Como evitar o ranger dos dentes sem usar placa protetora bucal

De 20 de março de 2019Notícias

O hábito de apertar e/ou ranger os dentes configura um distúrbio do movimento denominado Bruxismo. Consequentemente, existem dois tipos de bruxismo: o do Sono e o de Vigília. O Bruxismo do Sono é um evento totalmente involuntário, já o Bruxismo de Vigília aparentemente é semi voluntário. Entretanto, não existe uma definição exata do bruxismo, assim como nenhum tratamento se mostrou totalmente eficaz e permanente. Até pouco tempo, o procedimento mais indicado consistia em diminuir as dores provocadas pelo distúrbio e prevenir os danos aos dentes. Em primeiro lugar, usar placa protetora bucal, ou placa oclusal, é uma forma de proteger os dentes do atrito. E, em segundo, a ingestão de analgésicos uma maneira de aliviar as dores.

Como diagnosticar o Bruxismo?

O bruxismo é diagnosticado a partir de relatos de rangido dos dentes e por sinais e sintomas clínicos. Porém, o simples desgaste dentário não deve ser considerado como diagnóstico definitivo.

Esta confirmação deve ser feita a partir de dados EMG (eletromiografia) dos músculos mastigatórios. Desta forma, a Polissonografia é o método mais efetivo para o diagnóstico.

 

Veja também os artigos relacionados:

O que é preciso para quebrar um dente?

O que é bruxismo dentário: principais causas, sintomas e tratamento

Disfunção da ATM: o que é e como tratar?

Bruxismo: entenda a doença e conheça tratamentos

Por que dentistas aconselham usar uma placa protetora bucal?  

Devido à falta de um consenso sobre as causas e tratamentos do bruxismo, ainda hoje tem se tratado basicamente os efeitos sobre o organismo.

Em primeiro lugar, dores fortes nas mandíbulas, nas têmporas, na cabeça, no pescoço e até nos ouvidos são uma constante para os cerca de 20% dos brasileiros, na maioria mulheres, que sofrem com o problema. Em segundo, o desgaste dos dentes é bastante comum e chega, por exemplo, a quebras e até perda de restaurações.

E é aí que entra o uso de placas protetoras bucais. As placas, em acrílico ou silicone, moldadas pelo dentista, são feitas sob medida e colocados em torno dos dentes superiores ou inferiores. Além de prevenir o desgaste dentário, a placa pode ajudar a modificar o condicionamento do usuário, criando uma sensação diferente daquela anterior, de atrito entre os dentes.

Existem maneiras de tratar o bruxismo sem usar placa protetora bucal?

Acredita-se que dentre as causas do distúrbio podem estar o estresse, a ansiedade, fatores genéticos e a oclusão dental. Em função disto, o controle emocional através de medicamentos, terapias e tratamentos alternativos, como a Acupuntura e a Toxina Botulínica, costumam ser indicados. Porém, podem não surtir efeitos a longo prazo.

Por outro lado, usar placa protetora bucal para dormir é um paliativo apenas para o Bruxismo do Sono. Entretanto, sabe-se agora que o grande responsável pelas dores é, normalmente, o Bruxismo de Vigília. Constatou-se que para oito horas de sono há, em média, portanto, apenas oito minutos de contração da musculatura.

Já o estresse e a tensão podem fazer com que as pessoas contraiam os músculos de sustentação da mandíbula por longos períodos durante as atividades diárias. Esta contração é mais fraca, porém constante e, por atuar por muito tempo, sob tensão, leva às dores do dia seguinte.

Biofeedback e Reeducação

A grande novidade no tratamento do Bruxismo vem de um dentista brasileiro, Dr. Alain Haggiag. Baseado na conclusão sobre a verdadeira causa das dores relacionadas ao distúrbio, e fundamentado nos conceitos de biofeedback e reeducação, ele criou o DIVA®.

O Dispositivo Interoclusal de Vigília é um dispositivo de alta precisão, não invasivo, sem contraindicações e reversível. O DIVA®, feito sob medida, é colocado para monitorar o espaçamento entre os dentes superiores e inferiores. Como o toque entre os dentes pressupõe uma contração muscular, o dispositivo alerta e o paciente relaxa.

O tratamento proposto pelo Dr. Haggiag objetiva ensinar ao portador do distúrbio a identificar as contrações no momento em que acontecem e evitá-las. Ele inclui o dispositivo, um treinamento e o acompanhamento pelo dentista. Desta forma, reverte-se no paciente o hábito que provocaria as dores, reconfigurando seu cérebro em relação aos sinais de dor recebidos.

A nova tecnologia é direcionada ao tipo de bruxismo de vigília e baseada na reeducação dos hábitos. Pode-se supor que a consciência do hábito de pressionar os dentes durante o dia possa reverter o hábito noturno. Assim sendo, pode ser que este tratamento complete a cura do bruxismo, eliminando a necessidade de usar placa protetora bucal.

Quer conhecer mais novidades do mundo da odontologia? Visite o Blog da Uniodonto Uberlândia e fique em dia com as novas tecnologias e tratamentos odontológicos.

 

 

Comunicação Uniodonto

Autor Comunicação Uniodonto

Mais mensagens de Comunicação Uniodonto

Responder