relação de dependentes e a lista de procedimentos contratados.

Planos familiares ou individuais

Estes são os planos para pessoas físicas. A desmistificação dos tratamentos estéticos, o aumento da longevidade, a relação custo x benefício e a elevação do poder de compra estão conduzindo mais e mais clientes aos planos odontológicos.

Geralmente, os planos dentários não estão vinculados às faixas etárias como os planos de saúde. Isto ocorre porque a utilização de serviços odontológicos com frequência representa uma maior prevenção. E a prevenção tende a gerar uma melhor saúde bucal, o que significa menos necessidades à medida que o tempo passa. Em resumo, uma lógica inversa ao que acontece com os planos de saúde.

A cobertura básica normalmente inclui consultas, limpezas, atendimentos de urgência, radiologia, tratamentos de gengiva, de canal e restaurações. Os aparelhos ortodônticos, as próteses, os clareamentos e os implantes usualmente são itens presentes em coberturas maiores.

Histórico e composição familiar

Em primeiro lugar, o histórico de saúde familiar e quanto do orçamento familiar é destinado anualmente para tratamentos dentários. Quais são os problemas bucais mais comuns na sua família? Quando a tendência é de utilização preponderante apenas de profilaxia e aplicação de flúor, um plano básico é suficiente.

Depois, a composição da sua família. Se há crianças entre os seus dependentes, é bom observar se a operadora possui bons odontopediatras credenciados. A probabilidade de alguns acertos nas arcadas ou na posição dos dentes também não pode ser descartada, o que pressupõe a necessidade de um plano que inclua serviços de ortodontia.

Já adolescentes muitas vezes significam aparelhos ortodônticos. Com as novidades estéticas, fica cada vez mais difícil para os jovens conviver com problemas dentários que prejudiquem a beleza de seu sorriso. Aqui, vale avaliar a inclusão desses serviços no seu plano dentário ou o pagamento à parte. O corretor deve ser consultado previamente sobre este assunto, para que se evitem problemas no momento da utilização.

A presença de idosos na família também pode requerer alguns ajustes na cobertura. Especialmente se são pessoas que não cuidaram adequadamente da saúde bucal, o que era muito comum até bem pouco tempo. Próteses e implantes podem ser necessários e vale aqui o mesmo alerta para a inclusão ou não dos serviços no seu plano dentário.

Carência, rede credenciada e operadora

Com todas essas informações em mente, ainda falta considerar a urgência ou não na utilização do plano e, portanto, negociar a carência. Finalmente, e não menos importante, é preciso pesquisar sobre a qualidade e a extensão da rede credenciada, além da idoneidade e da aceitação da empresa operadora.

 

E então? Em seu plano dentário, você está coberto? Ou ainda não tem um plano odontológico?

Conheça os planos e condições que a Uniodonto Uberlândia tem para oferecer para você e sua família. Visite nosso site e solicite um orçamento!

Mascar chicletes e sua saúde bucal

De | Notícias | Sem comentários

Conheça os benefícios e os riscos de mascar chicletes para sua saúde bucal

 

De vilã a parceira, a goma de mascar é hoje considerada uma aliada da saúde bucal. Entretanto, não estamos falando do chiclete guloseima, com altos teores de açúcar, e sim daqueles que são adoçados com xilitol ou sorbitol. Estes adoçantes, ao contrário do açúcar, não servem como alimento para as bactérias causadoras da cárie. Mascar chicletes sem açúcar pode, então, ser eficaz na prevenção de cáries, diminuindo a formação de placas bacterianas. Porém, há uma restrição em relação ao excesso de tempo de mastigação, que pode causar danos na mandíbula, desgaste nos ossos e ligamentos da articulação temporomandibular. Além disto, com o uso prolongado, estruturas como restaurações e pontes podem se soltar.

Então, mascar chicletes está liberado? Mais do que isso, especialistas têm recomendado o hábito, baseados em estudos feitos com crianças utilizando a goma de mascar. Em um deles, na Europa, as crianças foram acompanhadas durante 2 anos e os resultados foram surpreendentes. Houve redução acima de 30% tanto na quantidade de cáries quanto nas lesões de mancha branca.

Veja também:

8 dicas para escolher fio dental

Como escolher o melhor creme dental

O que é preciso para quebrar um dente

Ciência do sorriso: por que sorrir é um santo remédio?

Benefícios do hábito de mascar chicletes na saúde bucal

Purificação do hálito

O aumento da salivação provocado pela mastigação da goma elimina ou, pelo menos, diminui a formação de compostos malcheirosos na boca. Como resultado, purifica a boca e reduz o mau hálito.

Aumento na produção de saliva

Mascar chicletes estimula a formação do fluxo salivar, diluindo os ácidos produzidos por bactérias e neutralizando o PH da boca. Por outro lado, a saliva estimulada contém mais minerais, potencializando a remineralização dos dentes. Além disso, pessoas que sofrem com Xerostomia, conhecida como boca seca, são bastante beneficiadas com esse aumento na produção de saliva.

Redução na formação de cáries

Como a maior vantagem de mascar chicletes é o estímulo da produção de saliva, consequentemente há uma maior lubrificação local, que neutraliza os ácidos produzidos pelas bactérias causadoras de cáries. Além de limpar e retirar resíduos de alimentos, ainda dificulta a fixação destas bactérias nos dentes, reduzindo a formação de cáries.

Redução na formação de manchas brancas

A diluição dos ácidos produzidos por bactérias reduz a ocorrência de lesões no esmalte dos dentes. Portanto, diminui a possibilidade de ocorrência de manchas brancas.

Controle do bruxismo

Mascar chicletes pode reduzir a tensão e o estresse, alguns dos causadores do bruxismo, o hábito inconsciente de ranger os dentes. E mais, pode ter um efeito fisioterápico nos casos de problemas de abertura normal da boca.

Riscos do hábito de mascar chicletes para a saúde bucal

Pessoas com problemas na articulação temporomandibular

Pessoas com problemas na ATM, articulação que regula o abrir e fechar da boca, podem vir a ter dores de cabeça e de ouvido, como resultado de um desequilíbrio muscular causado pela mastigação excessiva.

Pessoas com problemas gástricos

Quando mastigamos, o corpo automaticamente prepara enzimas e ácidos para a digestão. No caso da goma de mascar, não existem alimentos para serem digeridos. Sendo assim, pode haver uma superprodução de ácido no estômago, comprometendo o processo digestório quando da ingestão de alimentos reais. Consequentemente, há o risco de azia, sensação de empanzinamento e inchaço estomacal. Além disto, podem ainda acontecer desarranjos intestinais devidos aos adoçantes artificiais presentes nos chicletes sem açúcar.

Desgaste nos dentes

Mascar chicletes, frequentemente e em excesso, aumenta o atrito entre os dentes, possibilitando o aparecimento de desgastes no esmalte e até mesmo de fraturas nas restaurações.

Finalizamos com um alerta para os apaixonados por chicletes. Eles não substituem uma boa escovação e o uso do fio dental. Podem até ser usados com a função de limpeza nos casos em que é inviável executar os procedimentos corretos para higiene bucal. Porém, mascar chicletes deve ser considerada uma limpeza de emergência, devendo ser complementada, assim que for possível. E um aviso não menos importante: os chicletes que contêm açúcar continuam sendo vilões, pois retiram o cálcio dos dentes, causando cáries.

Saiba mais sobre saúde bucal no Blog da Uniodonto Uberlândia, em artigos com conteúdos completos e relevantes na área de Odontologia.

8 dicas para escolher fio dental

De | Notícias | Sem comentários

O fio dental é parte integrante e indispensável do pacote de produtos para higiene bucal. Aquela limpeza mais difícil, por exemplo, entre aqueles dentes mais apertados, naqueles locais de difícil acesso, é tarefa exclusiva dele. No entanto, uma fatia expressiva da população não utiliza o fio dental. Mesmo conhecendo as vantagens de seu uso e estando ciente de que uma boa parte das cáries e doenças periodontais começam a partir daquela sujeirinha que ficou para trás na escovação, o fio dental ainda não é unanimidade. Qual seria a causa desta resistência? Certamente está na dificuldade operacional. Para tentar diminuir este problema, relacionamos aqui 8 dicas para escolher fio dental, que irão ajudar a criar uma maior afinidade com este grande amigo dos dentes.

Existem vários modelos de fio dental disponíveis no mercado, entretanto ainda haverá a necessidade de um esforço pessoal para adaptar-se e fazer deste um hábito diário para toda a vida. Na verdade, não existe um modelo ideal e sim aquele que atende melhor às particularidades de cada pessoa. O mais importante é que todos eles cumprem sua função, que é eliminar os resíduos entre os dentes.

Você vai gostar de ver também:

Como escolher o melhor creme dental

5 cuidados para pessoas com restauração dentária

15 males que podem ser evitados com consultas regulares ao dentista

5 coisas que você precisa saber antes de clarear os dentes

Confira nossas 8 dicas para escolher fio dental

 

1- Pessoas com pouco espaço entre os dentes devem preferir as fitas dentais

A fita dental tem filamento único, que não desfia, e grande resistência. Tem um design mais fino e achatado. É, então, ideal para pessoas com dificuldade para inserir o fio clássico, de múltiplos filamentos, entre os dentes.

2- O fio dental tradicional é mais indicado para quem tem maior espaço interdental

Este fio é composto por várias fibras de nylon entrelaçadas. Elas se abrem para atingir uma área de limpeza maior. Porém, devido à fragilidade das fibras, têm uma maior possibilidade de desfiar. É, portanto, mais efetivo para pessoas que têm espaço entre os dentes que comporte a passagem do fio dental.

3- Super Floss é especial para pessoas com aparelhos ortodônticos, coroas, pontes ou implantes

O Super Floss é um super fio, composto de três partes. Em primeiro lugar, uma extremidade rígida. Em seguida, uma rede de fibras esponjosas e, por último, um fio de múltiplos filamentos. A primeira camada facilita a inserção sob espaços estreitos, aparelhos ortodônticos e pontes.  As fibras têm a tarefa de limpar as superfícies inter proximais e, por fim, o fio tradicional limpa entre os dentes e na linha das gengivas.

4- O Passa Fio também facilita a limpeza para quem usa aparelho

O Passa Fio é um acessório de plástico em formato de agulha. O fio dental é amarrado na entrada do passa fio e, assim, é guiado para dentro do aparelho, entre os dentes, executando a limpeza.

5- Para melhor alcance e limpeza dos molares existe o fio dental com haste

O fio dental com haste é um acessório de plástico descartável, de uso único, que tem em uma ponta um pequeno palito, também de plástico, que serve para a retirada de resíduos maiores presos entre os dentes. Sua outra ponta é uma curva em forma de “C” que já vem com um pedaço de fio dental. Desta forma, desliza facilmente entre os dentes e tem a vantagem do manuseio pela haste.

6- Fio dental com efeito Whitening pode ajudar no clareamento dos dentes

Qualquer modelo de fio dental pode agregar a tecnologia Whitening, para embranquecimento dos dentes. Um revestimento de sílica ajuda a remover manchas superficiais entre os dentes, promovendo o clareamento.

7- O fio dental Multibenefícios, em formato de fita, também é indicado para dentes muito próximos

O modelo Multibenefícios permite uma inserção fácil entre os dentes, tem textura macia e maior resistência. Possui cobertura sabor menta, criando uma sensação de refrescância, e uma superfície micro texturizada, que ajuda a remover a placa bacteriana.

8- Consulte o seu dentista

Em todos os casos, a melhor indicação virá do seu dentista. Além de reforçar estas 8 dicas para escolher fio dental, ele pode orientar na escolha mais adequada e, ainda, ensinar a melhor técnica de utilização.

Estas dicas e muito mais você vai encontrar no Blog da Uniodonto. Acesse nossos conteúdos e fique bem informado!

Planos Odontológicos Uniodonto Uberlândia: a primeira opção para família

De | Notícias | Sem comentários

Um plano odontológico é similar a um plano de saúde comum. Consiste em uma rede de profissionais para atendimento odontológico credenciados que fica permanentemente disponível ao beneficiário. Tudo isso de acordo com o plano escolhido. Planos diferentes têm cobertura distintas, a partir de uma lista mínima de procedimentos estipulada pela Agência Nacional de Saúde Complementar (ANS). O leque de planos odontológicos Uniodonto Uberlândia atende às necessidades dos usuários, tanto pessoas físicas como empresas, e é oferecido pela Uniodonto Uberlândia, que é uma cooperativa odontológica sem fins lucrativos. Isto significa que existe o compromisso de eliminar intermediários da assistência odontológica, oferecendo serviços de qualidade a preço justo, democratizando o acesso da população aos consultórios odontológicos.

É vantajoso ter um plano odontológico?

Essa é uma pergunta que tem que ser respondida na ponta do lápis. Podemos computar os preços de procedimentos simples como limpeza, tratamento de cáries, curativos e colagens. Depois, incluímos as visitas semestrais ao dentista. Desta forma, já podemos concluir que a adesão a um plano odontológico é bastante interessante. Além disso, problemas bucais inesperados podem acontecer em momentos impróprios, comprometendo o orçamento familiar.

Há também uma questão de cunho emocional. Vinculamos o ato de pagar por um serviço ao esforço de efetivamente utilizar daquilo que foi pago. Por exemplo, se eu já estou pagando para manter a minha saúde bucal, eu me sinto obrigado a fazer isto. Nesse caso, evita-se a procrastinação e o descuido. Consequentemente, transforma-se a prevenção em um hábito que traz mais qualidade de vida para toda a família.

Mesmo os planos mais básicos funcionam como um investimento. Digamos que uma pessoa frequenta o dentista com regularidade e mantém a limpeza dos dentes em dia. Certamente, não acontecerão problemas mais sérios e caros, como, por exemplo, tratamentos de canal ou necessidade de enxertos e implantes.

Quais as vantagens de escolher planos odontológicos Uniodonto Uberlândia?

Em primeiro lugar, como já foi dito acima, a Uniodonto Uberlândia é uma cooperativa, e é da natureza do cooperativismo buscar a construção de um mundo melhor. Em outras palavras, significa que as pessoas são mais importantes que os resultados. Assim, a Uniodonto Uberlândia tem a finalidade de prestar assistência odontológica a um custo acessível e ao alcance da população.

Além disto, ela é parte integrante do Sistema Uniodonto Brasil, que está em todo o território nacional, garantindo um atendimento de qualidade em qualquer parte do Brasil. Faz parte da política da Uniodonto Brasil também o incentivo às iniciativas de sustentabilidade, que englobam o desenvolvimento contínuo das pessoas, das comunidades e de suas relações entre si e com o meio ambiente.

A Uniodonto Uberlândia conta com mais de 500 cirurgiões dentistas cooperados e, hoje, já ultrapassa 90 mil beneficiários. Seu site corporativo permite desde consultas aos profissionais credenciados em cada área até emissão de segunda via de boletos. Ainda agrega um blog repleto de conteúdos. Possui clínica 24 horas para situações de urgência. Isto significa uma unidade completa, pronta para oferecer atendimentos odontológicos de diversas especialidades, durante as 24 horas do dia, inclusive aos sábados, domingos e feriados. Além disso, dispõe de uma unidade móvel equipada com um consultório odontológico. Ela é utilizada, por exemplo, para a realização de avaliações bucais e divulgação de ações de educação e prevenção.

Quais são os planos odontológicos Uniodonto Uberlândia?

A Uniodonto Uberlândia possui uma variedade de planos que se adaptam às necessidades de todos. Para pessoas físicas existem planos individuais e familiares, com ou sem carência. Eles vão desde aquele destinado a quem necessita apenas de atendimento emergencial até uma ampla cobertura. Pode incluir os seguintes procedimentos: Cirurgia, Dentística, Diagnósticos, Endodontia, Estética, Periodontia, Prevenção, Prótese, Radiografia e Urgência e Emergência.

Os planos para empresas também variam em função da cobertura e podem ser contratados com ou sem carência. Possuem grandes vantagens para a empresa contratante e para os cooperadores. Acima de tudo, melhoram a qualidade de vida dos recursos humanos, fundamental para o sucesso da organização.

São características dos planos odontológicos Uniodonto Uberlândia:

  • Grande flexibilidade para montar o plano ideal;
  • Menor carência do mercado, determinada pela Lei de Planos Odontológicos;
  • Acesso a todas as especialidades odontológicas;
  • Livre escolha do dentista cooperado em todas as especialidades;
  • Atendimento com hora marcada;
  • Atendimento em todas as regiões do País para urgências e emergências;
  • Garantia de 1 ano dos serviços prestados;
  • Acesso às especialidades adicionais com prazos e parcelamentos facilitados;
  • Cobertura para dependentes.

Agora é a sua vez! Acesse o site da Uniodonto Uberlândia e solicite uma cotação. Afinal, esta é a primeira e melhor opção para você e para sua família!

 

Como escolher o melhor creme dental

De | Notícias | Sem comentários

Quer saber qual é o melhor creme dental para você? Pergunte ao seu dentista. Esta é a principal dica matadora. O profissional que conhece seus dentes e sua saúde bucal, além de saber avaliar a qualidade dos produtos do mercado, é o mais preparado para indicar o tipo de creme dental que sua boca precisa e merece. Vários fatores vão interferir nessa avaliação. Necessariamente o produto deve ser seguro, ou seja, deve ter a aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Os componentes da fórmula podem e devem ser verificados no rótulo pois são de extrema importância. Além destas orientações, listamos algumas dicas de como escolher o melhor creme dental.

Concentração de Flúor

Um bom creme dental deve ter pelo menos 1.000 ppm (partes por milhão) de flúor em sua composição. Este nutriente quase não é encontrado na alimentação e é fundamental para a remineralização do esmalte. O flúor fortalece os dentes e remove as placas, prevenindo as cáries. Porém, é bom salientar que este mineral é tóxico quando ingerido em excesso.

Esta é a razão para que tenhamos cuidado com a higiene bucal das crianças. A partir de 2 anos de idade a quantidade recomendada de flúor no creme dental é a mesma para adultos. A diferença está na quantidade de pasta a ser colocada na escova, que nessa idade não deve passar o tamanho de um grão de arroz cru. Sendo assim, é sempre preciso acompanhamento para supervisionar a porção utilizada e evitar que a criança engula o creme dental indiscriminadamente.

Composição da fórmula

Podem haver substâncias presentes no creme dental que provocam alergia. Verificar o rótulo para conhecer os ingredientes é uma boa medida pode evitar desconfortos e aborrecimentos. Apesar de não muito comum, a alergia à pasta de dentes pode provocar aftas, acidez estomacal, refluxo e periodontite.

Leia também:

Manchas brancas em seus dentes? O que são e como corrigir

O que é preciso para quebrar um dente?

Ciência do Sorriso: por que sorrir é um santo remédio?

Como fazer a remoção de tártaro?

Como escolher o melhor creme dental para casos especiais

A função primordial da pasta dental é higienizar e proteger. Bocas saudáveis requerem apenas de um creme dental com a quantidade correta de flúor. Porém, quando há a necessidade de se expandir esta função abrangendo objetivos específicos, a escolha deve ser feita com cautela e acompanhamento de um bom profissional.

 

Dentes sensíveis

A sensibilidade indica que o esmalte dentário está desgastado ou que a raiz dos dentes está desprotegida. Cremes dentais específicos para este problema agem obstruindo os poros existentes na dentina, reduzindo a reação às temperaturas altas ou baixas. O uso dessas pastas deve estar condicionada à consulta a um dentista para avaliar a necessidade de outros tratamentos.

Branqueamento

Cremes dentais atuam somente sobre o esmalte dentário e não clareiam o tom dos dentes. Eles normalmente têm o bicarbonato de sódio como principal componente e apenas facilitam a remoção de manchas causadas por certos alimentos, café e cigarro. Por serem abrasivos, podem sensibilizar os dentes com o uso excessivo. Se, ao ser esmagado entre os dedos, o creme dental provocar a sensação de grãos de areia, ele deve ser evitado devido ao alto grau de substâncias abrasivas.

Doenças periodontais

Doenças como a gengivite geralmente causam inflamação e sangramento das gengivas. Para esses casos existem cremes dentais que, além do flúor, possuem substâncias antissépticas para ajudar a eliminar as bactérias. Estes produtos agem como medicamentos e, sendo assim, devem ser receitados por um profissional e utilizados por um tempo limitado, não superior a duas semanas.

Controle do tártaro

Os cremes dentais para controle do tártaro prometem a diminuição da placa bacteriana e a inibição de novas formações após a escovação. Possuem agentes levemente abrasivos e tensoativos e também devem ser utilizados com o conhecimento ou pela indicação de um dentista.

Cuidar da higiene da boca e dos dentes é a principal ação preventiva contra as cáries e doenças bucais. Uma boa escova, técnicas adequadas de escovação e o uso do fio dental são itens indispensáveis. Mas saber como escolher o melhor creme dental é essencial para respaldar a limpeza, fortalecendo os dentes e impedindo a proliferação de bactérias.

Encontre estas e muitas outras dicas e informações no Blog da Uniodonto Uberlândia.

O que é preciso para quebrar um dente?

De | Notícias | Sem comentários

Você conhece a escala de Mohs? Desenvolvida pelo alemão Friedrich Mohs em 1812, ela representa uma base para classificação dos minerais de acordo com sua dureza. A escala tem 10 minerais, desde o Talco, cuja dureza é 1 até o Diamante, com grau de dureza igual a 10.

Todos os outros elementos são classificados tomando-se como parâmetro de comparação cada elemento da tabela. Pois bem, o esmalte dos dentes pode chegar até o nível 8 da escala de Mohs. Esta medição é possível pela grande quantidade de compostos inorgânicos presentes no esmalte, contra apenas 1 a 2% de matéria orgânica e 3%, no máximo, de água. Fortes, não? Sendo assim, o que é preciso para quebrar um dente?

Vários fatores concorrem para a perda da dureza de um dente e sua consequente quebra ou ruptura. Ação mecânica, escassez de cálcio e alimentação inadequada estão entre os mais frequentes.

Se você sente que seus dentes estão frágeis, quebrando sem motivo, pode ser que eles tenham micro fraturas ou trincas. Ao morder ou mastigar algum alimento mais sólido, a pressão nas pequenas falhas pode quebrar o dente.

 

Leia também:

O que é bruxismo dentário: principais causas, sintomas e tratamento

5 cuidados para pessoas com restauração dentária

Por que eu tenho dentes sensíveis?

 

Principais causas do surgimento de micro fraturas ou trincas nos dentes

Cáries

As cáries enfraquecem a estrutura dos dentes. Se não forem tratadas, podem gradativamente torna-la mais frágil, aumentando o risco de fraturas. Por outro lado, os tratamentos para os processos cariosos, que são as restaurações e os tratamentos de canal, podem criar novos problemas.

Restaurações antigas e desgastadas favorecem a ocorrência de infiltrações e fissuras, colocando o dente em uma situação similar de perigo. E os tratamentos de canal, por retirarem a essência dos dentes, que é a sua polpa, obviamente deixam-nos mais frágeis em relação a uma dentição natural.

Mordida Cruzada ou Má Oclusão

Os tratamentos para alinhamento dos dentes, muito mais do que simples procedimentos estéticos, previnem as fissuras e quebras, promovendo a harmonização das cargas dentárias.

Desgaste natural

Como tudo que existe, os dentes sofrem desgaste com o tempo, tornando-se mais fracos. Uma boa higiene bucal diária e permanente e aplicações de flúor são efetivas formas de prevenção.

Bruxismo

Bruxismo é o hábito inconsciente de apertar e ranger os dentes, especialmente durante o sono. Com a pressão da mandíbula, que tem uma força muito grande, o atrito na estrutura dentária pode provocar trincas e até mesmo quebrar um dente, sem que a pessoa perceba.

Alimentação

Alimentos e bebidas ácidos e o excesso de açúcar na alimentação causam desgaste no esmalte, aumentando a sensibilidade e enfraquecendo os dentes.

Outros fatores

O hábito de roer unhas e morder objetos, a escovação incorreta com força excessiva, o estresse e a forma de mastigação podem também contribuir para o aparecimento de fraturas nos dentes.

Uma condição bastante complicadora é a combinação de dois ou mais fatores, resultando numa aceleração e agravamento dos problemas de enfraquecimento.

Como evitar o desgosto de quebrar um dente

A primeira e mais importante providência é a rotina de limpeza. A força de um dente é totalmente dependente de bons hábitos de higiene. Visitas periódicas ao dentista para avaliação e manutenção completam a receita de prevenção. Nelas, o dentista verificará a necessidade ou não de aplicações de flúor e as evidências de fissuras e de tensão na arcada, podendo intervir antes que complicações aconteçam.

Uma alimentação balanceada e rica em cálcio, com a ingestão de leite e derivados, espinafre e peixes, contribui para manter a dureza e a força dos dentes.

Se você sofre com o bruxismo deve buscar equilíbrio emocional utilizando técnicas de relaxamento e afins. Para proteger os dentes, o dentista indicará placas que deverão ser usadas nas situações em que a tensão nos maxilares acontece, preferencialmente à noite, para dormir.

O que fazer ao quebrar um dente

O primeiro passo é procurar o dentista imediatamente. O pedacinho do dente quebrado deve ser mantido imerso em soro fisiológico ou na própria saliva, para que o profissional verifique a possibilidade de recolocação. Em caso de impossibilidade, o tratamento pode envolver desde uma restauração até a extração completa e implantação de prótese dentária.

Não se esqueça: não existe herança de dentes fracos. É importante estar consciente e bem informado. Veja mais conteúdos úteis para você e sua saúde bucal no blog da Uniodonto Uberlândia.

 

Extração de siso: o que fazer no pós-operatório

De | Notícias | 2 Comentários

Por que quase todas as pessoas passam por uma extração de siso? É simples. Os terceiros molares, ou sisos, ou, ainda, dentes do juízo, rompem a gengiva entre os 17 e 25 anos, normalmente. Em decorrência da adaptação do ser humano a uma alimentação mais macia e baseada em carboidratos, que reduziu o tamanho do maxilar, os últimos molares com frequência não têm espaço para nascerem. Desta forma, podem nascer tortos ou apontar apenas parcialmente, prejudicando os demais dentes e, muitas vezes, provocando dor ou incômodo.

A extração do siso, na maioria absoluta das vezes, é a melhor opção. Trata-se de  um procedimento que não oferece preocupação. Mas, como em toda intervenção cirúrgica, há cuidados especiais que devem ser tomados tanto no pré quanto no pós-operatório.

Existe um grupo de indivíduos que passa pela extração e não tem qualquer reação. Porém, para muitas pessoas é uma experiência bastante desagradável. Não se trata de fraqueza ou fricote. São três os motivos que podem complicar a recuperação após a retirada do siso.

 

Fatores que influenciam no pós-operatório

O primeiro é a própria posição do dente e seu formato. Ele pode estar preso na estrutura óssea ou ter uma raiz curva, fatores que podem tornar o procedimento mais complexo.

O segundo é inerente à natureza biológica do paciente, com propensão ao inchaço e uma alta sensibilidade à dor. E o terceiro é a técnica utilizada pelo cirurgião. Quanto menos invasiva, melhor, mas nem sempre possível.

Alguns cuidados no pré-operatório também podem reduzir complicações. Antes de qualquer extração de siso é necessário que se faça um exame radiográfico. Com o levantamento da situação completa da boca do paciente, o profissional poderá fazer um planejamento correto. Em alguns casos já se pode prever uma situação mais traumática e, nesse caso, o paciente deve ser informado para que esteja preparado.

 

O pós-operatório de uma extração de siso

Os cuidados no pós-operatório são de crucial importância para um tranquilo restabelecimento. Se você ou alguém de sua família vai passar por essa situação, vai precisar se planejar para não ter problemas. Pensando nisso, organizamos com detalhes um passo-a-passo com todos os cuidados recomendados para você não se esquecer de nada e ter uma feliz recuperação.

 

Clique na imagem abaixo para baixar o seu Check List:

Checklist de cuidados com saúde bucal na gravidez

De | Notícias, Sem categoria | Sem comentários

O período de gestação é um tempo mágico de formação de um novo ser. Momento esse que contempla, ao final, o maravilhoso milagre da maternidade. A natureza é sábia e coordena o processo de forma harmoniosa. Assim, ao gerar no ventre uma criança, a mulher passa por vários processos e mudanças físicas internas e externas. Durante os nove meses que antecedem o nascimento do bebê, muitos cuidados e precauções devem ser tomados pela futura mamãe.  Além do acompanhamento médico pré-natal, é extremamente importante cuidar também da saúde bucal na gravidez.

Devido às inúmeras alterações físicas e hormonais pelas quais a mulher passa, pode ocorrer a incidência ou agravamento de problemas dentários. A carência de cálcio na dieta materna também é um fator que deve ser considerado. Na gestação  o organismo tende a suprir as necessidades do feto. Caso não haja cálcio suficiente para dividir, este será liberado a partir dos ossos e dos dentes.

Outro aspecto preocupante é a alteração das fibras da gengiva, causada pelo aumento na produção de alguns hormônios, o que facilita o acesso de bactérias que causam gengivite. Sangramentos e infecções na gengiva podem ocorrer. Infecções bucais provocam a produção de quantidades maiores de prostaglandinas pelo organismo. Estas substâncias podem causar contrações no útero e o nascimento prematuro do bebê.

Você vai gostar de ler também:

Como é uma consulta odontopediátrica

8 dicas para você cuidar da saúde bucal de bebês

4 maneiras de facilitar a ida de crianças ao dentista

Pensando no bem estar da futura mamãe, atribulada com os preparativos para a chegada do novo membro da família, preparamos com muito carinho um checklist de cuidados com a saúde bucal na gravidez. Acompanhe o roteiro abaixo e emoldure esse momento único com um sorriso bonito e saudável.

Checklist de cuidados com saúde bucal na gravidez

 

Caso se trate de uma gravidez planejada, o primeiro passo é uma visita prévia ao dentista, para uma avaliação e realização dos tratamentos necessários.

Se a gravidez for constatada antes da visita ao dentista e houver a necessidade de tratamento dentário durante a gestação, não há problema. O importante é alertar o profissional sobre a condição de gestante, para que sejam tomados os devidos cuidados. O tratamento dentário é basicamente igual ao tratamento normal, com exceção da anestesia e da radiografia, que pode ser utilizada com a proteção do avental de chumbo sobre a barriga. As anestesias usadas nesse caso são especiais e seguras, que não provocam o estreitamento dos vasos sanguíneos.

Mantenha uma alimentação balanceada para manter o cálcio em quantidades ideais para você e o bebê. Se necessário, utilize suplementação do mineral.

Evite o consumo excessivo de alimentos doces.

Utilize pastas dentais com sabores mais suaves para evitar enjoos. Se a aversão à pasta de dentes for insuportável, faça uso constante do fio dental e bocheche sempre depois de se alimentar.

Após a ocorrência de vômitos, comuns nesta fase, faça bochechos com água ou enxaguantes bucais. A indisposição deixa a boca ácida, podendo prejudicar o esmalte dos dentes.

E o mais importante de todos os itens: mantenha uma rotina de higienização ainda mais cuidadosa, respeitando as restrições de cada caso. Durante a gravidez, é comum comer mais e várias vezes durante o dia. Lembre-se de proceder à limpeza sempre, mantendo a boca higienizada e livre de bactérias e infecções.

O cuidado redobrado na escovação, o hábito de bochechar e o uso diário do fio dental dificultam o sangramento das gengivas e promovem uma limpeza maior. A prevenção impede as inflamações, que estimulam a liberação de substâncias que provocam micro contrações na parede uterina, com consequente risco de nascimento de bebês de baixo peso ou indução de parto prematuro.

Siga nossos conselhos sobre saúde bucal na gravidez, curta muito esse momento, tenha uma gravidez saudável e um parto feliz!

Para mais informações sobre este assunto ou conteúdos relacionados, conheça nosso site e acesse nosso blog.