O dia está quente e você decide tomar um sorvete para se refrescar. Mas ao saboreá-lo, uma dor nos dentes o impede de continuar. Esta sensibilidade nos dentes prejudica não só a alimentação, como a escovação e bem-estar do indivíduo, e afeta 15% a 30% da população mundial. A condição é caracterizada pela dor aguda e passageira como resposta a estímulos externos como variação térmica, táteis ou químicos devido à exposição dentinária.

Por ser um incômodo de curta duração, poucas pessoas procuram um profissional para investigar as causas da hipersensibilidade dentinária. O problema ocorre, principalmente, em virtude da corrosão do esmalte dentário, mas pode ter razões mais graves. O mercado odontológico desenvolveu produtos que amenizam as dores agudas, mas ações diárias podem evitar o inconveniente.

Por que os dentes ficam sensíveis?

O dente é formado por três partes: a polpa, tecido que concentra vasos sanguíneos e nervo; dentina, fina camada porosa que envolve o nervo; esmalte, revestimento externo e mineralizado. A sensibilidade nos dentes acontece quando há desgaste da camada mais externa e a dentina fica exposta. Assim, devido a sua natureza permeável, qualquer estímulo nos dentes afeta também os nervos, causando a dor.

A corrosão do esmalte ocorre por diversos fatores: ingestão de alimentos de alto teor ácido (como frutas cítricas e refrigerantes) e açucarados, escovação em excesso (mais de três vezes ao dia) com material de cerdas duras, uso de pasta dental com substâncias abrasivas e cáries (deterioração do dente devido ao acúmulo de bactérias). Quem sofre de bruxismo também pode ter dentes sensíveis, pois, o revestimento de esmalte se desgasta devido ao ranger constante.

Outra causa comum da sensibilidade nos dentes é a retração da gengiva. Este problema pode aparecer de forma natural, com o avanço da idade, e em decorrências de sucessivas inflamações na gengiva (gengivite) e nos tecidos que sustentam os dentes (periodontite). O tecido gengival se encolhe, deixando a mostra parte da raiz, que não é revestida com esmalte, desprotegida. Dentes lascados ou fraturados também podem sobre com hipersensibilidade devido à exposição da dentina.

 

Você pode se interessar também:

Como é uma consulta odontopediátrica?

Conheça as principais especialidades em Odontologia

15 males que podem ser evitados com consultas regulares ao dentista

Como funciona a perícia em plano odontológico?

 

O que fazer para evitar a sensibilidade dos dentes?

A melhor forma de prevenir a hipersensibilidade é atuar para que o esmalte dentário não seja danificado. Assim, manter uma dieta balanceada contribui para evitar o problema. Tente consumir alimentos cítricos e com alto teor de acidez com pouca frequência e nunca se esqueça de escovar os dentes cerca de 30 minutos após cada refeição com escovas de cerdas macias.

Se a sensibilidade nos dentes persistir mesmo após a suspender a ingestão de alimentos ácidos, é imprescindível que consulte seu dentista para a realização do diagnóstico correto. Ele irá investigar se não há pequenas fraturas, retração gengival ou cárie. O profissional poderá tratar a condição com aplicação de flúor nas áreas mais sensíveis, restaurar o esmalte dentário e indicar os produtos mais adequados para solucionar o problema.

Leave a Reply